CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

Caro!

Tenho enviado mensagens que, como escrevi em primeiros contatos, é forma de desabafo e evita gastos com analistas, ida a igreja ou falta de amigo.

Agora, o assunto é o tal de imposto digital, ou CPMF disfarçada..

Parece uma ideia sensacional, vinda de uma cabeça que só poderia ser de gênio.

Mas, não precisa ser gênio para enfiar no lombo do povo imposto quando se precisa de dinheiro para financiar sei lá o que.

Como dizia mestre Millor: me impõem e depois me chamam de contribuinte.

Mas, parece que que apesar de ter votado, incentivado familiares e brigado com outros tantos pelo nosso Messias, hoje ele se rende ao gosto do poder e esquece promessas de campanha.

Agora, mais essa para o prego no caixão.

Infelizmente, toda reforma sempre passa pelo bolso de quem não pode reclamar: os mais pobres.

Temos no congresso bancadas do futebol, dos funcionários públicos, evangélicos, do “toma lá dá cá” e por aí vai.

Mas. onde está a bancada do “zé povinho”, aqueles que realmente criam riquezas, passam a via inteira trabalhando, pagando impostos e se aposentam com a “merreca” de no máximo R$ 5 mil e tanto e, olhe que são poucos – Dilma por exemplo – que o conseguem.

Agora vem de novo a tal da CPMF, disfarçada ou sob a mentira que irá criar empregos e, é tão pouco que ninguém sentirá.

Começou assim e, a medida da necessidade ou cara de pau foi aumentando e sufocando quem pouco tem.

R$ 2 reais em R$ 1 mil? Para as ilustres excelências parece nada – afinal até tapioca era comprada com cartão corporativo – pois quase nunca põem a mão no bolso para pagar algo.

Brasília, nossa ilha de fantasia; o resto do país? Dane-se, pague e não reclame!

Mesmo que meu desabafo vá para lixeira, exprimi meu pensamento e opinião, que é quase nada, mas me senti no direito de assim proceder.

Desculpe ter tomado seu tempo.

Abraço, inté!

33 pensou em “JOSÉ ALVES FERREIRA – SÃO PAULO-SP

  1. Diferentemente da antiga CPMF, a nova contribuição deverá ser cobrada somente sobre transações financeiras digitais. Sendo assim, a nova CPMF com certeza prejudicará muito Nubank, Banco Original e Banco Inter, transações na Bolsa de Valores também devem ser afetadas.; afinal a cada transação realizada incidirá esse novo tributo.

    Escreve o senhor Ferreira: Infelizmente, toda reforma sempre passa pelo bolso de quem não pode reclamar: os mais pobres.

    Creio haver um engano em seu texto, pois pobre não tem conta digital.

    Creio que os tais mais pobres não possuem conta digital, sendo que em sua maioria nem conta bancária possuem…

    Tal medida atingirá a classe da população que não possui grandes problemas financeiros (classe média para cima), essas sim, sempre prejudicada em qualquer ato de qualquer governo.

    • Para alegria do senhor José Alves Ferreira,

      Sem acordo com os líderes do Congresso, o governo não irá enviar, por enquanto, a proposta criação de um novo imposto sobre pagamentos digitais para compensar a desoneração da folha para até dois salários mínimos.

    • Eu sou a favor da CMF – Contribuição Sobre Movimentação Financeira, tirando o “P” de provisória e botando pra lascar direto, por várias razões: é uma boa fonte de recursos, taxa quem está movimentando recursos em bancos (o que atinge menos os mais pobres), mas, e muito particularmente, DESDE QUE mantenha um dos objetivos originais, que era detectar as mutretas, as movimentações safadas. E sou ainda mais favorável na medida em que os recursos sejam destinados ao combate à pobreza.
      Anotem aí.
      E vamos nos lembrar: parece pouco, mas de 1997 a 2007, a CPMF arrecadou R$ 223 bilhões, ou 22 bilhões em média por ano. Em 2007, último ano de vigência da contribuição, foram recolhidos R$ 37,2 bilhões,
      Dado importante é que o cruzamento de informações bancárias com as declarações de Imposto de Renda dos contribuintes pode ser feita de modo a permitir identificar discordâncias entre valores declarados à Receita Federal e a movimentação de dinheiro em bancos e possíveis fraudes.

