CÍCERO TAVARES - CRÔNICA E COMENTÁRIOS

Texto escrito em parceria com Luiz Antonio Tavares Portella, meu filho, estudante de Biologia na Unicap.

Conhecida como a Pandemia mais devastadora já registrada na história da humanidade, tendo resultado na morte de mais de cem milhões de pessoas na Eurásia, atingindo o pico na Europa entre os anos de 1347 e 1351, a Peste Negra, também conhecida como a Grande Peste ou Morte Negra, pode ter tido sua origem da Ásia Central ou na Ásia Oriental, de onde viajou ao longo da Rota da Seda, séries de rotas interconectadas por navios através do Sul da Ásia, atingindo a Crimeia em 1343.

Acredita-se que a bactéria Yersinia pestis, que resulta em várias formas da peste: septicêmica, pneumônica e, a mais comum, bubônica, tenha sido a causadora. A Peste Negra foi o primeiro grande surto europeu de peste e a segunda pandemia da doença. A praga criou uma série de convulsões religiosas, sociais e econômicas, com efeitos profundos no curso da história da Europa. Nessa época se acentuou o ostracismo na população.

É importante salientar que os médicos da época usavam um traje especial e usavam máscaras que pareciam bicos de aves cheias de itens aromáticos. As máscaras foram concebidas para protegê-los do ar fétido, que, de acordo com a teoria miasmática da doença, foi considerado como a causa da infecção. Hoje se sabe que esta teoria é falsa.

DOIS MÉDICOS MERECEM DESTAQUE NESSA ÉPOCA

Guy de Chauliac de origem francesa

Quando a Peste Negra chegou a Avignon, em 1348, os médicos fugiram da cidade. Guy Chauliac permaneceu, tratando os doentes da peste e documentando os sintomas meticulosamente. Ele alegou ter sido infectado e ter sobrevivido à doença usando os seus conhecimentos. Através das suas observações, Chauliac fez distinção entre as duas formas da doença, a peste bubônica e a peste pneumônica.

Como medida de precaução, ele aconselhou o Papa Clemente VI a manter um fogo ardendo constantemente nos seus aposentos, para afastar o ar fétido, de acordo com a teoria miasmática aceita na época. A peste foi reconhecida como sendo altamente contagiosa, embora o agente etiológico fosse desconhecido. Como medidas, Chauliac recomendou que o ar fosse purificado, sangria (modalidade de tratamento médico que estabelece a retirada de sangue do paciente como tratamento de doenças) e dieta saudável.

Michel de Nostredame, de origem francesa, popularmente conhecido como Nostradamus pelas suas profecias

Seus conselhos profissionais foram importantes para a tomada de medidas preventivas contra a praga. Recomendou a remoção de cadáveres infectados. Respirar ar fresco, tomar água potável e limpa, e um suco de preparação de rosa mosqueta. Em sua publicação Traité des fardemens, recomendou não sangrar o paciente.

Com todos os conhecimentos adquiridos através de seus estudos, Nostradamus viajou ao sul da França para cuidar das vítimas da peste. A pandemia da peste negra provavelmente começou na Ásia no século XIV e se espalhou por toda a Europa, onde os surtos recorrentes dizimaram as populações de vários países ao longo do século XIV. A peste ficou presente na vida dos europeus até o século XVIII. A doença, transmitida através de pulgas transportadas por roedores, como ratos e marmotas, foi altamente contagiosa, rápida e dolorosa, muitas vezes causando febre alta com delírios e deixando grandes pústulas negras em todo o corpo das vítimas. Nostradamus tornou-se conhecido pelo tratamento que concebeu para combater a peste. Além das suas recomendações, sua cura consistia na limpeza do corpo e administração de vitamina C aos seus pacientes.

