GOIANO BRAGA HORTA - ARCO, TARCO E VERVA

Algumas histórias de cachorros, um, chamado Lyndon Johnson, que chorava quando ouvia Altemar Dutra cantando Vida Minha, outro, de nome Frank Sinatra, que cantava, ambos brasileiros, apesar dos nomes estrangeiros, foram contadas aqui, ao pé da fogueira, no São João do ano passado.

Os narradores juram que é verdade, como as histórias de assombração, que ninguém duvida, contadas pelos matutos sob o céu de estrelas.

Nada mais incrível, do que esses casos, acharíamos que poderia surgir, quando um novo narrador vem e assegura que tem um papagaio que canta. Não como o cão Frank Sinatra, que recebeu esse nome porque uivava desentoado, desafinado, e a referência ao grande cantor dos Blue Eyes foi feita como uma espécie de ironia, já que Frank Sinatra, o verdadeiro, era A Voz, e há quem diga que foi o melhor intérprete de todos os tempos.

Pois bem, ao pé da fogueira sentou-se um desconhecido e apresentou-se:

– Eu me chamo D. Matt. Eu possuo um papagaio que canta um grande repertório de músicas brasileiras, do samba ao pagode, e que interpreta com competência canções estrangeiras, em Inglês, Italiano, Espanhol, Alemão e Francês.

Nosso lema, na roda de fogo, é acreditar em tudo – por isso elegemos Jair Messias Bolsonaro presidente do Brasil – de modo que ninguém duvidou da mentira deslavada.

Como assim? Alguém inquiriu. Cite uma música que esse papagaio dos infernos canta, em Francês, por exemplo.

D. Matt responde na bucha:

– Ne Me Quitte Pas.

– O quê? Cabra safado! O teu papagaio canta essa música, divinamente interpretada por Maísa, por Jacques Brel, Édith Piaf…

– Canta. E posso provar.

Todos se alvoroçaram. Um cão chorar, tudo bem, não passa de um fenômeno sensível, o cachorro ouve um som e uiva. O outro cantar, também é aceitável, mais uma vez trata-se de um cachorro que como todos os cães em certas circunstâncias uivam, uns mais, outros menos afinados. Agora, vamos e venhamos, um papagaio cantar várias músicas, em diversos idiomas, e ainda por cima Ne Me Quitte Pas, vai mentir assim nos infernos!

D. Matt não se perturbou, nem mesmo quando um dos companheiros mais exaltados falou eu vou bater nesse cara.

Ele, D. Matt, afirmou:

– Por acaso, eu tenho aqui comigo uma fita cassete com uma gravação de Nat – justamente de Ne Me Quitte Pas.

– O papagaio se chama Nat King Cole?! Alguém perguntou com picardia.

– Nat Soriano, respondeu ele. E continuou dizendo que ia no carro pegar um aparelho para rodar a fita.

Nem ele se afastou e um garantiu que D. Matt não voltaria mais, tinha se escafedido, mentiroso dos diabos.

Mas, mal acabou de falar isso e lá vinha D. Matt com o toca-fitas na mão. Sentou-se, fez algum suspense, devagar pôs a fita a rodar e após alguns chiados uma voz de homem dizia: – Canta, Soriano!

A seguir, com acompanhamento e tudo (ele disse que era karaokê), Nat Soriano começou a cantar a música em Francês, com algum sotaque (pelo que D. Matt se desculpou, o papagaio aprendera essa música já adulto e não se libertara de algum acento estrangeiro).

Foi a coisa mais linda, de chorar mesmo, tinha gente ali com o coração despedaçado, alguém terminando um relacionamento, outro se sentindo desprezado, de modo que muitos lenços se molharam enquanto o papagaio Nat Soriano soltava a linda voz.

Foi no meio de toda aquela emoção que, mal acabara a música, D. Matt levantou-se dizendo eu tenho de ir e nunca mais o vimos.

