O GOVERNO QUER, A JUSTIÇA PROÍBE

Li muita gritaria na internet por conta de uma decisão da justiça proibindo a prefeitura do Rio de Janeiro de bancar um show de uma cantora gospel no final do ano. Meu pitaco à respeito é de que concordo com a decisão, por três motivos que explicarei em ordem de importância:

1 – Tá certo que todo mundo gosta de acreditar que governo é algo que dá coisas de graça para nós. Mas governo pagar show já é um pouco demais. Para mim, governos deviam se contentar em cuidar de infra-estrutura e segurança pública, que já seria muito. (sei que muitos fingem que o governo dá saúde e educação de graça, mas isso é assunto para outro dia)

2 – Se de forma genérica já é absurdo um governo usar nossos impostos para pagar festa para alguns, imagine um governo quebrado como a prefeitura do Rio, que na semana passada avisou que estava suspendendo os pagamentos dos funcionários por falta de dinheiro. É como um sujeito que esta sendo despejado por não pagar o aluguel convidar os vizinhos para um churrasco.

3 – Por último, tem o conceito do Estado Laico. Governos não podem e não devem se misturar com religiões. A humanidade penou por séculos até aprender isso. Governo e Religião seguem princípios e conceitos diferentes. Juntar os dois acaba em guerra ou em ditadura (e muitas vezes os dois juntos). E antes que digam que “na democracia é a maioria que manda”: não, na democracia a maioria não pode se beneficiar às custas da minoria, ou conceder-se regalias que as minorias não têm. Numa democracia, a maioria elege os governantes, mas se estes governantes privilegiam uma parte da sociedade às custas de outra, isso não é democracia, é ditadura disfarçada. Leis devem valer para todos.

Este conceito é bastante falado, mas nem sempre lembrado na prática, porque nossa sociedade costuma confundir o conceito de “certo e errado” com “se é bom para mim, danem-se os outros”. Por exemplo: esta semana a justiça também suspendeu a decisão do presidente de acabar com o DPVAT (o seguro obrigatório dos veículos). Não duvido nada que muita gente que reclamou no caso do show, acusando a justiça de “intrometer-se no governo”, elogiou quando a justiça fez exatamente o mesmo no caso do DPVAT.

10 pensou em “O GOVERNO QUER, A JUSTIÇA PROÍBE

  1. Acho que o final não está certo. Eu fiquei puto que a justiça se meteu suspendendo a MP sobre o DPVAT a pedido do senadorzinho Randolfe do partideco da dona Marina. Achei certo suspender o show da cantora pelos motivos apontados em seu texto.

    • Tarcísio, “muita gente” não é todo mundo, é só uma parte. Alguns, se preferir. Não sei a quantidade certa, mas sei que existem, infelizmente.

  2. Ok … dinheiro público só para financiar cantores alinhados com a religião da ATEA, os cantores cristãos podem ser discriminados à vontade.

    • Policarpo, você não entendeu nada. Tente estudar a obra de Paulo Freire, dizem que melhora a capacidade de interpretação de texto.

  3. Marcelo, pra mim, por ordem de importância deveria ser o 3 em primeiro lugar. O estado não é o local pra se pregar religião. Por isso, entendo que os gastos com o show deveriam ser de natureza privada.
    Agora, o governo precisa investir além da infraestrutura. O lazer, a cultura, a arte, deveriam ser objetos de análise.

    • Maurício, você sabe que eu conto com a tolerância e a compreensão do público e dos colunistas aqui do JBF para meus radicalismos.

      Por exemplo, quando ouço “governo”, “cultura” e “arte” na mesma frase, não consigo deixar de pensar em Stalin, Hitler, Mussolini, Leni Riefenstahl, Sartre, Gorki….

      • Stalin, Hitler, Mussolini é a mesma coisa que governo, governo, governo. A cultura se resumia a música, como Wagner que era preferido do nazismo. O Japão está incentivando o lazer porque precisa incentivar o consumo. Cultura e arte são atrativos para o turismo, por exemplo.

  4. Mestre Bertolucci.

    Concordo com o senhor em quase tudo.

    Só discordo que o gasto seja proibido por tratar-se de cantora evangélica, outros governos promoveram outros shows com padres cantores e apologistas das mais variadas causas sem serem incomodados.

    Em minha opinião o governo não deveria gastar dinheiro do povo em nenhum tipo de show popular.

    Quem quiser que compre ingresso e vá assistir. Não tem dinheiro? Fique em casa.

    Simples assim!

  5. Infelizmente, nosso país esta deixando de ser laico, vem aí ministro da STF, terrivelmente evangélico . Um novo partido,que suas inscrições serão conduzidas por pastores evangélicos. Já estamos divididos por ideologia e, agora, possivelmente, ficaremos divididos pela religião.Futuro sombrio, Marcelo.

Deixe uma resposta