ARISTEU BEZERRA - CULTURA POPULAR

Oliveira de Panelas, grande cantador repentista nordestino

* * *

Cristo foi crucificado
Em meio mil agressões
Porém por sorte morreu
Somente entre dois ladrões,
Se fosse hoje, na certa,
Seriam muitos milhões.

Oliveira de Panelas

O que eu tenho é esta casa
Que eu herdei do meu pai
É a chuva vem não vem,
É a casa vai não vai;
Todo dia eu boto barro,
Toda noite o barro cai!

Luiz de Campos (1939 – 2013)

Eu sou feliz porque vivo
Cantar verso sem quebranto
Sou feliz por ser poeta
Isso aí eu lhe garanto
Sílvio Santos tem dinheiro
E não canta o tanto que eu canto.

Geraldo Amâncio

Coisa ruim de fazer
É dirigir sem para-brisa
Entrar no xote com os filhos
Levando a carteira lisa
Amansar mulher valente
Que achou batom na camisa.

Rogério Menezes

Eu sou tão analfabeto,
Que nem sei dizer o tanto;
Vendo um lápis, tenho medo;
Vendo um caderno, me espanto,
Mas, quando um jumento rincha,
Eu penso um poema e canto.

Onésimo Maia (1951 – 2001)

Deixe uma resposta