PENINHA - DICA MUSICAL

1954 – Smile

4 pensou em “NAT KING COLE

  1. “Sorria, embora seu coração esteja doendo, sorria, mesmo que esteja partido…” A maioria das pessoas conhece a música, e muitos a conhecem como “a música que Charlie Chaplin escreveu”. Chaplin escreveu isso? Na verdade, Chaplin escreveu a música, mesmo não sendo um compositor. Muito embora Charles Chaplin tenha recebido todo o crédito da partitura musical, ele contou com o auxílio do compositor David Raksin, que salientou em uma entrevista que ele foi coautor da partitura de “Smiles”, pois escreveram juntos a música.
    “Smiles” é uma das canções mais famosas do mundo, icônica e atemporal, Michael Jackson disse muitas vezes que era sua música favorita, e ele mesmo a gravou em uma versão lindamente orquestrada. No funeral de Michael Jackson, Jermaine Jackson, irmão do cantor, fez uma homenagem explícita a Michael, colocando um par de luvas brancas com paetês, evocando Charles Chaplin, para interpretar “Smiles’, que é trilha sonora do filme Tempos Modernos de 1936.
    Nem Chaplin nem Raksin pretenderam que “Smiles” fosse usada como canção popular. Isso só aconteceu em 1954, cerca de dezoito anos depois do lançamento de Tempos Modernos, quando então “John Turner e Geoffrey Parsons” acrescentaram a letra (poesia) e título e, originalmente, Nat King Cole a gravou e repercutiu com o público em todo o mundo, obtendo um grande sucesso já em 1955. Dai pra frente, inúmeros artistas passaram a gravar “Smiles”, considerando que a melodia carrega uma mensagem profunda sobre perseverança, esperança e alegria mesmo em tempos de dificuldades. A letra enfatiza a importância de se manter uma perspectiva positiva e encontrar consolo nas simples alegrias da vida.

  2. Pingback: SORRIA, SMILES | JORNAL DA BESTA FUBANA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *