ALTAMIR PINHEIRO - SEGUNDA SEM LEI

A cinematografia da espionagem está de luto, O ator escocês Sean Connery, ícone do cinema e primeiro a interpretar o espião James Bond, morreu aos 90 anos, segundo a BBC divulgou neste sábado (31). De acordo com a família, ele morreu durante a madrugada, enquanto dormia, nas Bahamas. Com 94 papéis ao longo de mais de 50 anos de carreira, atuou em sete filmes do “007” nas décadas de 1960, 1970 e 1980 e foi apontado em inúmeras enquetes como o melhor James Bond do cinema. Como o detetive, ele estrelou “O satânico Dr. No” (1962), “Moscou contra 007” (1963), “007 contra Goldfinger” (1964), “007 Contra a chantagem atômica” (1965), “Com 007 só se vive duas vezes” (1967), “007 – Os diamantes são eternos” (1971) e “007 – Nunca mais outra vez” (1983). Connery também atuou no drama “Os intocáveis”, de Brian de Palma, pelo qual venceu o Oscar em 1988 na categoria de melhor ator coadjuvante.

Entre seus personagens de destaque, estão também o protagonista William von Baskerville no longa “O nome da rosa”, de 1986, adaptação da obra de Umberto Eco, e o professor Henry Jones no filme “Indiana Jones e a última cruzada”, de 1989. Vários famosos foram as redes sociais para demonstrar seu sentimento ao grande ator Sean Connery. Eis o que disse o ator britânico Daniel Craig que interpreta James Bond desde 2006: “Sean Connery morreu aos 90 anos. Ele foi o primeiro ator a interpretar James Bond nos cinemas, em ‘Dr. No’, em 1962. E anunciou estas palavras inesquecíveis: ‘Meu nome é Bond… James Bond’. Ele era e pode ser sempre lembrado como o James Bond original. Descanse em paz”.

E continua os votos de pesar das grandes estrelas ao redor do mundo. O ator e ex-governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, afirmou: “Sean Connery era uma lenda, um dos melhores atores de todos os tempos. Ele proporcionou entretenimento sem fim para nós e inspiração para mim. Não estou só falando porque ele foi um fisiculturista que se classificou para o Mister Universo! Ele era um ícone. Meus pensamentos estão com a família dele”.

Já Michael G. Wilson e Barbara Broccoli, produtores da franquia 007, demonstraram seus sentimentos assim: “Estamos devastados com a notícia do falecimento do sr. Sean Connery. Ele foi e sempre será lembrado como o James Bond original, cuja entrada memorável na história do cinema começou quando ele anunciou aquelas palavras inesquecíveis, ‘Meu nome é Bond, James Bond’. Ele revolucionou o mundo com seu retrato corajoso e espirituoso do agente secreto sexy e carismático. Ele é, sem dúvida, o grande responsável pelo sucesso da série de filmes e seremos eternamente gratos a ele”.

Nicola Sturgeon, primeira-ministra da Escócia: “Fiquei com o coração partido ao saber esta manhã do falecimento de Sir Sean Connery. Nossa nação hoje lamenta um de seus filhos mais amados. Foi um privilégio ter conhecido Sean. Quando falei com ele pela última vez, já estava claro que sua saúde estava piorando – mas a voz, o espírito e a paixão que todos nós amamos ainda estavam lá. Eu vou sentir falta dele. A Escócia sentirá falta dele. O mundo vai sentir falta dele.”…

O apresentador de televisão, o brasileiro Luciano Huck, escreveu: “RIP Sean Connery. O mundo hoje está menos elegante que ontem”. Atriz Maitê Proença: “O mais elegante e eterno Bond. Você nos encantou, siga em paz!”. Tony Ramos: “Referência de ator disciplinado e atento”. Sean Connery roubava as cenas’, lembra o jornalista Célio Silva. O apresentador Brito Júnior: “James Bond Morreu. Na minha opinião, Sean Connery foi o ator que melhor encarnou o Agente 007, a serviço de sua majestade. Já sabemos o que vai passar na TV nos próximos dias.

Connery estava aposentado do mundo artístico há mais de dez anos e aproveitava parte de seu tempo livre jogando golfe, uma de suas paixões. A causa da morte ainda não foi divulgada, mas, de acordo com a BBC, ele tinha problemas de saúde e estava nas Bahamas. Em 2006, ele fez uma cirurgia para retirar um tumor no rim.

4 pensou em “MORRE O AGENTE SECRETO JAMES BOND AOS 90 ANOS DE IDADE

  1. Excelente homenagem, Altamir Pinheiro, a esse ícone fictício do serviço de espionagem britânica, criado pelo romancista londrino Ian Flemeng, que James Bond soube interpretar como ninguém.

    Ele é uma lenda, e como lenda permanecerá no imaginário popular mundial. Aliás, em todos os filmes que Sean Connery atuou ele deu vida própria ao personagem, não deixando brecha para os intrusos pirotécnicos macularem a inteligência. Foi digno no seu papel de intérprete.

    Parabéns pelo artigo.

Deixe uma resposta