A PALAVRA DO EDITOR

Ontem, quarta-feira, dia 8 de setembro, foi um dia especial pra esta gazeta escrota.

Segundo registrou o nosso sistema de edição, ultrapassamos os 6.000 acessos.

Um salto excelente e que está acima da nossa média diária normal.

Num é nada, num é nada e, no final das contas, é coisa que só a peste pra um jornaleco safado, editado amadoristicamente, sem qualquer verba pública ou privada, e que é bancado unicamente com as doações dos seus leitores e colunistas.

Tem gente demais nesse mundo curtindo e frequentando este ambiente sórdido!

Vôte!

Gratíssimo a todos do fundo do coração, meus estimados leitores.

A força de vocês é que nos empurra pra frente.

E nos ajudem a aumentar estes números espalhando, propalando e divulgando o JBF.

4 pensou em “O JBF AVUANDO NOS ARES

  1. Escreve o editor-chefe: Tem gente demais nesse mundo curtindo e frequentando este ambiente sórdido!

    Eis o que diz a concorrência sobre o mais gabaritado jornal do Universo:
    “A coisa mais cretina”, diz o NYT; “mais desqualificado informativo”, diz o Der Spiegel; “um amontoado de sandices”, diz o Finacial Times. Isto e muito mais é o nosso JBF.

    Talvez George Bernard Shaw assim definisse quem entra (acessa) o JBF e está cheio de ideias na cabeça: Se você tem uma maçã e eu tenho outra; e nós trocamos as maçãs, então cada um terá sua maçã. Mas se você tem uma idéia e eu tenho outra, e nós as trocamos; então cada um terá duas idéias.

  2. Pingback: TEM GRUDE | JORNAL DA BESTA FUBANA

Deixe uma resposta para Sancho Pança Cancelar resposta