RODRIGO CONSTANTINO

O recado foi dado. E compreendido. Há crime de opinião em nosso país. Grupos em redes sociais podem virar “milícias virtuais” perigosas se algum ministro supremo assim entender. Até mesmo um jornalista pode ser preso se subir o tom nas críticas contra o arbítrio do STF. Caso ele tenha ido para um país mais livre, com receio desse tipo de perseguição, isso poderá ser encarado como fuga da Justiça, e um pedido para extraditar o “fugitivo” será acatado pela Corte Suprema, apesar de a PGR discordar.

Traduzindo de forma direta, vivemos num estado policialesco, numa “ditadura da toga”. Não há mais Estado Democrático de Direito, império das leis, até porque as leis podem ser inventadas do nada. Não há, afinal, crime de opinião em nosso sistema, tampouco o de espalhar fake news – sabe-se lá por quem definidas essas mentiras. Logo, a lei hoje é aquilo que Alexandre determina. E o tucano não gosta muito de “bolsonaristas”. Conta com a cumplicidade da imprensa para persegui-los em paz, inclusive jornalistas, que serão chamados de “blogueiros” para não despertar a necessidade de uma reação das entidades de classe.

A corda não foi esticada; ela já arrebentou. Aquela conversa entre Bolsonaro e o ministro não foi um apaziguamento, mas uma rendição, pelo visto. E isso depois de milhões tomarem as ruas justamente para defender a liberdade, a Constituição. Foi um rugido forte, de um leão acuado. Mas foi só barulho. A montanha pariu um rato. O lado de lá continuou avançando, e subindo o sarrafo. Mudou de patamar, escolheu alvos mais relevantes, demonstrou todo o seu poder ilimitado. Ninguém mais está seguro, ao menos não quem enxerga graves defeitos na postura do atual STF.

E o pior de tudo é ver a turma “liberal” aplaudindo, por não gostar do jornalista alvo do pedido bizarro de prisão. Essa gente não tem princípios, e não se dá conta de que a arma sem freios que hoje mira em seus adversários amanhã poderá se voltar contra qualquer um. O ambiente é tóxico, e a tática está produzindo o efeito desejado: aqueles independentes começam a praticar a autocensura, com medo das consequências de uma crítica mais dura.

Falo por mim. Muitos leitores elogiam minha coragem, mas não tenho vocação para mártir. Está claro que o arbítrio supremo não tem limites, e que ninguém tem como parar o homem. É por isso que decidi não mais criticar o STF. Está claro que se trata de um tribunal de exceção, de uma corte política, não constitucional. Impossibilitado de saber a priori o que configura crime ou não, já que não tenho como me calcar na Constituição ou no Código Penal, prefiro então simplesmente encerrar qualquer análise sobre o Supremo. Vou escrever sobre música, sobre culinária, sobre alienígenas.

Resolvo também só chamar os ministros de vossas excelências, ou mesmo deuses, se eles assim preferirem. Reconheço em Alexandre uma figura acima do bem e do mal, das leis, da Constituição. Admito sua vitória absoluta, assim como seu poder absoluto. E é por essa razão que comunico ao todo-poderoso que, a partir de hoje, ele tem total controle sobre a minha vida. Se Alexandre decidir que devo me tornar um vegano, adeus carne. Se Alexandre resolver que é para eu ser abstêmio, adeus vinho. Posso até ver o copo meio cheio: ao menos vou perder uns quilos…

Estou numa peregrinação espiritual que vem me aproximando mais de Deus, mas absorvi o alerta de Jesus Cristo, e saberei separar as coisas: a César o que é de César. E nosso César é Alexandre, o Grande. No Juízo Final terei um julgamento que, estou certo, será mais justo. Mas, aqui na Terra, nesta vida, abandonei as esperanças e entreguei minha liberdade ao homem mais poderoso do Brasil, quiçá do planeta. Espero apenas que Alexandre não ache ruim meu hobby de tocar bateria, pois isso seria triste de perder. Mas estou disposto a só tocar as músicas que agradam ao ministro.