      • Santa Inocência ……

        E caixa dois passa por Banco……. PQP hein ???!!!!

        Lembra-se dos 51 milhoes em dinheiro vivo no apto do Gedel

        E esses foram encontrados……

        Imaginem os milhoes do Lulla que não foram encontrados ……. hi hi hi …

        • Arthur, não pode taxar o que está escondido, mas é possível taxar o que está exposto. O caixa 2 não precisa ser dinheiro vivo, e mesmo que o seja deverá passar pelos bancos, mais cedo ou mais tarde, pois o caixa 2 não fica parado em uma gaveta da empresa., que se trata de dinheiro vivo obtido por corrupção e escondido fora dos bancos, mas mesmo esse mais tarde passaria e talvez já tenha passado por bancos.
          Diferente de caixa 2 é o exemplo dos 51 milhões, que deve tratar-se de dinheiro vivo escondido obtido com corrupção, mas mesmo esse mais cedo ou mais tarde passará, se já não passou, por bancos.
          Quanto aos milhões do Lula, a justiça acaba de declarar que foram legalmente obtido com palestras.
          Os outros milhões só existem na cabeça dos bolsonaristas, porque por mais que tenha sido investigado nunca foi encontrado um puto do Lula em contas no País ou no exterior, nem em nome de laranjas, nem debaixo de colchões.
          Suposições vazias como essa não valem nada, não têm o valor de uma côdea de mel coado.

    • Sempre falam em mais impostos…..

      Nunca estes FDP’s falam em cortar despesas e custos supérfulos, como por exemplo…..;

      Diminuir o numero de Senadores, de deputados federais e estaduais, de vereadores, de prefeitos, e seus assessores para “rachadinhas” com o meu dinheiro……

      Liquida as cidades e seus parasitas do funcionalismo, que não tem capacidade de se auto sustentar ……….

      Acabar com as empresas estatais deficitárias e privatiza as outras, liquidando com os parasitas e seus apadrinhados privilegiados ……

      Liquidar com privilégios e mordomias imorais nos poderes Executivo, Legislativo, Judiciário e nas forças Armadas…..

      Diminuir os gastos com o sistema Judiciario que são lerdos e portanto incompetentes….

      Quanto menor, mais fácil fica para vermos as falhas e a necessidade de não existirem

      Criminalizar os detentores de salários ILEGAIS acima do teto ……… eu falei ILEGAIS ……. parece brincadeira… !!!!

      Estas medidas que qualquer cidadão brasileiro adota quando as coisas apertam, exceto claro, os canalhas do funcionalismo, em qualquer poder, inclusive nas forças armadas, e em qualquer nível (Federal, Estadual ou Municipal).

      E os estúpidos ainda apoiam aumento de despesas e custos, para………. AJUDAR OS POBRES …………

      PQP ….!!!!

      Mais grana para ilegalidades, privilégios, desvios, roubos, impunidade e desperdicios …..

      O que me consola…: Melhor ouvir e ver estas imbecilidades do que ser surdo e cego……

      PQP…!!! …… Que bosta …. !!!!!!

      • É próprio do sistema econômico capitalista gastar dinheiro e não economizar. Quanto mais se gasta, mais se ganha. Por isso o capitalismo tem em uma de suas fontes de crescimento, riqueza e esplendor o supérfluo. Se o Estado contrata menos e se, pior, começa a se “enxugar”, diminuindo despesas com tudo o que for possível no considerado supérfluo, ou menos importante, e passa a demitir servidores, isso esfria a economia, diminui a produção (o Estado é grande consumidor) e aumenta o desemprego, O que o Estados precisa fazer é gastar o melhor possível, aproveitar ao máximo o dinheiro, evitar desperdícios, mas gastar mais e não menos. Também é bom considerar que alguns cortes de despesas, como diminuir quantidade de deputados, parece maravilhoso mas é mais de efeito demagógico do que prático, porque a redução desse tipo de mão de obra pode prejudicar a produção legislativa e não determinar economia tão relevante – reduzes 513 deputados pela metade, passas para 256, economizas quinhentos milhões de reais por ano em um orçamento de 4 trilhões de reais…

    • Sancho, toda conta que eu pagar pela internet é digital e pode ser taxada. Ou não?
      Eu uso cheques muito raramente, logo tudo que eu pago com cartão (débito ou crédito) é digital. Ay Sanchito!

