CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

Sr. Editor,

vendo as mais variadas manifestações saídas da boca de seres ditos pensantes, que fazem corar os absurdos do poeta Zé Limeira, coroadas de encômios tão absurdos quanto, percebi que Bocage já lhes tinha dado a resposta:

O Macaco Declamando

Um mono, vendo-se um dia
Entre brutal multidão,
Dizem que lhe deu na cabeça
Fazer uma pregação.

Creio que seria o tema
Indigno de se tratar;
Mas isto pouco importava,
Porque o ponto era gritar.

Teve mil vivas, mil palmas,
Proferindo à boca cheia
Sentenças de quinze arrobas,
Palavras de légua e meia.

Isto acontece ao poeta,
Orador, e outros que tais;
Néscios o que entendem menos
É o que celebram mais.

Deixe uma resposta