CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

DANIEL E OS LEÕES

Não se trata daquele Daniel que, por ordem do rei, foi atirado à cova dos leões e dali saiu sem nenhum ferimento. Sabe por quê? Porque confiava no seu Deus, ensina a Bíblia. Aqui não se fala, porém, de personagem bíblica, mas de uma figura notória na vida nacional, hercúlea na compleição física, franzina na conduta.

Como é singular a política! Em que pese estar cumprindo a pena de prisão domiciliar determinada pelo Supremo Tribunal Federal, o deputado Daniel Silveira gastou em março nada menos que 19,1 mil reais com o dinheiro da cota parlamentar a que todo deputado é facultada.

Ocorre, no entanto, que para justificar as despesas, os pedidos de reembolso, foram apresentados à Câmara comprovantes que chamam a atenção. Uma nota fiscal no valor de 10 mil reais referiu-se à prestação de consultoria jurídica, enquanto o saldo, R$ 9 mil supriu os desembolsos com taxas de pedágio, combustível, passagens aéreas e, – pasme – hospedagem em hotel de Teresópolis, no Rio de Janeiro, onde reside o nobre parlamentar.

Pergunta-se: o deputado se deslocou tanto (mesmo em prisão domiciliar), usando automóvel ou avião?

Pondere-se que a simples apresentação das notas fiscais não quer dizer, necessariamente, que foi o próprio deputado que realizou as despesas.

1 pensou em “MARCELO ALCOFORADO – RECIFE-PE

  1. Caro Sr. Alcoforado, de Recife – PE.

    Em primeiro lugar, gostaria de dizer que no meu entender, todo deputado deveria pagar pelas suas despesas com o seu salário. Despesas de viagem, hospedagem, alimentação, somente se for feita uma viagem plenamente justificada, como p. ex. representar o congresso em determinado local.

    Também sou contra o excessivo número de assessores que tem um parlamentar, sendo que a movimentação destes poderia estar justificando a despesa do deputado em tela.

    Espero que v. não esteja visando este Deputado, o Daniel Silveira, pelo fato de ele estar preso por emitir uma opinião baseada no artigo 53 da CF, algo injustificado e totalmente ilegal.

    É muito ruim perseguir este ou aquele deputado por usar de suas verbas legislativas. Se elas estiverem em desconformidade com a previsão legal da câmara, certamente o Deputado será chamado, e caso errado, terá que ressarcir os cofres públicos.

    Já fizeram isso de perseguir um deputado pelas suas despesas com o então deputado Jair Bolsonaro, depois não virou nada, apenas para desgastá-lo. Isso é hipocrisia.

Deixe uma resposta