      E o problema não é só esse, é o efeito cascata, que certamente virá. E tudo desaguará na ponta final do caminho: O CONTRIBUINTE.

      Cacildis!

      Mas seguramente haverá ralos: no passado isentaram as casas lotéricas de pagar o imposto. Eu tinha um colega que juntava os cheques e ia trocar nas casas lotéricas, que evidentemente cobravam uma taxa menor que a CPMF.

      O grande problema é que aceitar um imposto novo é fácil (é so convencer o Congresso) mas revogá-lo é dificílimo (só convencendo o Congresso)

      Sanchito, quando algum político vem com uma “boa idéia” (51) eu vou logo pegando a carteira. Isto vem desde os tempos da ditadura, nada ha cambiado, sin enbargo. That’s enough for me.

      • Eso es suficiente para mi… Sanchito, assim como tu, quando algum político vem com uma “boa idéia” (51) também vai logo pegando a carteira.

        Francisco, Sancho detesta impostos (pouco retorno para a sociedade). Só não sonega porque não tem como.

        Quantos à contas digitais referem-se às dos bancos digitais como Nubank, Banco Original e Banco Inter. Esses serão os grandes prejudicados.

        • Quanto a tal ditadura, tão falada ditadura, a vida de Sancho, amigos e familiares nada sofreu com os milicos no poder. Sancho viveu a infância e adolescência sob tal regime e não observou NADA que pudesse assim ser classificado.

          Classificar o regime militar de ditadura me causa certa “estranheza”. Mas (benedicto mas), há gosto e desgosto para tudo.

          Olho para Cuba, Venezuela, Coreia do Norte e lá vejo povo sob as botas de tiranos. Não vi isso no Brasil.

          • Ditadura, Sancho, não é o que tu sentes ou deixas de sentir. Ditadura é governo eleito pelo próprio governo. Ditadura é falta de liberdade de imprensa. Ditadura é justiça algemada. Tu viveste isso, mas não sentiste, porque de alguma forma não te atingiu, mas devias saber que vivias em tal regime ou poderias ser considerado alienado. Pois bem, por tua declaração, não importa se as Forças Armadas interviessem e garantissem poder absoluto a Jair Messias Bolsonaro e sua eternização no poder, desde que o povo estivesse nutrido e satisfeito. Ora, pois, isso pode corresponder a alguma ditadura que se condene no mundo. Assim, Jair Messias Bolsonaro poderia mandar censurar os jornais, ou fechá-los logo, acabar com estações de rádio e TV e deixar apenas as que fossem oficiais do governo, controlar o poder judiciário, estabelecer leis de exceção, torturar e matar à vontade, desde, sempre, que o povo estivesse bem nutrido e satisfeito. É uma questão de escolha e eu conheço muitas pessoas que afirmam que o regime militar foi ótimo e até garantem que naquela época nem corrupção havia, acreditas numa coisa dessas?

        • Não vão ser as contas digitais que serão taxadas, mas todas as transações digitais.

          Sancho,há horas que quando eu leio alguns comentários otimistas pacacete , lembro de um conto do Aurélio em seu livro “Floresta de Exemplos”

          Um grande sábio foi um dia caçar patos em uma lagoa. Enntrou num barquinho conduzido por um camponês. Quando avistararm os patos, o sábio gritou “Olha lá estão os patos!”. Naturalmente a pataiada voou.

          Depois de outros dois episódios semelhantes, o camponês falou meio timidamente ao sábio “dotô num fala prá num ispantá os pato”. “Me desculpe”.

