DEU NO JORNAL

Relatório entregue pela Polícia Federal ao STF nesta quarta-feira (2) inclui uma troca de mensagens inédita, por telefone, entre Jair Bolsonaro e o ainda ministro da Justiça, Sergio Moro.

Na tarde do dia 12 de abril, o presidente encaminhou ao ministro cópia de uma reportagem publicada pelo jornal “Valor Econômico”, na qual Moro aparece dizendo que a polícia poderia impor coercitivamente medidas de isolamento social e quarentena na crise da Covid-19.

A reação de Bolsonaro foi furiosa:

“Se esta matéria for verdadeira: Todos os ministros, caso queira [sic] contrariar o PR [presidente da República], pode fazê-lo, mas tenha dignidade para se demitir. Aberto para a imprensa”.

* * *

Num intendi…

Essa notícia aí de cima diz que a reação de Bolsonaro “foi furiosa

Acho que isso é falso.

Eu nunca vi o presidente ficar furioso, dando coices ou esculhambando alguém.

Ele está sempre calminho, gentil e educado.

É só perguntar pros jornalisteiros da Folha e do Globo.

2 pensou em “NUM ACREDITO

  1. Utilizando-me do vocábulo de um V. Urubuscência, atual “decago” do Supremo Tolête Fedegoso, Serginho Morno é um político NATIMORTO que pensa em FUSTIGAR a república por tweets.

  2. Vamos lá. Quem escolhe e nomeia ministro é o presidente da república. Da mesma maneira quem “desescolhe” e “desnomeia” é tambem o presidente. Uma simples questão de prerrogativa implicita e explicita. O presidente tambem pode aliviar pro ministro que está na pica do saci. Dá a chance do sujeito pedir pra sair…fica menos feio. E serginho morno tem voz de buzina de sorveteiro.

Deixe uma resposta