DEU NO JORNAL

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinou, nesta sexta-feira (28), o afastamento imediato, inicialmente por seis meses, do governador Wilson Witzel (PSC) do cargo por irregularidades na saúde.

A decisão ainda proíbe o acesso de Witzel às dependências do governo do estado e a sua comunicação com funcionários e utilização dos serviços.

O governador e outras oito pessoas, incluindo a primeira-dama Helena Witzel, também foram denunciados pela Procuradoria-Geral da República (PGR) por corrupção.

* * *

O eleitorado fluminense tem um altíssimo grau de conscientização política.

Mata de inveja o eleitorado subdesenvolvido e ignorante daqui do nordeste.

Só elege gente ética e do mais alto padrão de incorruptibilidade.

Witzel, Pezão, Cabral, Rosinha, Benedita, Garotinho…

Uma tradição que vem desde os tempos de Brizola e Moreira Franco.

Agora, só falta botarem o Freixo ou Lindebergh no Palácio Guanabara, com o indispensável apoio dos traficantes e milicianos das “comunidades” cariocas.

18 pensou em “LADROAGEM FLUMINENSE

  1. Só quero devolução do nosso dinheiro .

    Não vou me iludir pedindo cadeia para ele por que os exemplos do nosso STF falam por si!

  2. Informo que RJ está a caminho do Hexa ex-governador Preso . . .

    Moreira Franco, Garotinho, Rosinha, Sérgio Cabral, Pezão e quem sabe no futuro, se o STF deixar, Witzel . . .

    • Triste sina a dos cariocas? A culpa é deles por votar tão mal ou não surgem grandes nomes para o eleitorado decidir?

      Votei no Witzel, pois possuo o péssimo hábito de ir às urnas para votar no menos ruim… Witzel, na minha opinião era o menos RUIM dentre os que se apresentaram a ganhar meu voto em 2018.

  3. Com estrume se faz isso: varre para o lado. Tenho pena do povo fluminense não. Carioca, então, cheio de cóixxx, cóixxx, cóixxx, se achando o supra sumo dos brasileiros. Tudo estrume do mesmo rabo.

  4. Fico revoltado com a conversa de que o carioca não sabe votar. TODOS os partidos são verdadeiras quadrilhas de salafrários e SÓ oferecem picaretas para serem votados. Por exemplo, na última eleição, no segundo turno, era ou Witzel, um desconhecido, ou Eduardo Paes, um muito conhecido. Que tal?

  5. Pobres Cariocas.

    Parece que lá a estrutura de quadrilha já está tão sedimentada que, se aparecer algum que pareca honesto, será deixado às 3 da manhã no alto do morro do Alemão.

  6. Esse “altíssimo grau de conscientização política” meu caríssimo Berto. Acredito eu, sem nenhum demérito ao povo dessa terra, ser fruto de uma alienação proposital e de interesses outros. Pretensiosamente calculada e friamente criada pelos fabricantes de “celebridades”. O jargão histórico: “a maioria vence” é aplicado em qualquer segmento. No eleitoral, de acordo com as regras, ele elege qualquer qualquer um que recebeu o maior número de votos. Correto? E é aí, como se diz, onde mora o perigo. Não entrarei nos detalhes de A, B ou C. Pois, nomes já foram até citados nos comentários acima. Só para citar um fato para ilustrar e não me alongar muito. Com isso podemos ampliar o leque para todos setores, pessoas e essa dimensão de importância onde eles quiserem que alcance. Em tempos outros, a polícia combatia a contravenção do chamado “jogo do bicho” o ano todo. Próximo ao carnaval, não precisamos nem falar qual emissora (lixo) reunia por várias semanas em programas direcionado ao público, vários “especialistas, autoridades no assunto e os chamados patronos, patrocinadores, por baixo dos panos. Aqueles expoentes maiores em seus redutos, suas bases, seus quartéis generais. Respeitados por tudo e por todos”. Uma espécie de trégua temporária. Não é difícil deduzir e você bem já observou, porque a maioria dos habitantes dessas plagas vota certinho, mais uma vez: “altíssimo grau de consciência politica”. Salvem o Rio de Janeiro!

