GEORGE MASCENA - SÓ SEI QUE FOI ASSIM

Liberlândia é uma micro nação europeia localizada entre a Croácia e a Sérvia, tem uma área de 7 km² e uma população de 7 habitantes que não residem no país.

O país é localizado em uma área considerado pela ONU como terra nullius, termo em latim usado no direito para designar uma terra que não é reivindicada por nenhum país. Na mesma situação encontram-se Bir Tawil entre o Egito e o Sudão e a terra de Mary Byrd na Antártida.

O território de Liberlândia não tem nenhuma estrutura, é formado apenas por um bosque encharcado pelas águas do Rio Danúbio e tem uma área menor do que a do bairro de Boa Viagem no Recife.

Governo provisório

6Apesar da sua situação, o país já tem sua moeda, o “Mérito”, porém a mais usada atualmente é a criptomoeda bitcoin.

A Croácia não reconhece Liberlândia como um território independente, mas sim como uma região de domínio indeterminado. Gornja Siga é o termo que o país trata a região e chama de “uma ideia provocativa que atingiu proporções sérias”. Já a Sérvia informa oficialmente que Liberlândia não infringe a fronteira do país, e que a sua situação não tem importância para o país.

Entenda: o Rio Danúbio, que divide a Sérvia da Croácia e de Liberlândia, foi ao longo do tempo mudando o seu traçado, cheias e reordenamento hidráulico da sua calha foram alterando o seu traçado, o que fez com que a fronteira entre os países fossem mudando. Enquanto os dois países faziam parte da Iugoslávia, esse detalhe não era tão importante, porém após a sua divisão em Eslovênia, Macedônia, Bósnia e Herzegovina, Macedônia do Norte, Croácia e Sérvia, esta fronteira passou a ser contestada entre estes dois últimos. A Croácia reconhece a fronteira como sendo a antiga, com o rio sinuoso, mas a Sérvia diz que a fronteira é o rio atual, essa discórdia deixa 11 áreas em litígio, sendo 7 no lado leste, que ambos os países reivindicam para si e Gornja Siga e mais três do lado oeste, estes quatro são renegados por ambos os países. Essas áreas são conhecidas como bolsos.

Mapa da região com Liberlândia em verde

Em 13 de abril de 2015, o tcheco Vít Jedlička proclamou a República Livre da Liberlândia, fincando a bandeira na pequena ilha, junto com sua namorada e mais um grupo de amigos. O país é reconhecido desta forma apenas por Bir Tawil, outra terra nullius.

Projeto futurista de Liberland City

A forma de arrecadação é do tipo financiamento colaborativo, onde só paga imposto quem quer, porém só quem paga é que tem direito de participar das decisões políticas. O estado só atua na justiça, segurança e diplomacia.

Atualmente, Jedlicka está proibido de colocar os pés no território do país que ele governa, o governo Croata não aceita que os liberlandenses pisem no solo, para isso mantém vigilância constante pelo Rio Danúbio e a polícia tem ordem para prender quem se atrever a descumprir esse exilio.

Bandeira

Dentre os membros do governo estava José Miguel Maschietto, que se apresenta como um comandante do exército italiano e diz ter servido nas tropas de paz da ONU em Kosovo, mas não informa o período. Antes de assumir o cargo em Liberlândia, Maschietto se apresentava como pianista e compositor famoso, ganhador de um prêmio pela trilha sonora no filme Gravidade, maestro na ópera de Praga, de Paris e do Balé Bolshoi. Diz também que já conversou com vários embaixadores, mas não cita o nome de nenhum deles. Sabendo destes desvios, Maschietto foi demitido imediatamente por Jedlicka.

Deixe uma resposta