          Quando os patos voltaram, o sábio, não se guentando, bradou “Avis per multa sunt”. Voaram todos. O camponês falou “dotô, eu num pedi prá não falá?”

          E o sábrio “Caspité, eu não sabia que estes bípedes entendiam latim!”

          CPMF, Sancho, significa: In furicus tuus laboramos”

  2. O mais incrível nessa nossa banânia é que sempre aparece alguém defendendo ou minimizando os efeitos de novos impostos. Desculpe, senhor Sancho, mas enxergue um pouco além da sua pança.
    Independentemente de quem será afetado, será mais uma tungada no bolso do povo.
    É fato que muitos já são beneficiários das tetas da viúva. Mas há os que ralam o dia todo, todo mês, muitos sem nunca tirarem férias, para alimentar esse leviatã que só faz crescer.
    Também votei em Bolsonoro, primeiro para tirar o PT do poder e depois “acreditando” em suas promessas de que faria diferente. Não será dessa vez.

    • Desculpe, senhor Sancho, mas enxergue um pouco além da sua pança.

      Totalmente desculpado estás, señor Canindé.
      Defendo-me: defendo ou minimizo os efeitos de novos impostos diz o señor. Muito pelo contrário: repudio qualquer novo imposto. Sancho detesta impostos desde quando era menino lá nas Gerais e o governo portuga cobrava os tais QUINTOS, quintos dos infernos. Hoje os governantes cobram bem mais que o tal QUINTO, não é mesmo?!.

      Só refutei o fato do senhor José Alves Ferreira haver mencionado que seriam os mais pobres os mais atingidos, o que não é verdade, pois os tais mais pobres não possuem as tais contas digitais.

      Um resumo do que foi o tal IMPSTO.

      Durante a época do Brasil Colônia, o Ciclo do Ouro houve corrida em busca do enriquecimento. Portanto, os portugueses e brasileiros deslocavam-se para as regiões das minas, onde tentariam a sorte para adquirir ouro. Entretanto, a coroa portuguesa interviu, colocando, assim, impostos sobre o ouro obtido. O imposto era o seguinte: todo o ouro encontrado por Sancho deveria ser encaminhado para as Casas de Fundição, derretido e transformado em barras, nas quais havia o selo da Coroa. Portanto, durante esse processo, já era cobrado um imposto: o “quinto”, era a cobrança da quinta parte de todo o ouro encontrado. A Coroa Portuguesa, em 1750, começou a retirar o quinto diretamente nas casas de fundição.

      Tal tributo, odiado por todos fo apelidade de “o quinto dos infernos”.

      Desculpe, senhor Sancho, mas enxergue um pouco além da sua pança.Desculpe, senhor Sancho, mas enxergue um pouco além da sua pança.Desculpe, senhor Sancho, mas enxergue um pouco além da sua pança.Desculpe, senhor Sancho, mas enxergue um pouco além da sua pança.

      • Para alegria do senhor Canindé,

        Sem acordo com os líderes do Congresso, o governo não irá enviar, por enquanto, a proposta criação de um novo imposto sobre pagamentos digitais para compensar a desoneração da folha para até dois salários mínimos.

      • O Sancho, o tributo vai ser cumulativamente aplicado e desaguará no preço do feijão, do arroz. Não adianta nada o pobre não ter conta se vai tomar no furico.

        Acorda, patavina e vem cantar…

  3. DINAMARCA: A carga tributária do país corresponde a cerca de 45,2% do PIB.
    FINLÂNDIA: A carga tributária corresponde a cerca de 44% do PIB.
    BÉLGICA: A Bélgica fica em terceiro lugar, com cerca de 43,2% do PIB.
    FRANÇA: O quarto lugar fica com o país que arrecada 43% em tributos no PIB.
    ITÁLIA: Em quinto lugar fica a Itália. Cerca de 42,6% do PIB é arrecadado com tributos.
    SUÉCIA: 42,8%
    ÁUSTRIA: 42,5%
    NORUEGA: 42,8%
    LUXEMBURGO: 39,3%
    HUNGRIA: 39,8%
    ESLOVÊNIA: 36,8%
    ALEMANHA: 36,7%
    ISLÂNDIA: 35,5%
    BRASIL: 34,5%

