A PALAVRA DO EDITOR

Ontem pela manhã telefonei pro meu amigo e conterrâneo Otácilio, o Filósofo de Palmares.

Ainda bem que, hoje em dia, todo mundo tem celular e anda sempre com ele no bolso.

Telefonei pra fazer um fuxico sobre Esmeraldo Boca-de-Fossa, PhD em Ciências da Fuleiragem e tocador de clarinete na Banda 15 de Novembro.

Esmeraldo é outro amigo especial.

Eu falei pra Otacílio que Esmeraldo tinha me dito que ele, Otacílio, era um jumento.

E, no mesmo instante e sem vacilar, Otacílio me respondeu com esta frase fulminante, como é do seu estilo:

– Pois pode dizer praquele fela-da-puta que de  jumento eu só tenho a pica.

Uma resposta antológica.

Já anotei aqui no meu arquivo.

E, em falando de Palmares, tô precisando voltar lá pra matar as saudades do ponto de jogo comandado por meu estimado amigo Cu Trancado, no meio da feira, bem no oitão do mercado municipal.

Ele arranca dinheiro dos matutos numa roleta fajuta, na qual não tem ninguém que consiga sair lucrando.

Cu Trancado deixa o cabra ganhar no começo pra ficar animado e, à medida que o tempo passa, ele lasca o viciado aos poucos.

Os matutos só saem de lá de bolsos lisos.

Na foto abaixo, que foi feita há mais de 10 anos, eu apareço apostando um dinheirinho, já sabendo de antemão que não ia ganhar porra nenhuma.

Cu Trancado, de semblante sério e fazendo pose, é este que está do lado direito da foto.

11 pensou em “MEUS AMIGOS DE PALMARES

  1. Ô, Berto, sua postagem
    Me fez ficar perturbado
    Imaginando por onde
    Seu amigo tem cagado
    Pela boca eu sei que come
    Mas por onde a merda some
    Se ele tem o Cu Trancado?

    Hômi, me responda!

Deixe uma resposta