RODRIGO CONSTANTINO

O amor venceu e o Brasil voltou! Junto, trouxe o velho e conhecido apagão. Um “gabinete de crise” foi criado, pois é preciso mostrar que algo está sendo feito. Mas a realidade está às claras (ou melhor, no escuro): vários estados ficaram horas sem luz.

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) informou que uma ocorrência na rede de operação do Sistema Interligado Nacional interrompeu o fornecimento de 16 mil megawatts (MW) de carga em Estados do Norte e Nordeste do Brasil, afetando também Estados do Sudeste.

Acontece… Se fosse só isso, não haveria motivo para pânico. Mas não é só isso. Nem de perto. A economia travou, “pisou no freio” no segundo trimestre, segundo cálculo do Banco Central. O Ibovespa experimentou dez quedas consecutivas, algo que não acontecia desde a década de 1980. “Ninguém come Ibovespa”, podem voltar a repetir os petistas que até ontem vibravam com a aparente tranquilidade dos mercados.

A Petrobras, que vai voltar a investir em projetos ideológicos e corruptos e não mais priorizar dividendos aos acionistas, anunciou aumento de preço na refinaria. A gasolina terá uma alta de 16,2%. No caso do diesel, o preço médio subirá R$ 0,78 por litro, de R$ 3,02 para R$ 3,80, um aumento de 25,8%. Machuca o bolso, claro, mas é com amor…

Dava para continuar mostrando indicadores preocupantes da economia por um bom tempo, ou falar do prognóstico nada alvissareiro do que vem por aí. E isso seria “apenas” o lado econômico, aquele que pega no bolso de quem esperava chuva de picanha. Pois ainda é preciso falar do autoritarismo, da corrupção, do esgarçamento moral, da bandidolatria, da tarefa hercúlea de criar filhos com bússola moral numa nação em que o crime compensa etc.

Quando observamos o que se passa no Brasil é irresistível o sentimento de que essa gente merece o que está por vir. Fato: quem fez o L merece mesmo se ferrar, pois estupidez deveria ter um limite. Ninguém pode fingir que não sabia quem era Lula e o que pretendia o seu PT. Mas dureza é ferrar com o restante do povo junto, com a turma patriota que sabia muito bem o que significava a “volta do ladrão à cena do crime”.

Não dá para desejar o pior nunca, nem por pragmatismo para prejudicar o desgoverno, nem pelo fator pedagógico dos eleitores idiotas, nem mesmo pelo desejo de vingança para com tucanos abestalhados. O povo não merece tal sofrimento. É por isso que temos sempre de torcer pelo melhor.

E o avanço da direita liberal na Argentina pode significar uma luz de esperança em meio a este apagão comunista. A esquerda destrói tudo, mas enquanto não for “game over” como em Cuba, na Venezuela ou na Nicarágua, podemos ter a esperança de reverter o quadro.

É verdade que na Argentina o voto é impresso, e que não há um Alejandro de Moraes no comando de todo o processo eleitoral. Não obstante, sonhar não custa nada. Se los hermanos poderão dar um ponta pé nos lulistas deles, então os brasileiros também serão capazes de fazer isso em breve. O apagão, moral acima de tudo, há de passar um dia…

Um comentário em “O BRASIL VOLTOU… E O APAGÃO TAMBÉM!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *