ALTAMIR PINHEIRO - SEGUNDA SEM LEI

Qualquer manchete cairá bem quando alguém for escrever sobre um monstro sagrado da cinematografia mundial, assim como essa!!! CLINT EASTWOOD FAZ 90 ANOS: DE CAUBÓI DURÃO A FINO DIRETOR DE OBRAS-PRIMAS. Alguém, assim como eu, já escreveu o seguinte ou mais ou menos desta forma sobre esse noventão: Clint era um magrelo que não tinha cara de ir muito longe — alto, cabelos cor de areia e tímido, ele mesmo não se via como o tipo certo para o estrelato. Há época da glamourizada Hollywood pedia-se morenos, mandões, românticos. Só que, no caminho apareceu um Leone tinha um Leone em seu caminho…

Pois bem!!! A literatura mundial do cinema e seus respectivos cinéfilos nos afirmam que, Sergio Leone não viu as coisas assim. Com a ida à Itália e Por um Punhado de Dólares, de 1964, Clint tornou popular o caubói silencioso e durão, que chega a um lugar MUDO e, aventuras depois, vai embora CALADO como chegou. O sucesso popular chegou aos 34 anos e consagrou o tipo do estranho sem nome em cujo rosto parecia que o sol batia sempre forte. Mas, para todos os efeitos, era ainda um galãzinho do “western spaghetti”, um gênero popularesco, definitivamente menor, de um intruso no Velho Oeste como Leone.

Clint Eastwood veio da TV quando apareceu com a série de western Couro Cru – Rawhide, Ele dividia a Série ao lado de Eric Fleming, cujo papel era mais importante do que o de Clint, embora este seja o segundo nome no elenco. A série foi ao ar até 1965. Mas foi graças a esta série televisiva que a estrela de Clint acabaria de encontro com o cineasta Sergio Leone (1929-1989), que introduziria o chamado Western Spaghetti, um novo estilo de se fazer faroestes bem diferentes dos americanos. Em 1964 Sergio Leone tinha conseguido 200 mil dólares para rodar seu primeiro western que se chamaria Por um Punhado de Dólares. Pensou em Henry Fonda, James Coburn, e Charles Bronson para o papel principal, mas os três recusaram.

Vejam só que ironia do destino: Indicaram então a Leone ERIC FLEMING, o astro principal da série de TV Couro Cru. Mas Eric pediu 50 mil dólares para participar do filme. Portanto, Leone recusou a pagar seu preço. Por sua vez, Leone ofereceu o papel a Clint Eastwood, o companheiro de Eric Fleming, com a oferta de 15 mil dólares, quantia esta que foi aceita por Eastwood, que acabou virando um grande astro. Eric Fleming, por sua vez, saiu da série Couro Cru, e foi filmar no Peru, onde acabou morrendo tragicamente em um acidente de filmagem, afogado num rio da floresta amazônica, aos 41 anos de idade.

Daí, Eastwood começou a ter destaque após interpretar o misterioso Homem sem nome na trilogia dos dólares de Sergio Leone. Os filmes Por Um Punhado de Dólares (1964), Por uns Dólares a Mais (1965), e Três Homens em Conflito (1966) foram um verdadeiro sucesso em terras italianas e norte-americanas, em especial o último, que fez Clint Eastwood se tornar famoso mundialmente. Em que pese ser um ator mediano ou meeiro, ele sempre nos passava a impressão de ser o herói ou anti-herói monossilábico, com ar impenetrável – uma combinação perfeita para o estilo cara-de-pedra. Mesmo não sendo um grande ator era uma figura bastante carismática, pois o vejo, cada um com seu estilo ou linhas bem diferentes, como o sucessor do grande John Wayne. Não à toa que o mestre Sérgio Leone costumava afirmar que, “Eu gosto do Clint Eastwood porque ele tem somente duas expressões faciais. UMA COM O CHAPÉU E OUTRA SEM ELE…”.

O nosso tributo a Clint Eastwood pelo seu aniversário é em razão dele ser uma das grandes lendas VIVAS do cinema que no última dia 31 de maio completou 9 décadas de existência, e uma vida cheia de lutas, prêmios e glórias. Conforme nos relata com muita precisão o pesquisador e estudioso da biografia de Clint, o carioca Paulo Telles, ele é um artista que não se deixou abater pelo avanço da idade e que continua firme e forte em seus projetos, um exemplo para seus amigos, colegas de profissão, e fãs que com o passar do tempo se transformou nesse espetacular ator, produtor e diretor. Seu nome de batismo é Clinton “Clint” Eastwood Jr, nascido em São Francisco, Califórnia, sua família era de ascendência escocesa, inglesa e irlandesa, de classe média e protestante.

Por fim, que fique bem entendido: quando me refiro a esses dois “monstros” sagrados do cinema, pois é bom que fique bem evidenciado que, na verdade, John Wayne foi melhor apenas um degrau acima. Eu ousaria afirmar que os dois astros não eram grandes atores, e sim altamente carismáticos. Afinal, os dois tinham uma presença fascinante nas plateias do mundo inteiro!!!

