XICO COM X, BIZERRA COM I

Todo dia, a viagem de um amigo. Quantas perdas em tão pouco tempo. Maldito vírus. Tenho a impressão que o Céu está cada vez melhor pela qualidade de gente que tem partido lá pra cima … Haverá pandemia por lá? Haverá desgoverno por lá? Serão tão cinzentos e desesperançosos os ares de lá? A tristeza abriu a porta do meu peito e, aos poucos, se abancou em minha cadeira de balanço, onde eu sonhava, quando meu sonho ainda não era pesadelo. Até quando?  Já perguntei e ninguém soube responder. ‘Aceite meus sentimentos’, de tanto ser dita, está banalizada. A frase, claro, não o sentimento. Este, de tristeza e saudade, permanece vivo e presente, a cada partida, a cada viagem só de Ida, a cada lágrima que se derrama e que teima em não se enxugar. Aceitem meus sentimentos sinceros pelos seus que já não estão entre nós.

Toda a obra de Xico Bizerra, Livros e Discos, pode ser adquirida através de seu site Forroboxote, link BODEGA. Entrega para todo o Brasil.

10 pensou em “MEUS SENTIMENTOS

  1. Xico, você tem razão. Uma pá de gente de enorme qualidade partiu. Meus sentimentos já estão tão frágeis que se ocultaram noutros sentimentos.

  2. Xico, todos nós estamos muito tristes com as consequências advindas da pandemia provocada pela entrada do Virus Chinês que no Brasil e no mundo, com exceção da própria China (coincidência, não?)

    V. diz: “Maldito vírus”. correto. Porém tem outros que já glorificaram o mesmo.

    Lulla, por exemplo já disse em uma live: “ainda bem que a natureza, contra a vontade da humanidade, criou esse monstro chamado coronavírus”. Não foi a natureza que criou o vírus.

    Jane Fonda já atribuiu a doença a um “presente de Deus”, pois causou a não reeleição do Trump, que era líquida e certa nos EUA.

    Portanto jogar as consequências da pandemia no Brasil a um “desgoverno” é uma narrativa que não cola.

  3. Meu caro João Francisco: numa leitura mais atenta vc perceberá que não atribuo a nenhum governo (federal, estadual ou municipal) o surgimento do vírus. Nao seria inconsequente a esse ponto. No meu texto apenas lamento a pandemia em si e o descaso dos governos, nas três esferas, com a condução do problema, sem citar a, b ou c. E lamento, principalmente, as perdas para quem as teve. Aos que tiveram a felicidade de nao conviver proximamente com isso, esses não terão, nunca, a real dimensão do mau causado pelo Corona, tenha ele vindo da China, da Venezuela, de Cuba ou de qualquer outro lugar do mundo. Receba meu abraço. Espero ter sido compreendido.

  4. Caro Xico, a esquerda tem um método subliminar de colocar mensagens, que é de associar palavras a determinadas pessoas ou entidades, primeiro repete à exaustão a ligação, depois basta mencionar a palavra que já está dada a mensagem. Isto vem de Goebels.

    Exemplos: negacionista, anti-vacina, desgoverno, genocida, terraplanista, fascista, dentre outras, já foram tão incutidas numa narrativa falsa que não é mais nem preciso dar o endereço para que se faça a ligação da palavra ao personagem. V. citou uma delas e no meu imaginário, fazia parte de uma narrativa. Se fui injusto, faço o reparo aqui em relação à você.

    Toda morte deve ser lamentada, mas infelizmente ela é a única certeza que temos, apenas não sabemos quando, onde e o que acontecerá depois. Este é o maior enigma da humanidade. Acreditar no paraíso é coisa de quem crê em uma entidade superior e lá não há sofrimentos terrenos (desesperança, desgovernos, pandemia, dias cinzentos).

    A doença chinesa que se coloca aí é terrível, porém ela tem uma característica; é muito democrática, por isso não é difícil encontrar pessoas que já tenham tido pessoas conhecidas levadas por ela. Tem outro tipo de morte que também está associada a esta doença, que mata mais e não é democrática; é a causada pela fome, pela miséria. Desta pouca gente fala.

    Que v. tenha paz e fique com Deus.

  5. Fiquemos todos nós, meu caro João Francisco, em Paz e com Deus. Se possível, sem nos limitarmos à superada dicotomia esquerda x direita: há bons e maus dos dois lados e a discussão é muito mais profunda e, por isso, exige um espaço muito maior que este que generosamente nos é cedido pelo nosso Papa Berto I, guardião implacável do direito de expressão, livre e soberano. Outra vez, aceite meu fraternal abraço.
    PS – sou Francisco e tenho o de Assis como meu protetor; tenho um filho chamado João, em homenagem àquele que batizou Jesus. Muito bom gosto na junção dos dois nomes. Estás duplamente protegido.

  6. Obrigado Francisco José Bezerra de Carvalho e João Francisco pelo debate civilizado aqui nesse espaço mais democrático do que a democracia, “cedido pelo nosso Papa Berto I, guardião implacável do direito de expressão, livre e soberano.”

    No debate desse o mundo fica menos angustiante, a saudade não nos arrocha como o parafuso do poeta analfabeto Antonio Pereira de Moraes.

    Receba meu abraço e admiração pelo miniconto genial.

    • Caro Cícero!

      Esta Gazeta Escrota me é indispensável por proporcionar esta oportunidade.

      Onde mais eu poderia travar um debate em tão alto nível com figura tão talentosa e inteligente como o meu xará Xico Bizerra, numa contenda onde ambos e mais os leitores saem ganhando?

      Sou viciado no JBF e não fico sem.

      Um abração

  7. Obrigado, Cicero Tavares. A democracia é nosso farol maior, sem o qual nenhum navio chega a porto algum. AbrAbraço

  8. Coisa boa é encontrar gente inteligente nesse mundão de meu Deus. Obrigado, João Francisco, pela oportunidade de conversar e aprender com vosmicê. E viva Ciço, Assuero, Conceição e o Papa Berto.

Deixe uma resposta