GEORGE MASCENA - SÓ SEI QUE FOI ASSIM

Em um domingo de 1878, a igreja da Ingazeira se preparava para a primeira missa do novo pároco, o anterior tinha fugido para o Recife após muitas desavenças com o chefe político local. Já perto do início, chega um recado para que o Padre Pedro Pereira atrasasse o horário da missa, pois o Coronel Francisco Miguel tinha acabado de chegar da sua fazenda e estava “descansando o corpo e esfriando os pés das botas”, o padre não obedeceu a ordem e iniciou a celebração. Lá pras tantas, o Coronel Chico entra nervoso com seu cavalo na igreja e decreta o fim da missa. O Padre Pedro Pereira, que havia sido transferido de Afogados, não aceitou a desfeita e retornou imediatamente para o então povoado.

Evolução cronológica das divisões políticas do Vale do Pajeú:

Ingazeira é uma simpática cidade do Pajeú, encravada em uma ótima localização, pois fica no centro das três maiores cidades do Alto Pajeú: Afogados, Tabira e São José, porém recebeu essa maldição do Padre Pedro, que ao sair da cidade para Afogados tirou os sapatos batendo-os um no outro para retirar toda a terra do solo ingazeirense. Na verdade o Padre Pedro possuía terras e gado em Afogados, na época povoado de Ingazeira, e não aceitou com muita boa vontade a mudança de cidade, e na primeira oportunidade transferiu a sede da paróquia para Afogados. O Coronel não gostou da mudança e passou a saquear a feira de Afogados, afugentando a população, que passou a frequentar as feiras do Espírito Santo (hoje Tabira) ou Bom Jesus (Tuparetama). Um fato interessante é que Tuparetama, Tabira e Afogados já pertenceram a Ingazeira e vice-versa, Tabira quando se desmembrou de Afogados levou Ingazeira e Tuparetama no seu território, posteriormente Tuparetama se desmembrou de Tabira e ficou com o distrito de Ingazeira que foi emancipada no ano seguinte.

Adolfo Rosa Meia-Noite e festa da 2ª emancipação política da cidade em 20/03/1963

O Tenente Coronel Francisco Miguel de Siqueira, mais conhecido por Coronel Chico tinha sua fazenda perto de Varas (hoje Jabitacá) e comandava a região com mão de ferro, expulsava e desapropriava injustamente pequenos agricultores, derrubando suas casas, aqueles que reagissem eram humilhados pelos jagunços liderados pelo cangaceiro Adolpho Meia-Noite. Ele não gostava que a missa começasse antes da sua chegada na igreja, mas sempre atrasava, o Padre Vasco Cabral d´Algonez fora varias vezes humilhado em frente aos fiéis pelo coronel, não aguentando esta situação fugiu para o Recife e não mais voltou para a Ingazeira, que ficou sem padre até a chegada do Padre Pedro Pereira.

Matriz de São José e entrada da cidade pela PE-283 (Fotos Osmano Mascena)

Com esse amaldiçoamento do Padre Pedro à Ingazeira, a cidade começou com uma onda de azar. Em 1878 o coronel Chico saqueou a feira de Afogados da Ingazeira e no retorno para casa cai do cavalo, quebra a clavícula que causa uma grande hemorragia e morre, no ano seguinte a sede da paróquia é transferida em definitivo para Afogados, depois desta data a cidade não se desenvolveu mais, tudo por culpa da praga jogada pelo Padre. A fama de valentia de alguns ingazeirenses também afastou investimentos e esvaziou a feira, que já foi uma das maiores da região, mas estes fatos não convencem aos moradores da Ingazeira, que culpam as más administrações sucessivas que ocorreram naquela freguesia como principal fator de estagnamento da cidade, que já teve mais de 7 mil habitantes há 150 anos e hoje conta com menos de 5 mil e leva o título da cidade menos populosa do Pernambuco continental.

Deixe uma resposta