Outro dia, no São João deste ano, nos reunimos de novo em frente à fogueira, rememorávamos e comentávamos o caso. É claro, ninguém acreditou que aquilo era um papagaio cantando, isso não era possível. O cara chegou num fusca velho, se tivesse um papagaio com tais qualidades estaria podre de rico.

Além do mais, alguém observou, aquilo era escritinho uma gravação de Ne Me Quitte Pas na voz de Nina Simone!

Ou seja, se Nat Soriano é mesmo um papagaio cantor, além de cantar bem é um imitador inigualável!

D. Matt, como eu disse, não mais apareceu, mas se voltar a dar as caras vai ter de trazer Nat Soriano para uma audição ao vivo.

Enquanto isso, está sendo xingado diariamente como o maior mentiroso que já apareceu por aqui.

E olha que o páreo é duro.

Seja como for, uma dúvida restou: Terá D. Matt autorização do Ibama para possuir um papagaio?

12 pensou em “O ESTRANHO E TALVEZ VERÍDICO CASO DO PAPAGAIO NAT SORIANO

  1. Prezado senhor Goiano.

    O nosso amigo d.matt pediu-me que respondesse ao vosso artigo, agradecendo
    a v ossa lembrança nos episódios caninos e papagaiados.
    O amigo d.matt está recolhido na sua quarentena e não está presentemente
    escrevendo comentários para esta Gazeta Fubânica. Ele está preferindo
    ouvir diáriamente musicas do alto astral, dando preferência as magnificas
    obras do mestre dos mestres J.Sebastian Bach, especialmente a obra prima
    inconteste ” Aria na corda Sol ” que ele usa como tira gosto, antes de enfrentar
    outras maravilhas como concertos para violinos, Cantatas e também a Ave Maria
    que o Gunot escreveu em cima de uma de suas sonatas. Aliás, Gunot não foi o único a se aproveitar de uma de suas obras, haja v ista que o nosso poeta
    Vinicius também tomou a mesma liberdade e ” compôs ” o hoje famoso
    ” O rancho das flores ” que quase sempre é citado apenas com o seu nome,
    mandando às favas a mùsica genial do mestre Bach na maravilhosa
    composição ” Jesus Alegria dos Homens “.
    Mas voltemos aos cachorros e aos papagaios.
    Nat Soriano o papagaio ,( talvez uma homenagem ao seu saudoso amigo W.Soriano, conforme ele já explicou em um dos seus comentários na coluna do Peninha, algum tempo atrás, imitava a voz da Nina Simone, como também da Maisa, isto é a platéia podia escolher o que desejava ouvir.
    Inacreditável, né ?
    Quanto a levar o Nat Soriano para uma nova audição , agora é impossivel, pois ele está treinando diáriamente uma nova composição francesa, ” Comme d’habitude ”
    no original, pois a genial versãoi americana feita pelo cantor Paul Anka, My Way
    ele deixa para agente ouvir na maravilhosa voz do Frank Sinatra .

    Ele voltará sim, mas no momento está se recolhendo porque a barra tá muio pesada
    nos comentários, estão incluindo até a mães dos comentaristas que ousão
    dizer ” Não concordo “, i.é, ninguém pode ter opinião própria, é proibido
    discordar.

    Ele manda dizer para você que continuará a comentar a sua coluna, pois ambos discordam politicamente, mas cada um respeita o direito de opinião diferente.
    d.matt , manda um grande abraço.
    Johnny Doe ,

