CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

Caro Editor e leitores do nosso jornal:

O crime que Daniel Silveira cometeu, eu e mais 99% dos brasileiros temos vontade de cometer.

O crime de falar a verdade na cara dos ministros do stf.

A cínica da Rosa Weber, num gesto deselegante e completamente desnecessário, chegou a entregar uma constituição ao Presidente Bolsonaro, quando são eles, os ministros do stf que não respeitam esta nossa lei magna.

Um absurdo!

Francamente, sinto nojo do nosso stf.

Espero que em breve futuro este órgão tenha componentes à altura do cargo e que respeitem a constituição da qual eles são guardiões.

Veja este recado do bravo jornalista Luís Ernesto Lacombe:

2 pensou em “LEVI ALBERNAZ – ANÁPOLIS-GO

  1. Se tivesse mandado enfiar lá onde não bate sol.
    Já demonstraria quem cantava de galo.
    Talvez, não tivéssemos chegado no estágio atual.

  2. Diria o Goiano aqui nestas plagas com base em outros comentários que já fez:

    – Mas se 11 ministros (unanimidade) e 364 deputados (maioria absoluta) concordaram que o Deputado Daniel fosse mesmo preso, então ele deveria mesmo estar na cadeia.

    É difícil ir contra a maioria quando se defende princípios. Esse é o ônus que se paga para defender a democracia.

    Mais difícil ainda quando não se concorda com o que fez a pessoa a ser defendida.

    Acho que este Deputado fez e falou coisas destemperadas em momento inoportuno para o país e para o governo que ele diz defender. Ponto.

    O que está a se defender aqui é a liberdade de expressão e o art. 53 da CF que diz que um deputado é inviolável e inimputável por quaisquer atos e palavras que ele proferir no exercício de seu mandato, salvo em flagrante delito.

    Para poder enquadrar o Deputado o STF usou da Lei de Segurança Nacional, que é oriunda do tempo do regime militar, o qual eles chamam de período da Ditadura Militar, uma Lei feita para enquadrar inimigos do Regime.

    Inventaram também o flagrante de crime perpétuo. O mandato de prisão para crime flagrante e outras coisas do gênero.

    Acho que agora os congressistas abaixaram as calças para o STF e não podem mais reclamar de nenhuma posição autoritária deste órgão.

    Mas e o Jair Bolsonaro? Dirão os mais afoitos. Bolsonaro não deixaria seus soldados para trás.

    Bolsonaro é o Presidente da República. Até onde se pode enxergar, a treta é entre os poderes legislativo e judiciário. O tal deputado evidentemente não agiu a mando do PR, apesar de todos na imprensa o chamarem de “Bolsonarista”. Que Bolsonarista é esse que, no momento da aprovação de reformas administrativa e fiscal, além da PEC emergencial, vem tocar fogo no circo?

    Vida que segue e vamos aguardar os próximos passos desta história, que está longe de acabar.

Deixe uma resposta para João Francisco Cancelar resposta