Clique na imagem abaixo para assistir a live 90 anos de Clint Eastwood

9 pensou em “LEGADO PARA A POSTERIDADE DOS 90 ANOS DE CLINT EASTWOOD

  1. Clint é um artista verdadeiro, que não se deixou levar pelo glamour da profissão.

    Nunca foi chegado a manchetes sensacionalistas e o que é pior para o sistema mainstream: É um conservador de Direita.

    Assim como Charton Heston, Ronald Reagan, Clarck Gable, Sinatra, Gary Cooper, Glenn Ford, Robert Duval, Shirley Temple; Clinto é um eterno conservador.

    • João Francisco,

      O Republicano Clint foi um ardoroso defensor da candidatura de Donald Trump, fez um belo discurso na convenção(zonando9 com o negão Obama) e arregassou as mangas na campanha e comemorou muito a espetacular vitória do galegão.

      P.S.: – Clint foi prefreito da cidade de Cammel no Estado da Califórnia por 8 anos e foi escolhido como o candidato a govertnador da Califórnia, mas Ronaldo Reagan entrou na briga e Clint cedeu a vaga para Regan que chegou a presidência dos States.

  2. Caríssimo Altamir Pinheiro:

    Também sou partidário da sua opinião a respeito do Sérgio Moro. Não fosse ele, o Juiz, com a sua garra, coragem, determinação, hoje o Brasil estava sendo governado por uma gangue, tendo Lula como mandatário da Nação! No Brasil, há muitos juízes, mas bundas sujas, para utilizar uma expressão sua, que só está preocupado com o status do cargo e o povo que precisa da Justiça que se foda!

    Concordo e respeito qualquer posição contrária, inclusive a patológica de GOIANO!

    Assisti a excelente trilogia dos dólares (Por um Punhado de Dólares, Por uns Dólares a Mais e Três Homens em Conflito) com a atuação memorável do CLINT EASTWOOD, na direção do genial Sergio Leone, que assinava como Bob Robertson. São simplesmente imperdíveis!!

    Assistindo a esses clássicos do western sphaghett, hoje, passados mais de 50 anos de realizados, se tem a certeza de que, com raríssimas exceções, hoje os filmes são uns cassa-níqueis. Sete Homens e um Destino do “diretor” Antoine Fuqua é um exemplo puro e acabado desse cassino cinematográfico.

  3. O tributo de ALTAMIR a Clint Eastwood é sempre merecido. Sou fã de ambos, mas (benedicto mas), um pouco mais do Altamir (tanto faz se escrevendo sobre política ou cinema), que está mais próximo de nós. E completar 9 décadas de existência não é para qualquer um.
    Abração!!!!

  4. Caro Altamir.

    Quem poderia imaginar hoje, que no passado o ator Clint, aceitou fazer
    o filme ” Por um punhado de dólares ” por apenas 15 mil dólares ?
    Hoje, ele não aceitaria fazer qualquer filme, por menos de 15 milhões
    fixos, MAIS UMA GRANDE PERCENTAGEM NA RENDA GLOBAL, o que propiciária uma grande bolada de
    no mínimo mais uns 50 milhões de dólares.
    Tudo que você mencionou na carreira do Clint e todos os seus predicados,
    são verdadeiros e merecidos. O homem é um gênio que foi descoberto
    por outro grande gênio o diretor Sergio Leone, que nos daria mais
    tarde uma obra prima incontestável do gênero Westen, o seu famoso
    e grandioso filme ” Era uma vez no Oeste.”
    Clint nos provou a sua grandeza e grande inteligência ao produzir pela
    Malpaso, grandes filmes , não só westerns , como o magnífico
    a premiado filme ” Os Imperdoáveis ” que ganhou quatro prêmios OSCAR
    incluisive o prêmio de mellhor filme.

    Os filmes do cineasta Sergio Leone com o Clint e o grande Era uma vez
    no Oeste, são CLÁSSICOS., por merecimento e contribuição à cinematografia
    mundial.
    Como disse o grande cronista acima, CICERO TAVARES, um filme só se torna
    um Verdadeiro Clássico, se depois de 50 anos manter a mesma qualificação e
    reconhecimento dos cinemaníacos.
    Muitos filmes explodem na estréia e depois de 5 ou 10 anos perdem
    todo interesse e ficam terrivelmente datados, sem expressão.

    Um belo trabalho sobre o nosso estimado ator Clint Eastwood, e tenho
    certeza que ele ficaria muito grato se tivesse a oportunidade
    de ler as suas palavras.
    Mestre Altamir. Um grande abraço.

  5. Prezado Altamir,

    O senhor, como analista político é um EXCELENTE CRÍTICO E HISTORIADOR DO CINEMA!

    Será que me fiz entender? Lembre daquelas sábias palavras: NE SUTOR ULTRA CREPIDAN!

  6. Altamir, mais uma belíssima homenagem aos grandes astros da 7ª Arte.

    Não sou grande fã do Clint mas, já assisti várias vezes Os Guerreiros Pilantras de 1970.

    Acho que teremos uma semana recheada de notícias proporcionadas por “alguns” integrantes da velha política que somente fez uma maquiagem para ficar mais jovem.

    Muita Paz e Saúde para toda família Pinheiro

Deixe uma resposta