J.R. GUZZO

Acabam de sair os números do primeiro quadrimestre de 2021 e o resultado, como em geral acontece quando se trata deste setor, foi mais uma grande notícia: de janeiro a abril do corrente ano, a geração de empregos formais na agropecuária do Brasil foi a maior dos últimos dez anos. É uma informação que revela a força extraordinária do agro nacional. Em plena desgraça geral da economia, com o país e o resto do mundo em estado de falência geral por conta das devastações da Covid, a agricultura e a pecuária não apenas mantiveram a situação de destaque que já tinham. Melhoraram, e muito – não se gerava tanto emprego na área desde 2011.

Foram mais de 70.000 novos postos de trabalho a mais, em comparação com o total dos primeiros quatro meses de 2020 – cerca de 11.000 só em abril – o triplo, por sinal, das vagas abertas em março. Neste momento, espelhando o que acontece na área do emprego, o agro brasileiro bate recorde sobre recorde. Nunca exportou tanta carne como em 2021, em todas as suas categorias, e registra avanços importantes na soja, sua principal cultura de exportação.

Enquanto o Senado deprava mais uma vez as suas funções, e faz uma CPI sobre a Covid onde o presidente teve a própria mulher presa por corrupção na área da saúde e o relator responde a nove processos por ladroagem geral, os números do emprego do agro em 2021 são um tapa na cara do submundo da política brasileira. Os parasitas, safados e ladrões, mais uma vez, falsificam a realidade e mentem para o público, em meio à admiração geral da mídia. O Brasil que trabalha, e sustenta todos eles, vai adiante.

A sociedade brasileira, possivelmente, tem musculatura e repertório para conviver com a mentira, a corrupção e a incompetência de todos os dias – mas fica cada vez mais claro, número após número, que não resistiria à destruição do seu agronegócio. É o que prega, todos os dias, a turma que age no circuito da reforma agrária, fim da “monocultura”, zoneamento rural ecológico, denúncia dos “agrotóxicos”, agricultura familiar etc. etc. etc. Sua preocupação é o sucesso cada vez maior do capitalismo na agropecuária do Brasil. Seu sonho é fazer por aqui o que se faz na Argentina.

O agronegócio é a única atividade realmente bem-sucedida, em grande escala, da economia brasileira. É a única onde o Brasil é realmente competitivo no mercado internacional. É a única em que a tecnologia põe o país na mesma corrida das grandes nações do mundo. É a única capaz de assegurar a independência cambial do Brasil. É a única esperança de uma sociedade moderna neste país. É tudo o que existe de mais sério nas realidades brasileiras do século XXI. Tem de ficar a salvo do Senado, do Supremo Tribunal Federal, dos políticos e de todo o movimento que aposta diretamente no atraso.

10 pensou em “O AGRONEGÓCIO SALVA O BRASIL, MAS TEM DE SER SALVO DOS POLÍTICOS

  1. Outro dia teve um “isento” aqui que disse que o nosso agro vai bem apesar do Governo e que este, o governo não produz um grão de soja, milho, ou um kg de carne.

    O governo tem oferecido pesquisa através da EMBRAPA, crédito, escoamento, facilidade de exportação e não tem interferido nos negócios da porteira para dentro.

    Querem ver o desastre onde um governo de esquerda intervém no Agro? Mirem a Argentina, que daqui a não muito tempo estará importando carne, assim como a Venezuela importa gasolina.

    • VOCÊ NÃO ENTENDEU NADA, O AGRONEGÓCIO NÃO PRECISA DO GOVERNO. O GOVERNO PRECISA DO AGRONEGÓCIO.
      (O nosso governo tem sido muito menos competente do que a iniciativa privada na comunicação do nosso Brasil lá fora, principalmente do Brasil agro”, afirmou ele, durante Congresso Brasileiro do Agronegócio, realizado de forma online.
      Segundo ele, a “exceção” nesse processo tem sido a ministra da Agricultura, Tereza Cristina.
      Para Freitas, a ministra “tem sido uma gigante na habilidade inclusive de contornar problemas que o governo causa na comunicação externa”.
      presidente da Organização das Cooperativas do Brasil (OCB), Márcio Lopes de Freitas)
      “O agronegócio brasileiro está ameaçado por conta da política externa do governo Jair Bolsonaro, afirma o cientista político e pesquisador da Universidade Harvard Hussein Kalout. Kalout diz que os estragos só não são maiores porque o setor agropecuário tem sido capaz de se opor e reagir às decisões mais prejudiciais, forçando recuos importantes para a diplomacia.
      “O mercado agropecuário é altamente competitivo e baseado em confiança. Se você perde espaço, não recupera tão fácil. E quem são os nossos principais concorrentes? Europa e EUA. Se o governo brasileiro começa a abrir lacunas no mercado por questões ideológicas, vai acabar destruindo o nosso setor do agrobusiness, que é o mais desenvolvido do mundo”, explica o pesquisador à coluna do Uol”
      De acordo com João Francisco, o agronegócio brasileiro não existia até o Capitão Bolsonaro dar a ordem para ele existir. O seu desconhecimento sobre os negócios nessa área o leva a falar de Embrapa, que foi uma ação importante no século passado. Hoje, se privatizarem essa empresa, é capaz de não aparecer comprador. A Embrapa ficou no passado.
      O CEO de uma das maiores empresas que produz soja, algodão e milho com tecnologia de ponta, perguntado se teria interesse na privatização da Embrapa, não mostrou nenhum interesse e educadamente deu a entender que EMBRAPA já era.