    • Agora, señor Goiano, favor elencar o retorno em qualidade de vida e serviços essenciais para tais populações, pois no Brasil nossos impostos são empregados em escolas caindo aos pedações, estradas esburacadas, favelização da periferia das grande cidades, hospitais em lastimável estado, (in)segurança pública, esgotos a céu aberto, rios poluídos, alguns outros etcéteras e roubalheira, muita roubalheira do dinheiro do pagador de impostos (eu, tu, eles),

      Esquecestes de elencar os Estados Unidos da América em tal relação…

      • É preciso ter cuidado ao comparar números de países com sistemas tributários diferentes. Não é só quanto paga, é quem paga.

        Por exemplo, da lista acima, o Brasil é o que mais cobra imposto das pessoas jurídicas (o que desestimula a produção) e o imposto sobre consumo (o VAT de muitos países, aqui ICMS+IPI) também está entre os maiores, especialmente porque o Brasil, ao contrário dos outros, cobra imposto até sobre comida e remédio.

        IRPJ VAT/ICMS

        DINAMARCA 22% 25%

        FINLÂNDIA 20% 14-24%

        BÉLGICA 29,58% 6-21%

        FRANÇA 31% 5,5-20%

        ITÁLIA 27,9% 10-22%

        SUÉCIA 21,4% 12-25%

        ÁUSTRIA 25% 10-20%

        NORUEGA 23% 15-25%

        LUXEMBURGO 28,69% 3-17%

        HUNGRIA 9% 5-27%

        ESLOVÊNIA 19% 9-22%

        ALEMANHA 29,65% 7-19%

        ISLÂNDIA 20% 11-24%

        BRASIL 34% 17-25%

        • Certo, Bertoluci, e frequentemente os fenômenos econômicos não podem ser compreendidos por certas comparações, mesmo quando elas cotejam números correspondentes e exatos, porque afora esse elemento inúmeros outros entram na composição. Quando se trata, então, de comparação entre países, é bem mais complicado, dada a variação de mais “ene” elementos, como salários, rendimentos, moedas.
          Mas, falamos da CPMF, quando eu dizia que não sou contra sua instituição, não como “contribuição provisória”, mas como definitiva, dada sua capacidade arrecadativa diluída, incidindo (diretamente) mais sobre os melhores aquinhoados (Arthur lembrou que os tributos são repassados pelos fornecedores aos compradores) e sua ação fiscalizadora, além da incidência de valor baixo (a CPMF funcionou no Brasil de 0,2% a 0,38%, o que equivale a |R$ 2,00 ou R$ 3,80 por cada R$ 1.000,00 movimentados.
          Eu acredito que a reação contra tal taxação vem, concreta e objetivamente, da classe alta, e que o povo se contamina pelo discurso dessa classe contra impostos, qualquer imposto.
          É comum a pessoa procurar sonegar impostos sob a desculpa de que o dinheiro vai para o ralo, é roubado, é mal aplicado, mas a sonegação só compromete as dificuldades do Estado em aplicar em investimentos e benefícios para a população.
          Com esse tipo de taxação (CPMF) algo se pode recuperar dessa distorção (sonegação), do tipo que Jair Messias garantia que fazia e faria o quanto pudesse, que o trabalhador comum por vezes sonega comprando recibos ou pagando ao profissional sem recibo para que o profissional sonegue com a sua conivência e participação (cumplicidade) no resultado, isto é, na economia.
          Enfim, pergunto: Quem tem medo da CPMF? E por quê?

          • O pobre tem medo do efeito cascata, que vai atingir, lá na ponta, o feijão e o arroz.Ou seja, todo mundo vai jogando a expectativa de imposto a pagar para a frente, na cadeia de suprimentos, e ao fim, não são 2 reais a cada 1000, como já vimos fartamente.