De tempos em tempos lanço mão da ironia como artifício retórico, mas se Alexandre julgar isso inadequado, adeus ironia. A partir de hoje, prometo andar na linha. Qual? Difícil dizer, pois não tenho bola de cristal para inferir o que Alexandre pensa. Mas farei meu melhor para tentar antecipar seus passos e atender a suas expectativas. Reconhecer virtudes neste governo, por exemplo, está fora de cogitação. Já penso até mesmo em me filiar ao PSDB, só por precaução. Imagino que seja um ato merecedor de muitos pontos com o ministro. Se for necessário dizer uma ou duas palavras de elogio ao governador oportunista de São Paulo, tomo um Engov e digo. Alexandre é quem manda.

Tenho família para sustentar, filhos para criar e, como já disse, não tenho a menor vontade de ser mártir. Alexandre foi bem claro em transmitir seu recado. Captado, amado mestre. Diga-me o que pensar sobre cada assunto polêmico, e este será meu pensamento. Ou ao menos a minha expressão do pensamento em público. Manda quem pode; obedece quem tem juízo. Não vou mais criticar o STF ditatorial a partir de hoje.

8 pensou em “NÃO VOU MAIS CRITICAR O STF

  1. Pois é…..

    E o Rodrigo está nos EUA……

    Como sempre nosso presidente fala muito mas realmente afinou em busca da protecao ao impeachement……

    O Brasil é do Xandão e do STF…..

    Como disse nosso colunista sobre Bolsonaro ;
    “….. muita salivação e pouca ação…”

    Eu tbm desisto. Muita gritaria pela internet, muita passeata e os canalhas subiram o sarrafo……

    Que pena… !!!

    Um País tão rico, com tanto potencial e “governado” por estes estupidos, incompetentes e corruptos do STF

  2. Constantino não vai mais criticar o STF, mas baixou o sarrafo (não vou entrar no mérito) o tempo todo. O buraco é muito mais embaixo.

    O que Bolsonaro pode fazer? Ou melhor, o que Constantino espera que ele faça? Com Certeza Moraes também sabe dos riscos que corre. Ele não é tão poderoso assim.

    Vamos ver se os EUA darão a extradição do Allan. Vamos ver como serão os próximos passos do Moraes. G. Amato, um colunista do Metrópolis disse que virão novas prisões, todas de apoiadores do Bolsonaro, é claro.

    Enquanto isso o MTST espalha o terror à vontade no país. É o caos que eles querem. Vamos dar isso a eles?

    É um momento de muita reflexão e inteligência. O Bobão de Paty não demora muito estará aqui para falar: Tá vendo? Bolsonaro é um fraco! Para logo em seguida falar que ele é um populista e ditador. Contradição é sua marca.

    Constantino quer holofote, quem sabe procura por um mandato de prisão (ilegal, é claro).

    • Pois é João…..

      Constantino quer holofotes…. Ele está errado…???
      Desde sempre ???!!!

      Como JMB achava que podia, falou um monte dia 07.
      Afinou no dia 09 e os canalhas, percebendo o recuo estão montando no Brasil

      O que ele pode fazer ????

      Buscar ajuda nas Forças Armadas.

      A corrupçao está correndo solta, protegida pelo PODER Judiciário e o PODER legislativo.

      Estamos sendo ROUBADOS pelo Congresso e pelo Judiciário e sendo humilhados por esta corja da esquerda e do Sistema.

      Até o MST voltou….. mas a Força Nacional nao pode agir, impedidos pelo STF.

      Convoque pelo artigo 142 o poder moderador e assuma os riscos de as Forças Armadas estarem também aparelhadas…..

      Aí sim ou vai ou racha e fica clara a nova ditadura e pelo menos não fica esta humilhação constante por estes canalhas que nada fizeram pelo Brasil…..

      Ou voce acha que as eleições com estas Urnas nao vao reeleger Narcoumbres, Lyras, Pachecos, Jaders, Collors e Lullas da vida…..

      PS..: o problema é que pelo artigo 142 o risco é que saia todo mundo….., do Judiciário, do Congresso, e quem sabe do Executivo também…..

