GEORGE MASCENA - SÓ SEI QUE FOI ASSIM

Um dos grandes símbolos natalinos é o refrigerante americano Coca-Cola, que teve um incentivo do puritanismo nos EUA, que dificultava a venda de álcool. O seu idealizador, o farmacêutico John Pemberton, teve a ideia de substituir o álcool por agua gaseificada na fórmula que incluía cocaína e grãos de noz-de-cola e teve inicio a produção do que viria a ser uma das marcas de maior sucesso do planeta. Em 1903 a cocaína foi abolida da formula.

Antiga propaganda da Coca-Cola

Em 1927, outro farmacêutico, Jesus Norberto Gomes, tentou criar um xarope gaseificado que não fez sucesso como remédio, mas caiu no gosto dos seus netos que adoravam o medicamento. O sabor adocicado com um toque de cravo e canela fez sucesso entre a criançada de São Luis, onde era fabricado. Com o sucesso, Jesus comprou máquinas e começou a fabricar o guaraná rosa em grande escala e distribuir para todo o estado do Maranhão e batizou o produto como “Guaraná Jesus”.

Jesus Norberto Gomes, o ateu comunista criador da fórmula do Jesus

Em 2005, eu fui conhecer Barreirinha e São Luis com meu pai, Seu Djalma, e meu irmão, Cil Mascena. Fomos de ônibus pela Guanabara e eu achei curioso que onde o ônibus parava, em rodoviárias ou restaurantes, um refrigerante diferente era muito vendido, deixando pra trás o Guaraná Antarctica e a Coca-Cola, campeões de vendas nos demais estados. A principio achei que era uma tubaína de baixo preço, engano meu, era mais caro que o Antarctica e tinha o mesmo preço da Coca-Cola. Nos Shoppíngs Centers da capital dominava as mesas das praças de alimentações. Experimentei e gostei. Em 2008 fui a trabalho para Teresina e lá encontrei colegas de turma do curso de formação e um deles, maranhense residente em Teresina, convidou a equipe para tomar café-da-manhã na casa dele antes de sairmos para uma missão no estado do Maranhão, quando a irmã dele soube que íamos para o Maranhão, correu e pediu a ele que trouxesse o refrigerante pra ela.

Cil, Seu Djalma e eu na balsa para os Lençóis Maranhenses

O refrigerante ganhou esse título não por homenagem ao filho de São José e Nossa Senhora, mas sim pelo nome do empresário: Jesus. O logotipo nas garrafas era a assinatura do idealizador. O Jesus brasileiro não era cristão, era ateu, naquela época chegou a ser excomungado pela Igreja Católica. A indústria fabricava, além do guaraná, água mineral, água de mesa, água tônica, gengibre e licor de mate, todos com a marca Jesus. Interessante que ele não fabricava vinho, bebida “fabricada” pelo seu xará Galileu a partir da água.

Linha de embalagens do guaraná Jesus

Em 1961, a Antarctica, com intenção de diminuir a concorrência, comprou a fábrica e colocou a marca em segundo plano, a família de Jesus, o ateu, não gostou, e após uma longa briga judicial retomou a marca e voltou a fabricar o guaraná rosinha, mas em 1980 foi novamente vendida para a família do ex-governador Jackson Lago. Em 1999, a rainha dos baixinhos, Xuxa Meneghel, tentou comprar a marca para distribuir no país todo, na onda do seu sucesso, mas não chegou a um acordo com a família Lago. Em 2006 a Jesus foi vendida para a fabricante da Coca-Cola no Maranhão, que detém os direitos de fabricação até hoje. Só um adendo, em Pernambuco o Guaraná Fratelli fazia grande sucesso, até que a Brahma comprou e descontinuou a fabricação, a família Fratelli não se importou e a marca sumiu, mas isso é caso para outro SSQFA.

Vendas do Guaraná Jesus no Mercado Livre

Nesse longo tempo de sucesso, o guaraná Jesus sempre enfrentou concorrências. Nos anos 60 era o guaraná Champagne Antarctica, nos anos 80 a Jeneve chegou a ameaçar a liderança do pioneiro. Já nos anos 2000, o “Psiu Teen” entrou na concorrência com grande aceitação. O Jeneve e Psiu Teen são marcas maranhenses com a mesma coloração rosa e o sabor adocicado do guaraná com cravo e canela.

“Psiu Teen, leve, gostoso e 100% maranhense”, diz a propaganda

Em 29 de outubro de 2020, o Jesus rosinha foi comentado em rede nacional no horário nobre e virou zoação. Em visita ao Maranhão, o presidente Jair Bolsonaro bebeu o famoso guaraná do estado e fez um comentário: “Agora eu virei boiola igual maranhense, é isso? Olha o guaraná cor de rosa do Maranhão. Quem toma esse guaraná vira maranhense”.

10 pensou em “O “JESUS” DE SUCESSO CRIADO POR UM ATEU

  1. Dá um orgulho da porra ser conterrâneo desse macho. Cabra bom. Interessante o resgate e a informação. Fico surpreso a família Sarney não ter mijado no sistema de produção.

  2. Grande Mauricio. Eu li em algumas postagens q essa fabrica da Coca Cola é dos Sarney, mas nao vi essa informação em nenhuma fonte confiável. Em PE dizem q a Progresso é de Marco Maciel, mas nao é verdade.

    Obrigado pelo comentário eligioso, melhor ainda vindo de um escritor de mao cheia como vc.

    • Taquipariu… falei cedo demais. Tem muita crendice mesmo. O caso da Progresso é antigo, como a Itapemirim de Roberto Carlos. Os Sarney são donos de tudo lá. Estado fudido da porra. IDH 0,639, o segundo pior do Brasil. Renda per capita R$ 636,00, IDEB 3,7. Uma população de 7,114 milhões e somente 7% possuem plano de saúde privado. Quero aproveitar: pedi informações ao DPF sobre o registro de armas no Brasil. Não sei se os caras vão liberar, mas se souberes onde posso pegar isso, manda. abs

  3. Muito legal a matéria, parceiro, George, mas, pensei que a família era Vita. Cheguei a beber com Miguel Vita, na Fernandes Vieira, Boa Vista… E dei umas baforadas, de arrego, no cohiba do velho, Miguel.

    • Pariceiro, tem um grupo de zap Fratelli Vita, que eu participo. O pessoal resgatava histórias sobre o refrigerante, a família, teve gente até que falou numa volta…

      • Bem lembrado VBP.

        Quanto a Lula,além de ter uma personalidade ralé é um mais um psicopata
        solto em Sucupira.

        PS-Lula deveria fazer psicanálise de grupo. Ele no meio e 20 psicanalistas
        em volta.

        PS2-Quanto ao alcoolismo de Lula,somente um transplante de fígado resolve.

        PS3-Tem um livro de leitura imperdível: PONEROLOGIA-Psicopatas no poder.

Deixe uma resposta