            Os ricos não vão se queixar nunca, aliás tu já viste rico se queixando da vida?

      • E por isso Sancho a direita entusiasmada aplaude Jair Messias Bolsonaro dizendo que sonega tudo e recomendando o povo a sonegar, sob a alegação safada de que os impostos são mal empregados como dando dinheiro para vagabundo que não quer trabalhar quer ficar só no mornéis vivendo às custas do governo veja só véi organismos apuraram que o tal retorno em benefícios à população é realmente menor no Brasil do que em alguns outros países mas ainda assim estamos vendo todos os dias os governos municipais estaduais e federal realizando coisas inclusive com essa assistência emergencial pela Covid 19 não me parece que esse argumento de que há menor retorno do que em outros países seja suficiente para condenar providências necessárias em dados momentos talvez seja preciso mesmo focar na melhor aplicação dos recursos como sabes o desvio para o ralo é coisa do passado pois no governo de Jair Messias Bolsonaro não existe corrupção espera um pouco que estou pegando ar

      • Complementando para o Sancho:

        USA 24%

        SUÍÇA 28%

        AUSTRÁLIA 28%

        JAPÃO 31%

        NOVA ZELÂNDIA 33%

        Dados da OECD, 2018 ou 2017, “total tax revenue as % of GDP”

        E aí, será que é mais fácil o Brasil aumentar a carga tributária e virar uma Noruega ou diminuir e virar uma Austrália?

        • Quanto a “virar alguma coisa” o Brasil, pelo andar da carruagem do gigantesco exército de cidadãos que querem manuelas em prefeituras, por exemplo, está o “gigantesudamericano” a caminho de “virar”, como a Argentina está virando, aquelas cópias mal feitas de Venezuela e Cuba.

          Como sabiamente escreves, o Brasil, ao contrário dos outros, cobra imposto até sobre comida e remédio.

          • Pança, a tua referência à Manuela D’Ávila pode significar que se Luciano Siqueira (PCdoB-PE), vice-prefeito do Recife, por acaso assumir a prefeitura… a cidade vai pro saco?!
            Ele, com muela, transformariam suas cidades em ilhas comunistas no Brasil, acabando com a propriedade privada?
            Ou queres apenas dizer que se a pessoa é comunista é burra e incompetente?
            Diz aí.

            • Pessoas comunistas não são burras e muito menos incompetentes.
              Seria mais imbecil do que já é nosso amigo Sancho se assim classificar líderes comunistas que fizeram e fazem história mundo afora.

              Xiping é brlhante, Kim também o é. Putin é o cara (apesar de classificá-lo como comunista não me soa bem). Fidel era hipnótico, dono de um discurso que fazia babar multidões. E o que dizer de Stálin, Pol Pot? Homens inteligentíssimos.

              Meu único problema com a turma da foice e do martelo é o que fazem com o povo após instaurado completamente o regime, pois Sancho gosta de liberdade.

              Falemos de liberdade…

              “A liberdade, Sancho, é um dos dons mais preciosos, que aos homens deram os céus: não se lhe podem igualar os tesouros que há na terra, nem os que o mar encobre; pela liberdade, da mesma forma que pela honra, se deve arriscar a vida, e, pelo contrário, o cativeiro é o maior mal que pode acudir aos homens.” El Ingenioso Hidalgo Don Quijote de La Mancha.

      • Esqueces, meu cenouro, que a partir de 1º de janeiro de 2019 nossos impostos não sãos mais empregados em escolas caindo aos pedações, estradas esburacadas, favelização da periferia das grande cidades, hospitais em lastimável estado, (in)segurança pública, esgotos a céu aberto, rios poluídos, alguns outros etcéteras e roubalheira, muita roubalheira do dinheiro do pagador de impostos (eu, tu, eles), e a partir de então, sob o governo de Jair Messias Bolsonaro, todo o dinheiro volta redondinho e é aplicado em escolas maravilhosas, hospitais cheirando a carro novo, estradas alemãs, ruas seguras………………….