      • Arthur, meu caro, deixa eu te explicar uma coisa, dia 7 de setembro eu fui na Paulista e posso te dizer; Bolsonaro é quem está lá, mas quem está pedindo e assustando o Sistema são os conservadores.

        V. não faz ideia do que foi este dia 7 na Paulista e no Brasil inteiro. Foi um grito por liberdade. Não vi ninguém falar em intervenção militar. O grito foi para mandar um recado e este foi mandado. Bolsonaro era só o mensageiro.

        Vê se entende; quem manda é o povo e quem deveria receber o recado, recebeu. Não me arrependo um minuto de ter ido até lá. Gastei muito com isso. Me misturei a uma multidão. Corri riscos com a doença, mas não estava nem aí, pois o risco maior era e é o do Sistema ganhar.

        O jogo está sendo jogado e o que o Moraes está fazendo é reflexo do desespero do Sistema. Onde Bolsonaro vai, ainda atrai multidões e isso é importante, pois um recado é mandado, Ano que vem tem eleições e as coisas vão mudar. Acredite.

        • Pois é…..

          Eu tbm sou de Sao Paulo e estive em todas as manifestacoes na Paulista desde 2014…..

          Na realidade comecei minha participacao politica no Mackenzie contra a USP em 68……

          Como diz Benedita do PT, só com muito sangue para resolver esta putaria.. Naquela época, 1 morto e os comunistas foram embora…….

          Sem sangue, eu particularmente acho que estamos apenas sendo humilhados, e muito mais, o nosso presidente

          Vamos aguardar as eleições impolutas de 2022……

          “Craro”, a gente já deu o recado….

          somos uns cagões liderados por outro….

          e eles perceberam muito claramente

          • Caro Arthur, eu entendo sua indignação.

            Tudo o que alguns queriam (e o Sistema também) é que depois das megamanifestações de 7/09 Bolsonaro saísse da Paulista montado em um cavalo branco e fosse até Brasília, fechasse o STF e o Congresso colocando no lugar gente comprometida com o país. Simples assim.

            No dia seguinte sairiam manchetes no mundo inteiro dando conta que o PR praticou um golpe contra a Democracia no Brasil. A UE, os EUA e a China, além dos demais países retirariam os embaixadores para explicar o que houve. Ninguém estaria ao lado do Bolsonaro. A ONU faria menção de repúdio ao “golpe”.

            Como o mercado reagiria? Da pior maneira possível. Fuga de capitais, dólar e inflação disparando (o que ocorre hoje não é nada perto do que viria), mesmo com juros altos ninguém colocaria dinheiro nos títulos do tesouro, ao contrário.

            Resultado; a população retiraria o apoio ao presidente, pedindo a volta sabe de quem? Isso mesmo, de alguém ligado ao Sistema. Bolsonaro seria preso e os conservadores seriam sumariamente perseguidos (muito mais que hoje), jamais teriam outra chance.

            O que está sendo jogado é um xadrez em 4 D. Poucos entendem o que está por trás desta partida.

  3. Constantino sempre genial. Quem entendeu suas ironias entendeu. Quem não entendeu que leia e releia o texto.
    Só fico me perguntando por quanto tempo mais estaremos discutindo Alexandre de Moraes. O Deus dos deuses. O inatingível. O senhor do saber.
    É feio, asqueroso, hipócrita e outros tantos adjetivos mas faz e desfaz ao seu bel prazer.
    A perseguição do STF a um grupo específico já está escancarada e é ridícula mas parece não existir quem ou o que possa botar freio na turma de urubus. E já que é assim, deveríamos todos nós brasileiros de bem e do bem, ajoelhar-nos diante do supremo e aplaudir todas as suas arbitrariedades.
    Não vislumbro nenhuma outra alternativa. Cansei. Nunca pensei que o que acreditávamos ser a Justiça fosse um dia ser vilipendiada dessa maneira pelos atuais togados do STF.

    • Cara Schirley; disse Constantino:

      “Tenho família para sustentar, filhos para criar e, como já disse, não tenho a menor vontade de ser mártir”.

      Não entendi isso como ironia, pois para mim família é assunto muito sério.

Deixe uma resposta