1 pensou em “NÚMEROS PRO CEGUINHO TEIMOSO DESMENTIR

  1. Caro Ministro Paulo Guedes, Editor Berto e leitores fubânicos:
    HÁ ARGUMENTOS contra esses fatos, porque é preciso usar os dados com correspondência.
    O senhor, ministro, usa os dados a seu prazer sexual, pois toma o primeiro ano do governo de Jair Bolsonaro, ainda por terminar (faltam dois meses) e pega o quinto ano do governo da Dilma, bem no olho do furacão.
    PODE ISSO, ARNALDO?
    Na verdade, mesmo pegando dados relativos, de ano cheio, em rápida busca na Internet, nos deparamos com números completamente diferentes dos expostos por Vossa Excelência, se consideramos o primeiro ano dos governos de Dilma Roussef (não sabemos se Jair Bolsonaro terá um segundo mandato);
    Vejamos, então, que os dados correspondentes são mais ou menos os seguintes:
    DILMA ROUSSEF
    Inflação não 10,67, mas………….6,50
    Taxa juros, não 14,25, mas……11,50
    Ibovespa, não 38 mil, mas…..56.754
    Risco Brasil não 533, mas……….177
    MAS O SENHOR MINISTRO DEIXOU DE INCLUIR DADOS que não favoreceriam seus argumentos contra os fatos, como o dólar, que em 2011 nem chegou aos dois reais e atualmente anda ultrapassando os quatro.
    TAMBÉM NÃO É MUITO TÉCNICO, Excelência, fazer comparações tão simplórias da economia.
    O senhor não quis falar também do desemprego.
    O que achas das taxas atuais e das de 2011?
    Em 2011, o Brasil fechou o ano com a menor taxa de desemprego da série histórica, iniciada em 2002. Taxa ficou em 6% inferior em 0,8 ponto percentual à observada em 2010 (6,7%). Em oito anos, o índice caiu pela metade, uma vez que em 2003 estava em 12,4%.
    Fonte: Economia – iG @ https://economia.ig.com.br/brasil-fecha-2011-com-desemprego-em-6/n1597599136250.html
    Quer tuitar, véi, tuíta direito, tá no ré? Se não a barba cresce.

Deixe uma resposta