CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

V.I.R.U.S. BERTO:

(Virtuosissimo e Inigualável Representante da Universidade dos Sábios) Berto:

Se Vossa Eminência Reverendíssima permitir a este macrobio externar sua opinião sobre o virus chinês, aqui vão minhas considerações.

Costumo dizer a meus filhos e netos que há somente três vantagens em se ficar velho (não consegui identificar nenhuma outra): primeiro, não há nenhum telefonema de vendedores de Seguro de Vida; segundo, não precisamos prestar atenção a opiniões alheias; terceiro, talvez a mais importante, tivemos a oportunidade de ter aprendido o comportamento humano.

É esta terceira vantagem que uso agora para externar o que penso.

Estes dias de confinamento (também aqui nos Estados Unidos) me fizeram rever as publicações antigas do JBF – a leitura das publicações atrasadas é uma deliciosa viagem ao passado – e ver filmes da natureza tal como ela é: selvagem, competitiva e imperdoável com os mocorongos, retardatários, tontos e burraldos, como é a maioria dos animais que servem de pasto aos predadores.

O ser humano não nega a primária condição de animal.

Veja, por exemplo, como o rei das bestas – o leão, ou na verdade a leoa – monta sua estratégia para caçar: uma leoa se posiciona a favor do vento, solta seu aterrorizante urro e mostra sua medonha presença, levando a manada de zebras para o outro lado, aonde estão as outras feras, que completam o trabalho no meio do pandemônio. Impressionante como meia dúzia de leoas fazem milhares de zebras correrem para onde elas querem.

No reino humano, a caneta, disfarçada de decretos, artigos da imprensa, opiniões de especialistas, internet, etc., tem mais valor de destruição que qualquer canhão. O urro da mídia espalha o terror e o desespero da zebraiada toda. A manada humana se atropela sozinha, o desespero e a paranoia tomam conta, o cidadão corre para o supermercado e compra todos os vidros de álcool em gel, mesmo que não precise, enquanto seu próximo não consegue mais nenhum vidro disponível. Os governantes se aproveitam e conseguem mais um dinheirinho para roubar, põem a culpa nos adversários, os políticos justificam mais uma safadeza eleitoral, e assim por diante.

Claro, nenhum leão vai cravar os dentes no pescoço dos humanos, mas o estrago do urro das bestas é maior. A economia vai pro saco mas isso não lhes interessa. Se for um deputado, senador, juiz, ministro do STF, funcionário público, ou seja lá que título se dê a esses sacripantas, isso simplesmente não importa. O ideal das bestas é ver a terra arrasada, o povo na merda, os chineses mais ricos, os rodrigomaias mais poderosos.

Ah, e o Presidente?

Que se dane. Nenhum daqueles vigaristas tem por ele nenhum apreço. São os abutres que apenas estão interessados na carniça que sobra.

Cada vez admiro mais os animais predadores. Comem apenas o que precisam para encherem suas panças e deixam os outros em paz. Desdenho da grande manada humana. Os nossos carnívoros humanos precisam destruir todos para seus projetos pessoais.

Desejo a você, Aline, Chupicleide, Xolinha e a meu ídolo Polodoro uma semana cheia de alegria.

R. Essa saudação do V.I.R.U.S. foi pra arrombar!!!

Virtuosissimo e Inigualável Representante da Universidade dos Sábios.

Fiquei ancho que só a porra.

Gratíssimo por nos brindar com estas suas contundentes reflexões, meu caro.

Aline, Chupicleide, Xolinha e Polodoro retribuem sua gentileza e estão mandando um grande abraço.

De minha parte, peço apenas que transmita a Trump meus calorosos cumprimentos pelos cacetes que ele tem dado na imprensa zisquerdóide americana, tão tabacuda e idiota quanto a grande mídia oposicionista banânica.

2 pensou em “MAGNOVALDO SANTOS – PALM COAST-EUA

  1. Meu caro editor, começar o dia lendo o que significa v.i.r.u.s. e as considerações americanas a respeito do alto nível da política banânica é sinal que meu confinamento de hoje vai ser mais construtivo. Forte abraço meu virtuoso escritor.

Deixe uma resposta para Adelmo Nobre Cancelar resposta