      Segundo João Francisco, se não existisse Bolsonaro, não existiria o agronegócio no Brasil. Parabéns!
      Você tem certeza que não foi Bolsonaro que criou o mundo em 7 dias?
      Sei que é apaixonado por Bolsonaro e eu não tenho nada com as suas preferências pessoais, mas deveriam parar de repetir asneiras que os bolsominions espalham na grande rede.
      Esse cidadão Guzzo quer transferir os erros do executivo para o legislativo (que também é péssimo) apenas para confundir.

      • “Segundo João Francisco, se não existisse Bolsonaro, não existiria o agronegócio no Brasil. Parabéns! Você tem certeza que não foi Bolsonaro que criou o mundo em 7 dias?
        Sei que é apaixonado por Bolsonaro e eu não tenho nada com as suas preferências pessoais, mas deveriam parar de repetir asneiras que os bolsominions espalham na grande rede.”

        C. Eduardo, eu gosto de frequentar este espaço como um lugar de debates. Nunca me coloquei como dono da verdade, apenas tento colocar bons argumentos.

        Como v. não consegue contestar meus argumentos com fatos, parte para colocar palavras em minha boca ou mesmo tentar me desqualificar. Não entende que fazendo isso é v. que se desqualifica,

        Eu só não entendo para que tanto ódio contra o atual governo, contra Bolsonaro. Se v. acompanha meus comentários aqui sabe o que penso a respeito dele e qual meu pensamento da situação atual.

        Qual parte do que eu falei que o atual governo é o que mais está fazendo para destravar a infra estrutura da porteira para fora, coisa que sempre foi o problema do AGRO brasileiro?

        Hoje o Brasil não tem concorrentes para seu agro, nem EUA (que já atingiu o Limite de produção, nem a UE, que vive de altos subsídios e não produz nem para seu consumo.

        Por isso insistem em combater nossa produção com falácias da Amazônia.

        Quanto à Embrapa, mais desinformação de sua parte. Ela não pode estar ligada a uma empresa particular, por sua posição estratégica na agro do BR. Os EUA também tem sua empresa de pesquisa governamental a ARS – Agriculture Research Service, que faz alguns trabalhos em parceria com a nossa Embrapa. Pesquise mais no site da Embrapa, antes de passar desinformações.

        C. Eduardo, eu espero que v. deixe de lado seu ódio ao país e enxergue as coisas boas que estão acontecendo. Tá às mil maravilhas? Evidente que não, mas eu não vejo outro governo, mesmo do Amoedo, Gentili ou Huck (sua 3ª via) que poderia fazer melhorar.

        Fique com Deus

        • Correção no comentário acima.

          Qual parte v. não entendeu do que eu falei que o atual governo é o que mais está fazendo para destravar a infra estrutura da porteira para fora, coisa que sempre foi o problema do AGRO brasileiro?

          Este parágrafo faz mais sentido no lugar do que está no comentário acima

        • Essa foi a parte mais divertida do seu comentário. Como se você estivesse sempre com dados precisos sobre o que fala. A última foi que o Brasil iria crescer mais do que a média mundial.
          Os argumentos mais forte são: Bolsonaro é melhor do que Lulla, o Brasil está melhor do que a Argentina, Venezuela. Pra quem se contenta com tão pouco, deve estar bom.
          Aqui todos são apaixonadíssimos por Bolsonaro, cegos de paixão.
          Respeito o amor de vocês.

          • C. Eduardo, até o final deste governo, estarão operacionais as ferrovias norte-sul e leste-oeste.

            A ferrovia Ferrogrão, com quase mil km irá ligar a região produtora do Centro Oeste de Sinop ao porto de Miritituba no PA vai escoar 25 mi de toneladas de grãos e irá baixar 30% o custo do frete do grão produzido naquela região.

            Atualmente o projeto está parado, graças a uma intervenção do Psol junto ao Ministro Alexandre de Moraes do STF, que, do nada e sem justificativa viável nenhuma, deu uma liminar parando tudo.

            Este é o Brasil do atraso, que precisa ser parado.

            Quanto à paixão “de todos aqui” por Bolsonaro, ela é diretamente proporcional ao ódio que v. nutre por ele.

  2. Agora eu pergunto, e nos 14 anos de domínio do partido do trambique (PT) o que eles produziram? Roubalheira, safadeza a perder de vista, e aí? Parafraseando a repórter da globolixo, o choro é livre!

    • E eu pergunto: O que tem a ver o cós com as calças?

      Os bolsominions gostam de comparar o Brasil de Bolsonaro com o que existe de pior no mundo. Esse é o grande problema. João Francisco chegou a brilhante conclusão de que o Brasil de hoje é melhor do que Argentina e Venezuela.
      Que bom que estamos um pouco melhor do que eles. Nem tanto não é?

      • Chamar JF de bolsominion é tão sem sentido, tão fora de contexto, tão esquerdista…

        JF e Jf são dois caras que patrioticamente defendem ideias e ideais conservadores neste JBF, o que é muito diferente de idolatria a político.

        Insisto sempre: Jair Bolsonaro é social-democrata, pois suas ações governamentais estão muito próximas do que fazem os tucanos por onde passam. Exemplifico: poderia ter mandado projeto para privatizar todas as estatais e não o fez, INSISTINDO, por exemplo, em manter Caixa e BB (governo administrar banco?).

        O grande mérito bolsonarístico é a paula conservadora, o liberal PG e alguns minisros top, cmo Tereza Cristina, Damares, Salles, etc, etc, etc…

        Como a tal terceira via nos trará os mesmos de 2018, alguns governadores, alguns “artistas”, talvez alguns ex-ministros defenestrados, alguns apresentadores de tv, FICO com o Jair para 2022.

  3. Para os comedores e que mamavam nas tetas dos mais honestos do mundo, isso está muito pior que Argentina, Venezuela, Cuba, não se preocupem, vão morrerem de fome, até 2026 a abstenção farão figuras rangerem os dentes!

Deixe uma resposta