1 pensou em “JUSTIÇA LIVRA MAIS UM

  1. É impressionante a leniência da Justiça, assim como a generosidade dos magistrados brasileiros. A culpa e o mérito da sentença não interessam mais. Pouco importa se o réu confessou os crimes, por livre e espontânea vontade, e se declarou culpado. Para a Justiça brasileira, hoje o que importa é o processualismo patológico, na definição genial do jurista Joaquim Falcão, professor de Direito da Fundação Getúlio Vargas. E assim o Brasil se tornou o país da impunidade. (C.N.)

Deixe uma resposta