FRANCISCO ITAERÇO - MEUS RISCOS E RABISCOS

Eu amo ficar em casa
Muito mais eu amaria
Se eu fosse um caracol
E para evitar o sol
Minha casa ficasse em mim.
Pudéssemos sair pra rua
Juntos, eu e minha casa
Mas, porém, como castigo
A minha casa se nega
Sair para rua comigo
Prefere ficar aqui
Tenho que sair sozinho

4 pensou em “MINHA CASA MINHA VIDA

  1. Hahaha, muito bom esse poema, Itaerço.
    Eu tomaria a liberdade de classificá-lo como poesia naïf, como um interessante poema naïf.
    Talvez tu sejas, mesmo, um precursor no gênero.

  2. Goiano, meu velho amigo de guerra, estive preocupado com sua ausência; cheguei a colocar na internet: Procura-se um amigo, vivo ou vivo, amigo morto não me interessa, quem encontra-lo será bem gratificado. Área de busca: a Europa, mais especificamente em Paris é lá que ele costuma ficar.
    Fiquei feliz por ter notícias sua, mais feliz ainda com esse seu comentário que me faz crer que evolui, já estou sonhando em escrever poesia.

    Um abraço do seu amigo e discípulo

    Itaerço
    Imperatriz-ma.

  3. Olá, meu prezado amigo Itaerço, estive fora mesmo, até o fim do ano passado, passei 2019 na Europa, a maior parte realmente em Paris, sem deixar de acessar o JBF, salvo em alguns períodos em que ou não tinha absolutamente Internet ou quando estava em zona rural e havia algum problema de sinal. Quando pude, comentei teus poemas e garanto que estás certo, melhoras cada dia mais e é muito bom ler teus poemas. Nós que escrevemos alternamos entre escrever coisas boas, médias e até o que não se aproveita, mas creio que a cada dia no geral melhoramos um pouco, se insistimos em escrever. Vai em frente que podes estar certo que a cada dia te aperfeiçoas mais, na escrita e em tudo. Grande abraço!

Deixe uma resposta para Goiano Cancelar resposta