  7. O Brasil deveria declarar independência do Rio de Janeiro. O Brasil ainda pode ser salvo, Já o Rio de Janeiro não tem mais jeito e acaba contaminando seu vizinho maior.

  8. Os não cariocas que por aqui passaram para esculhambar os eleitores cariocas devem estar “orgulhosíssimos” dos políticos que elegeram nos outros ESTADOS da Federação. A noticiário políico, muitas vezes mais policial que político não tem dado direito de tanto entusiasmo em esculhambar o Hell de Janeiro. Creio que há pouquíssimas exceções no campo político, de pessoas que merecem elogio pelo trabalho desempenhado após encerradas as eleições.
    Somos pródigos no voto no menos ruim, pois contam-se nos dedos os que nos fazem orgulhar de dizer a alguém em quem votamos.

    Como não fico sobre muros:
    2018 – Votos de Sancho:
    Presidente: Bolsonaro;
    Governador: Witzel.

  9. RJ é caso de dissolução. Distribui o que resta de bom dele aos estados com os quais faz fronteira, e a capital entrega pro narcotráfico fazer um “país” próprio, tendo como suprema corte o FAMIGERADO “tribunal do crime”, e suas leis draconianas como sua Carta Magna.

    Ah, e as organizações criminosas podem virar partidos políticos.

  10. Quem diz que o brasileiro não sabe votar parece que vive no mesmo mundo que os ministros do stf pois só pode se candidatar à deputado estadual, federal, senador, governador e presidente aqueles que os membros da diretoria dos partidos. E assim o eleitor tem que optar por um ladrão em investigação ou um ladrão condenado com recurso ou um ladrão condenado protegido por ………
    Não se esqueçam que os membros do stf divulgam seu entendimento sobre uma ação meses antes da ação entrar em julgamento. A segunda turma do stf julgou que o Moro foi parcial no julgamento, mas não considerou o gilmar mendes parcial apesar do mesmo mais de hum ano dizer em todas as oportunidades que os garotos de Curitiba estavam ultrapassando os limites de suas atribuições.Ele não é suspeito de proteger bandidos, né? Não vou perder tempo enumerando os HC que ele deu para bandidos (até mesmo presos em flagrante).

    • Ilustre Chato,

      isso é resultante de uma cria maldita daquela criatura caquética patriarca do PSDB, cuja alcunha se resume a uma sigla que lembra uma fórmula de algo muito tóxico.

      Este cu enrugado criou uma coisa chamada “soberania dos partidos políticos”, que foi aceita mesmo contradizendo o princípio constitucional da soberania popular. Graças a essa presepada que os partidos disponibilizam justamente seus refugos para se candidatarem e nos forçam a votar sempre no menos ruim.

      Aliás, só no Brasil pra se admitir tanta infração a princípios constitucionais, o que mostra o quão iletrados são os nossos legisladores e juízes.

  11. As notícias de hoje, dão conta que foram libertados 50 mil prisioneiros devido a pandemia. Que Autoridades Juridicas, minimamente decentes, de qualquer País, que tenha respeito pelos seus cidadãos. Coloquem nas ruas tantos criminosos para conviverem com uma população ordeira, acuada pela violência constante. Fragilizada com a histeria alarmista intencional, cumpliciada entre mídia podre, esquerdopatas e traidores da Nação. A política nesse Estado sempre foi recheada por bandidos. Além dos seus impolutos empresários e a manipulação da maioria dos seus habitantes. Quem não lembra: Rio de Janeiro ganhou “honestamente” o direito de sediar até cuspe à distância (não vou citar os eventos, para não me sentir idiota e trouxa de novo, por morar aqui). Então o que queremos? Se terceirizamos há mais de três décadas todas essas anomalias, roubalheiras, falcatruas, propinagens, nepotismos, tornando bandidos celebridades e vice-versa, para esses probos representantes políticos. Aqui já se elegeu ( não tinha urna eletrônica ainda) o macaco Tião (um chimpanzé do zoológico). Na época dizia-se que era voto de protesto. Quando não manipulado, o eleitor carioca lança mão do seu voto de protesto. Ao longo do tempo, pelas figuras que foram eleitas, constatamos às duras penas os resultados dessas duas modalidades “inteligentes” de elegerem seus representantes que governam suas vidas à cada quatro anos. Definitivamente o cidadão honrado e decente do Rio de Janeiro não merece isso. Agora fica a dúvida sobre quem assumirá o cargo de Governador para administrar o Estado. O atual será afastado. Assumiria o vice que também é citado e arrolado nesses rolos. O próximo, seria o presidente da Câmara, também com seu zeloso nome envolvido em rachaduras. Isso aqui é um poço sem fim. Precisa-se aumentar o número de salva-vidas para a população não se afogar. Porque o Rio de Janeiro está afundando em dimensões idênticas ao Titanic. Socorro!!! Ajudem por favor!