  2. Me chame de cachorro mas não me chame de senhor, meu caro, JO, John Doe, a quién dolar, doler, dolir, dolor ou dolur, puerra.
    Para um cabra acostumado a ouvir papagaio cantar, D. Matt me surpreende quando dizes que ele está a ouvir Gunod, Bach… muito além do nível de Nat Soriano, que eu acabo de saber que se apresentava nos butecos mais fudidos da Lapa e do Beco das Garrafas, no Rio de Janeiro.
    Os comentários no Jornal da Besta Fubana não é para os fracos. Quem tem culhões se prepare para um Gonzaga, um Adônis e outros pirados por um fuzilamento, um julgamento sumário, uma torturazinha, que isso aqui não é hora do recreio não. Quem não sabe atirar não desce pro stand.
    Se as esquerdas voltarem ao poder esses caras saberão com quantos paus de arara se faz uma cadeira do dragão. Eles querem guerra porque choque no culhão dos outros é cosquinha.
    Quanto a nossas discordâncias – peço-te que transmitas a D. Matt – são coisas de comadre, a gente critica a maquiagem borrada da outra mas sai dando beijinhos, porque nós somos gente criada no amor, na cerveja, na cachaça na fluoquixetinae e no rivotril – o que tá faltando para esses extremistas ensandecidos. Além disso, um pouco de sexo uma ou duas vezes por semana, de quinze em quinze dias, ou a cada mês ou trimestre evita que a coisa suba para a cabeça, motivo pela qual receitamos tudo isso mesmo com o risco de sermos denunciados e condenados por prática ilegal da medicina safada.
    Abraço a tu, a ele e aos outros doidos de pedra que se escondem sob o manto do estoicismo.

    • Caro Goiano.
      O Nosso amigo D.matt agradece e manda recado:

      Obrigado pela sua advertência com relação aos comentaristas
      mais exaltados.. Vou me cuidar,,ou seja já estou me cuidando há algum tempo. Êle me disse que sente muito a polêmica sem
      ética que está acontecendo com o seu amigo Pinheiro. Estou ao
      lado do meu amigo, só não entro na disputa porque não é
      necessário, o Pinheiro sabe se defender muito bem e atacar ainda
      melhor. GUERRA É GUERRA. Para os amigos tudo e para os
      inimigos a justiça sem dó.

      Gostaria de corrigir, se me permite, o que saiu publicado
      como eu sendo o nobre comentarista John Doe, que também
      se recolheu depois de ser descosiderado.
      Eu sou o pequenito, Johnny Doe às suas ordens.

      PS. Quem conhece os becos fudidos da LAPA e o Beco
      das Garrafas e do “Jaga a Chave meu amor ” em Copacabana
      não se assusta com peido de camundongo,
      Ele manda dizer que garante, que este seu texto de hoje, será o texto com menos comentário de todos já publicados pelo caro
      colunista.
      Abraços .
      Johnny Doe.

      • Caríssimo Johnny Doe, caramba! Tinha me esquecido do Joga a Chave Meu Amor, ficava na Carvalho de Mendonça, em Copacabana, não? Ali, esquina com a Duvivier. Nossa, quanto tempo, pois é, quanto tempo, diria Chico.
        Quanto ao Altamir, é apenas mais um, junto a Sponholz e a tantos, que mesmo continuando fiéis a suas crenças, valores e convicções, passa a ser apedrejado pela DIREITA DOENTE, que não admite a menor crítica ao seu fanatizado e fanático líder Jair Messias Bolsonaro.
        Para esses desvairados, o Mito está sempre cloroquinicamente certo, seja transmitindo ou pegando vírus, seja protegendo sua filhotada, seja comprando o Centrão, seja adotando medidas antidemocráticas contra a imprensa, seja apoiando tácita e explicitamente golpes militares, fechamento do STF, dissolução do Congresso, enfim, mesmo quando faz porcaria seu deles líder está sempre corretíssimo – talvez (e aqui sou eu que falo por mim) porque essa seja mesmo a ideologia dele e de todos os que o seguem.
        Boi é boi, boiada é boiada, mãe é mãe e o resto é tudo vaca.
        Abraços e beijos na tua bunda e na de D. Matt (diz a ele que um fiscal do Ibama me telefonou querendo saber sobre o papagaio).

  3. Escreve o parisino: Quem tem culhões se prepare para um Gonzaga, um Goiano, um Adônis e outros pirados por um fuzilamento, um julgamento sumário, uma torturazinha, que isso aqui não é hora do recreio não. Quem não sabe atirar não desce pro stand.

