MUITA COINCIDÊNCIA E POUCA VERGONHA

Em 2008, Lula assinou o decreto que permitiu a compra da Brasil Telecom pela Oi Telemar. Depois disso, a benfeitora de Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, passou a despejar quantias ainda mais generosas nas empresas do filho do ex-presidente. O que dizem os advogados de defesa? Coincidência.

Em 2011, Lula começou a desfrutar dos fins de semana no que a imprensa chamava de “sítio da família em Atibaia”. Só depois que a Lava Jato entrou em ação o ex-presidente lembrou-se de informar que a propriedade rural pertencia a amigos de Lulinha. Por que não dissera isso quando foi publicada a primeira de tantas reportagens que mencionaram que incluíam o sítio no seu patrimônio imobiliário? Coincidência, repetem os advogados de defesa.

Fernando Bittar, amigo de Lulinha, é o dono oficial da parte do sítio em que ficam a casa e a piscina. Mas nunca deu as caras no lugar onde Lula e Marisa Letícia passaram 111 fins de semana. Bittar dizia que queria deixar à vontade os pais do amigo. Mas por que continuou sumido mesmo depois que Lula foi instalado na cadeia em Curitiba? Coincidência, certamente dirão Bittar, Lulinha e Lula. Além dos advogados de defesa, naturalmente.

É muita coincidência e pouca vergonha.

É muita coincidência, companheiro

1 pensou em “MUITA COINCIDÊNCIA E POUCA VERGONHA

Deixe uma resposta