        • Não seja irônico, pois sabemos que dentro de qualquer governo, por mais bem intencionado que seja, pelo tamanho descomunal da máquina pública há ratos roendo a roupa do rei de Roma.

          Os cofres públicos são tentadores demais. e não esqueça que o dinheiro já saiu do contribunte e fica lá se oferecendo para quem tem alguma vocação para enfiá-lo nos bolsos ou roupas íntimas, além de malas, mochilas e contas o exterior.

          Taí a lava jato que não me deixa mentir…

          Seria muito tolo alguém achar que o atual governo e qualquer outro seja composto apenas por madres teresas de Calcutá.

    • E daí Goiano ??????

      Quais serviços públicos de qualidade que o Brasil oferece ??

      Instrução, Educação, Saúde, Segurança Justiça………????!!!!!!

      Só ilegalidades, privilégios, desvios, roubos, impunidade e desperdicios…..

      Tudo que tem de bom neste País não depende em nada do Governo ……..

      Riquezas minerais, Água a vontade, Lindas praias, Lindas montanhas, lindos cerrados, um povo bem humorado, trabalhador, da paz, acolhedor, vento, Sol…

      sendo destruido por esta canalhada do “politicamente correto, do nhem nhem nhm, do nós contra eles, dos coitadinhos, das desigualdades etc…….

      É absolutamente irritante ….. !!!

      • Arthur falas do passado quando o governo roubava tudo mas isso não existe mais agora tudo é limpo e bem aplicado acabou a corrupção acabaram-se os gastos inúteis não existe mais superfaturamento nem licitações dirigidas é tudo honesto de modo que instrução educação segurança saúde justiça obras públicas tudo enfim sob os auspícios de Deus pátria família propriedade conservadorismo honestidade militarismo meninos de azul meninas de cor de rosa banheiros para homens separados de lêidies e de gays e lésbicas está tudo agora nos eixos o comunismo afastado os políticos desonestos alijados então não se deve pensar assim porque tudo mudou estamos agora sob Jair Messias Bolsonaro onde cujo o qual e quando somos felizes e certamente comeremos big lanches despreocupados porque a corrupção desapareceu do Brasil e não seremos mais nem Cuba nem Venezuela

  4. Parabéns Sr. Arthur Tavares.
    O senhor tocou nos pontos nevrálgicos dessa conjuntura socioeconômicofinanceira.
    Que nos persegue, nos amarra e nos escraviza, “ad eternum”.

    Vivemos e convivemos outros momentos econômicos: Planos,
    pacotes, etc.
    Alquimias mirabolantes, onde o povo sempre foi o parceiro compulsório/voluntário/obrigatório. Apertou todos os cintos possíveis e disponíveis.
    Enquanto, as inatingíveis castas, criadoras das soluções que nunca solucionaram nada.
    Cinicamente, sentiam muito. Mas, tinham que apertar mais.

    A nossa libertação, acredito eu, nunca chegue. Tirante, houver uma mudança no comprometimento do Orçamento da União. Que chega a 90% com despesas obrigatórias e apenas 10% para Investimentos Federal.
    Caso esses percentuais não se alterem drasticamente. Tudo que falarmos, matraquearmos e eles deliberarem à respeito.
    Seremos, todos, prolixos. Discutindo o sexo dos anjos.

    Um bom final de semana para todos.

  5. “As principais despesas obrigatórias, consideradas na elaboração dos orçamentos da União, são: as transferências constitucionais, sobretudo aquelas associadas aos fundos de participação dos
    estados (FPE) e municípios (FPM); as despesas de pessoal e encargos sociais; as decorrentes de dívidas pública contratual e mobiliária; benefícios previdenciários, abono salarial, seguro desemprego e débitos judiciais(precatórios e outras sentenças).”
    “Na esfera federal, o limite máximo para gastos com pessoal é de 50% da receita corrente líquida. Para estados e municípios, o limite é de 60% da RCL. Se a despesa total com pessoal ultrapassar 95% desse limite, a LRF proíbe qualquer movimentação de pessoal que implique aumento de despesa.”

Deixe uma resposta