IRONIA DO DESTINO

Em 1534, Nostradamus casou-se com Henriette d’Encausse, de Montpellier, cidade do sul da França, e teve dois filhos com ela. A praga atingiu posteriormente Agen, local onde vivia com sua família. Ocupado demais com a cura da população, Nostradamus não conseguiu salvar a mulher e os dois filhos. Este acontecimento o fez questionar as suas capacidades enquanto médico e, desapontado, viajou pela Europa sem destino, provavelmente através da Itália e outras partes da França, durante seis anos. Foi nessa altura que Nostradamus se deu conta de seus poderes proféticos, pelos quais é mundialmente conhecido.

Assista ao extraordinário documentário abaixo e percebe que os sentimentos humanos, por mais civilizados que sejam, serão sempre primitivos, egoístas, individuais e cúpidos.

Não haverá salvação para a humanidade.

Clique aqui para assistir ao documentário A Peste Negra, com duração de 55 minutos.

4 pensou em “MÉDICOS DA PESTE NEGRA

  1. Amigo Ciço

    Parabens, a voce e também ao sei filho Luiz Antonio Tavares que juntos escreveram um excelente artigo sobre a peste negra.
    Muito bem exposto, bem explicado e acrescentando as teorias da época,
    inclusice incluindo a participação do vidente Nostradamus, o que eu ignorava.
    Com este artigo o seu filho pode se considerar um mestre na
    exposição de um assunto sério, pois o artigo nos surpreende com as
    informações mais precisas daquela época, pois na idade média tudo eram suposições.
    Tudo turvo sem definições e cada um tentava solucionar pelo palpite, sem qualquer
    comprovação ciêntifica. ( Cientifica ???, o que era isso naqueles tempos
    escuros , em que tudo era igual a uma roleta russa.)
    Obrigado pelo texto e espero mais textos com a colaboração do seu inteligente
    filho. Ele promete.

    Um abraço.

    • Obrigado mestre D.Matt., estimado amigo do coração.

      Suas sábias palavras são uma euforia ao meu ser.

      O tema acima escolhido é uma homenagem ao nobre amigo e a todos que se dedicam às causas humanitárias.

      Em plena epidemia que parecia que ia exterminar a população mundial, dois médicos com os mesmos sentimentos humanitários, não pouparam suas vidas para salvar o mundo do mal século: a Peste Negra.

      Mas o que mais me chamou a atenção do meu filho, Luis, mostrou o tema para mim, foi a constatação de que não existe salvação para a humanidade.

      Em plena pandemia – e isso no século XIV – os homens se digladiando riqueza à proporção que os corpos se apodreciam na vala comum.

      Isso me dói, amigo!

      Hoje é a mesma coisa! Nada mudou! Vide os prefeitos e os governados de todo o Brasil, sem exceção, assaltando o dinheiro do governo federal para os seus próprios cofres, deixando de salvar vidas!

      • D.Matt e Ciço, assisti todo o filme e um fato que não sabia me deteve, a captura e interrogatório do mercador Magnet(34:00) pelos flagelantes e sua falsa confissão colocando o povo Judeu como culpados da Peste Negra….

  2. Contava minha mãe , que durante a gripe espanhola em Bom Jesus da Lapa a polícia ia nas casas para obrigar o morador a ir enterrar os mortos . Dizia que havia um mau cheiro horrível na cidade ainda pequena. Dizia também que passavam carroças levando os mortos e as pessoas gritavam : tem um aqui ! . Em grande parte dos casos o conceito “família” deixava de existir . Contou-me também que meu tio ( alguns anos mais velho ) falecido no Paraná e minha tia e sogra 2 anos mais nova , ainda viva em Brumado tiveram problemas de saúde , mas todos sobreviveram a doença . Vi relatos a pouco tempo no livro A Gripe Espanhola na Bahia . E no geral não diferem do que minha mãe contava. Ao falecer no final da tarde do último dia de 1919 , seus documentos apontavam para 99 anos ( faria 100 em 7 de setembro ) , mas era criança ativa no tempo da gripe ( 1918 – 1920 ) portanto tinha bem mais de 100 anos e viveu quase 60 com sequelas de derrame cerebral.

Deixe uma resposta para Luis Mezetti Cancelar resposta