  12. O eleitorado fluminense, que tem um altíssimo grau de conscientização política, só elege gente ética e do mais alto padrão de incorruptibilidade.

    Witzel, Pezão, Cabral, Rosinha, Benedita, Garotinho… Jair Bolsonaro, Bolsonaros Zero-Um, Zero-Dois, Zero-Três…

  13. O jornalismo brasileiro na tv está cada vez mais parecendo programas de humor, hoje na CNN na hora do almoço, depois de falarem um monte idiotices sobre o Rio, entrou uma entrevista com o Deputado Molon que é um verdadeiro malão. O ancora perguntou a ele o que ele achava do que estava acontecendo no Rio, e ele imediatamente saiu se defendendo, dizendo que era do Rio, e era Dep Federal, e que não tinha nada com isto… fiquei pensando: nem os políticos do Rio acreditam mais neles mesmos, a desgraceira é total, o cara é chamada para ser entrevistado e fazer discursos falando mal do adversário, mas começa se defendendo? Realmente esta turma está no fundo do poço, se não houvesse juizes vagabundos soltando toda esta gente, não teríamos cadeia para todos.

  14. Caro Editor,

    As estruturas partidárias estão seriamente corrompidas. Só consegue a indicação para cargos de maior relevância o político que foi galgando a confiança de seus dirigentes demonstrando toda a sua capacidade para o roubo e o peculato.
    Nos grotões fluminenses grassa a mais completa alienação, o que tem permitido a indicação dos mais famosos meliantes para a subida honra de representá-los e conduzir os seus destinos como governadores.
    Triste destino.
    Triste sina.

  15. Precisamos de candidatos Conservadores em consonância de pensamentos e ações. Para estabelecerem diretrizes de atuação desde a pré candidatura até sua efetiva eleição. Além das pautas conservadoras. Comprometerem-se com os projetos que visem a facilitar o dia à dia do cidadão e a consolidação desses novos políticos com a patente de símbolos inquebrantáveis, como: seriedade, honestidade, retidão, caráter, patriotismo e verdade. Isso não é favor, é obrigação. Quem não rezar essa cartilha, seja convidado à retirar -se ou ser expulso sumariamente. Esse seria um dos primeiros pontos. Outro seria no sentido de acabar com obrigatoriedade de estar vinculado à algum partido. Pois, o constrangimento da cumplicidade, da conivência, do conluio e do compadrio. Já começa por aí. Porque quem se associa à algum partido já tem que entrar doando dinheiro. Qual o problema da candidatura avulsa? O que não se evitaria com essa simples mudança. Outra situação a se cogitar seria transformar Politíca em matéria curricular obrigatória nas Escolas. Sem viés partidário, obviamente. Quantos milhares, milhões de cidadãos estariam aptos para exercerem com dedicação, conhecimento e dignidade suas funções políticas. Ao invés de terceirizarmos os galinheiros para os lobos. Como ao longo de décadas nos ensinaram, nos manipularam, nos desinformaram. Primeiro, foi para odiarmos os Militares. Depois seguiram -se inúmeras armadilhas comportamentais, lavagens cerebrais, emburrização das massas e todo tipo de alienação sociopoliticofilosofica. Unindo essas forças, pensamentos e inteligência. O País, a Sociedade, a Política séria só tem a ganhar, aprimorando-se, participando efetivamente dos interesses urgentes, prementes e justos para a Nação. Estejamos irmanados em pensamentos, palavras e obras, como bem pregou Nosso Senhor Jesus Cristo. Unidos venceremos.

Deixe uma resposta