PEDRO MALTA - A HORA DA POESIA

Um divino clarão vem do nascente
E sobre o meu jardim calmo resvala!
Na graça deste quadro reluzente,
A aragem fria os meus rosais embala!

Tudo desperta misteriosamente!
E a luz cresce e se expande em doce escala,
Avivando o lençol resplandescente
Da brancura dos lírios cor de opala!

E o sol, doirando as franjas do horizonte,
Celebra a missa do romper da aurora
Na doce Eucaristia do levante!

Da passarada escuta-se o clarim!
E a madrugada estende-se sonora,
Na aleluia de luz do meu jardim!

Miguel Jansen Filho, Monteiro-PB, (1925-1994)

Deixe uma resposta