DEU NO JORNAL

Tribunal de Justiça do DF afirma que candidata negra foi rejeitada em cota de concurso por ser “bonita”

Rebeca Mello passou em concurso do Ministério Público da União, em 2018, mas foi desclassificada pela banca organizadora

* * *

Pela jurisprudência da Justiça do DF, negra só pode ser enquadrada na cota racial se, além de negra, for tipo lobisomem assombroso.

Ou seja, se tiver alguma parecença com Benedita.

Bonita nem pensar.

É pra arrombar a tabaca de Xolinha!!!

Rebeca e Benedita: uma neguinha bonita não tem direito a cota

2 pensou em “JUSTIÇA BANÂNICA

  1. É o Brasil correndo para igualar-se à Africa do Sul dos tempos do Apartheid e à Alemanha nazista: tribunais raciais.

    Próximo passo será instituir a Santa Inquisição para julgar, através da tortura, aqueles que não pensam de acordo com as ordens governamentais.

  2. Observemos bem o ano da rejeição à candidata negra “bonita”: 2018.

    Ainda estávamos sob o jugo do desgoverno totalitário, autoritário, arrogante, esquerdista, comunista. Na pessoa do vice da anta.

    Que coisa mais esquisita. Deveria-se aproveitar o momento que o assunto veio
    à baila e pedir exame de sanidade mental para todos que participaram da banca organizadora.

Deixe uma resposta