O FORTE DOS REIS MAGOS

O Dia de Reis, segundo a tradição cristã, seria aquele em que Jesus Cristo, recém-nascido, recebera a visita de três reis magos do oriente – Melchior, Gaspar e Baltazar – na noite do dia 5 de janeiro e madrugada do dia 6, a qual ficou conhecida como “Noite de Reis”.

A data marca, para os católicos, o dia para veneração aos Reis Magos, obedecendo tradição surgida no século XVIII. Nessa data encerram-se os festejos natalícios, e dita o momento para desarmar presépios e retirar enfeites atinentes à época.

Até 53 atrás o Dia de Reis era feriado nacional no Brasil, compondo com o Natal e o Ano Novo os três estágios das festas natalinas. Em 1967, nova legislação nacional suspendeu inúmeros feriados e facultativos, abrangendo o Dia de Reis e outros cinco dias santos.

Fortaleza dos Reis Magos

Em Natal, a data permaneceu como feriado municipal, coincidindo com o início da construção da histórica fortaleza militar, em 6 de janeiro de 1598, que ficou conhecida por Forte dos Reis Magos, quase dois anos antes da inauguração da cidade de Natal, em 25 de dezembro de 1599.

A fortaleza é um primor de edificação tombada como patrimônio histórico e artístico nacional. A planta do forte lembra uma estrela irregular erguida em alvenaria de pedra e cal. Suas paredes sólidas foram construídas para suportar impactos de artilharia de canhões, de naus invasoras do nosso território.

As muralhas abrigavam em dois pavimentos, quartéis, depósitos, alojamentos de oficiais e subalternos, casa de comando, casa de pólvora, calabouços, vigias nas pontas da estrela, espaços estratégicos para posicionamento dos canhões e, no centro da edificação, uma capela inexplicavelmente demolida na década de 1920.

O Marco de Touros/RN

Trata-se de um dos mais formosos e bem preservados exemplares das muitas fortalezas construídas ao longo do litoral brasileiro por nossos colonizadores. O forte é o marco da capital e cartão-postal da cidade que foi fundada no mesmo dia e batizada com o nome dado à data do nascimento de Jesus Cristo: Natal.

A edificação abriga exemplares de peças da época, como canhões, plantas e fotografias históricas e guarda o marco de Touros – um dos marcos-padrão de posse colonial da terra brasileira por Portugal, datado de 7 de agosto de 1501, que para muitos historiadores representa o registro de nascimento do Brasil.

Administrado pela Fundação José Augusto, instituição ligada ao Governo do Rio Grande do Norte, o Forte dos Reis Magos está fechado ao público há mais de um ano por conta da burocracia decorrente de uma licitação.

Durante o transcorrer do período natalino turistas brasileiros e de outros países vieram conhecer o forte, porém, neca de pitibiriba. A insensibilidade do poder público não permitiu o acesso ao nosso principal monumento histórico.

Da fortaleza tem-se uma visão privilegiada da entrada da barra, na desembocadura do Rio Potengi, tal como foi avistada pelos colonizadores. Certamente, durante toda a alta estação o Forte dos Reis Magos continuará com as portas cerradas para sedentos por conhecimento e aos amantes da história do Brasil. É uma pena!

3 pensou em “O FORTE DOS REIS MAGOS

  1. O poder público nesse país é algo que desafia as mentes sensatas! Os órgãos de controle também tem sua parcela de culpa nisso porque contribuem para o péssimo funcionamento do estado. Agora, essa burocracia decorre do comportamento canalha de quem quer se aproveitar dos cofres públicos. O forte foi construído no século XVI e continua firme sob a ação da maresia. A caravela construída no governo fhc pra celebrar 500 anos de Brasil afundou entre porto seguro e Salvador

  2. Estive em Macapá, onde também há um forte interessantíssimo, e lá também é óbvio o descaso do governo pelo nosso patrimônio histórico. Estava aberto, mas a aparência de abandono era evidente.

Deixe uma resposta