    Conforme veiculado um trecho de fala de famosa estrela da esquerda no 2° Congresso Nacional do CSP Conlutas no ano de 2015, ao debater sobre o avanço do conservadorismo no Brasil, que recitou o poema “Perguntas a um homem bom” de Bertolt Brecht para confrontar pessoas que seriam de direita. O poema afirma que deve-se oferecer a essas pessoas “um bom paredão, onde vamos colocá-los em frente a uma boa espingarda, com uma boa bala, e vamos oferecer depois uma boa pá e uma boa cova”. Pura retórica? Ou apenas o futuro que aguarda os conservadores?

    O conservador e direitista Sancho, um cara que ama o esquerdista Goiano, espera, que seja apenas bravata o tal paredón…

    • A famosa estrela, meu caro Pancho, foi o Mauro Iasi, cujo o qual, debatendo essa porra de avanço do conservadorismo no Brasil,disse que aos defensores do CAPITAL deveria ser “oferecido” “um bom paredão, onde vamos colocá-los em frente a uma boa espingarda, com uma boa bala, e vamos oferecer depois uma boa pá e uma boa cova”.
      Caberia inteirinho na boca de Adônis. só que, porém, todavia, contudo, referindo-se aos seus opositores esquerdistas.

      .

  4. Com a situação dominada e sabendo que o Grande Dragão ganhou a parada o nosso articulista dedica-se a amenidades.
    Fico feliz.
    Sinal de fígado em ordem e a mente serena.
    Saúde e felicidade coisas que Deus deixou no mundo também.

  5. Caramba, Saniasin, segundo o Apocalipse, o grande Dragão foi excluído para sempre do Céu e é a antiga serpente chamada Diabo ou Satanás, que tem a capacidade de enganar o mundo inteiro!
    A quem te referes?!
    Quanto às amenidades, não caem bem no aguerrido Jornal da Besta Fubana: Johnny Doe profetizou a esse respeito: “este seu texto de hoje, será o texto com menos comentário de todos já
    publicados pelo caro colunista”.
    Deste modo, para garantir minhas gordas comissões, que são calculadas também sobre a quantidade de comentários amealhados, devo voltar a sentar a pua em Jair Messias Bolsonaro e Seus Rachadinhos. Eles me rendem pra mais de uma porrada de cada vez.

    • O “grande dragão” é o reino de Chin…

      Esse antagonismo entre o setor financeiro e o produtivo não é de hoje mas, no momento atual. se agudiza.
      A china encontrou um meio termo entre comunismo e capitalismo e entre esses dois setores. A custa de muito sangue, mortes, extinção dos planos quinquenais, coletivização forçada e outras obsolências do socialismo, porém ela está vencendo a parada, até agora.

      Aqui eu gostaria de apor o interessante comentário do personagem Naphta (A Montanha Mágica de Thomas Mann) a esse respeito quando da primeira reunião que tiveram no gabinete de Naphta, mas é muito extenso.

      Esse livro foi escrito no início do século XX e a coisa continua igual. kkkk!
      Não há mesmo nada de novo sob o sol!

  6. Extemporaneamente, e para aumentar o número de comentários, devo aduzir minha visão a respeito de papagaios e piadas de papagaio que gostaria de postar aqui. Isso pensado, fui pesquisar na internet por
    tais piadas e foi uma papagaiada só!
    A menor contava que o papagaio vivia chamando o dono de corno. O cara se enfureceu-se e resolveu torturar a ave prendendo-a numa caixa de sapados e chutando-a pela casa toda. Ele chutava e o bicho dizia “corno”! Aí chutava de novo, até que o palrador calou-se. Pensando que ele tinha morrido o cara abriu a caixa de sapatos e o papagaio saiu de dentro meio zonzo e disse “e aí corno, onde tu estavas na hora do terremoto? Só sendo corno mesmo!
    kkkk!
    ***

Deixe uma resposta