DEU NO JORNAL

O brasileiro Ricardo Godinho, 41, teve a sentença de prisão perpétua confirmada nesta sexta-feira, 19, após ter sido declarado culpado por um júri na quarta-feira 17.

Ele é acusado de matar com golpes de faca sua ex-esposa Aliny Godinho, também brasileira, na frente da filha do casal, que tem apenas 3 anos de idade, em Surrey, Inglaterra. Ricardo cumprirá, no mínimo, 27 anos de prisão antes que sua pena possa ser revista.

O crime ocorreu no dia 8 de fevereiro deste ano, quando Ricardo perseguiu a ex-esposa enquanto ela buscava a filha na escola. Ao confrontar Aliny, o brasileiro a esfaqueou diversas vezes enquanto a criança olhava para a cena.

O ataque foi motivado pela separação do casal. 

Ele fugiu da cena do crime, mas foi preso horas depois, ao ter o carro abordado por policiais.

O assassino e a vítima, sua esposa

* * *

O crime foi cometido em fevereiro deste ano.

Seis meses depois, o assassino é condenado.

Condenado à prisão perpétua.

E com um detalhe: ele só poderá recorrer desta sentença após cumprir 27 anos de cana.

Isto mesmo: só poderá recorrer após 27 anos.

Recurso que, provavelmente, será negado.

Que absurdo! Que selvageria!

Como são atrasados e bárbaros estes países de quinto mundo, como é o caso da Inglaterra da Rainha Elizabeth

A petista Maria do Rosário, em nome da Comissão de Direitos dos Manos e de todos os militantes zisquerdistas brasileiros, já enviou uma nota de protesto contra esta decisão absurda da justiça inglesa.

Segundo Rosário, a Inglaterra tem que seguir o exemplo do Brasil, onde o ex-goleiro Bruno, preso por assassinar a mãe de seu filho, voltará ao semiaberto, conforme sentença assinada na quinta-feira passada, dia 18.

É muito provável que a justiça inglesa, depois de receber a nota da brava militante petista, venha a rever a condenação do pobre marido assassino.

Deixe uma resposta