CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

Grande Guru

Acho que o Bolsonaro poderia acabar com a exterma-impressa facilmente, bastaria ficar calado por 40 dias, fazer uma quarentena de entrevistas, lives, tuiter, facebook, whatsapp, palestras, silêncio total.

O mesmo se aplicaria aos ministros, exceto casos de emergências.

Como não teriam assunto para falar mal do Bolsonaro o Jornal Nacional e outros jornais iriam acabar sem assunto e ficariam sem telespectadores ou leitores, e sem público acabariam também os anúncios, com isto em quinze dias perderiam água.

Sei que sem notícias o pessoal inventa, só que com a quarentena o povão saberia quem está mentindo e deixariam de ler a Foia, Estavão, Grobo, Viu, Istofoi, E-pi-poca, etc…

Esta quarentena iria acabar com o vírus das fakenews e com os seus hospedeiros.

4 pensou em “MAURI – SÃO PAULO-SP

  1. Caro Mauri, JB já tentou fazer o que v. sugeriu e como consequência passaram a inventar notícias.

    V. já se esqueceu do “escândalo” da traição conjugal da Michele?

    Se ele continua quieto vão falar que ele sentiu o baque.

    Tem é que parar de falar com a imprensa na saída do Alvorada e deixar a tarefa para seu porta voz Rego barros, que anda meio sumido.

  2. É uma excelente recomendação! Bolsonaro calado faria nós, bolsonaristas, felizes. Imagem a esquerda desvairada e a extrema imprensa acusado: Bolsonaro é fascista, não diz nada há um mês!

  3. Mauri, acho tua proposta muito ruim, vai contra o falem mal mas falem de mim. Portanto, hoje, dia onze de março de dois mil e vinte, faltam apenas um mil e vinte e seis dias para darmos a descarga. Aí, sim, ninguém mais falará nem se lembrará do tosco escroto, e concluindo, como diria Regina Duarte, tálquei? o pum do palhaço?

  4. Se o presidente não falar nada, os seguidores da seita vão dizer que ficou calado porque está com medo da platéia (ou seria patuleia?) iria até dizer que aquela coisa entrevistada no Fantástico está à 8 anos sem visita intima por perseguição política! Seriam capazes de ficarem contando quantos passos o presidente dá para ir do escritório dele até a rampa do Alvorada e dizerem que está reduzindo o número de passos para impedir que os fotógrafos tirem fotos dele saindo do trabalho durante o horário de expediente.

Deixe uma resposta