RODRIGO CONSTANTINO

“Blogueiro bolsonarista investigado pelo STF usou estagiária de Lewandowski como informante”, diz manchete em destaque na Folha de SP hoje. O jornal conseguiu acesso às conversas trocadas entre o jornalista e a funcionária do ministro, usando alguma fonte. Mas eis o interessante: só quem tem fonte é jornalista de esquerda!

A tática da velha imprensa é tão manjada que falta sutileza. Todos percebem o truque. Para começo de conversa, o uso do rótulo blogueiro, que os militantes disfarçados de jornalistas usam para se referir a qualquer jornalista que não seja de esquerda.

Mesmo alguém que atua e atuou nos principais veículos de comunicação do país, como no meu caso, continua chamado de blogueiro se não for da patota corporativista, dominada pelo esquerdismo. Jornalista é termo reservado só para quem é do clubinho, gente que leva a sério Renan Calheiros.

É a mesma tática do uso da expressão “empresário bolsonarista”. Ora, nunca vimos a imprensa falar em empresário tucano ou empresário lulista, mesmo quando o empresário em questão é ligado umbilicalmente ao PT ou ao PSDB. Mas bastou enxergar virtudes no presidente ou em seu governo para virar um empresário bolsonarista, em tom depreciativo.

Voltando ao caso de Allan dos Santos, do Terça Livre, eu poderia jurar que a mídia chamasse esse tipo de contato de “fonte”. Algo inclusive preservado pela Constituição Federal, com direito ao sigilo e tudo. Mas como se trata de um “blogueiro bolsonarista”, a fonte virou “informante”, e o panfleto esquerdista disfarçado de jornal faz de tudo para criar ares golpistas e criminosos na relação entre fonte e jornalista.

A ponto de passar batido pelo que realmente importa nessas trocas de mensagens! “O que vi de mais espantoso é que realmente eles decidem como querem e o que querem. Algumas decisões são modificadas porque alguém importante liga para o ministro”, diz a funcionário do ministro Lewandowski.

Barbara, a mineira do popular canal TeAtualizei, comentou sobre isso: “Invés da galera comentar o absurdo da informação dada pela estagiária do Lewandowski, d q as coisas mudavam qdo alguém importante ligava, os jornalistis estão chocados pq ela foi a fonte de alguém. Ninguém tá ligando para a gravidade da informação sobre a justiSSa desse país!

O jornalismo morreu? Esses militantes perderam a capacidade de identificar o essencial numa notícia? Vale tudo para atingir jornalistas independentes ou simpáticos ao governo Bolsonaro? Carolina Brígido, colunista do UOL e que escreve sobre o STF, tirou disso tudo que Allan dos Santos tentou “espionar o Supremo”. Leandro Ruschel rebateu:

Quando você recebe uma informação das suas fontes no Supremo é “jornalismo”, e quando o Allan faz o mesmo é “espionagem”? Alem disso, sobre a grave acusação de mudança de sentenças a pedido de autoridades, é mentira? Fake news? Nunca aconteceu?

Essa postura da velha imprensa tem sido responsável por sua acelerada perda de credibilidade. Enquanto os jornalistas deveriam estar debruçados sobre os esquemas absurdos que existem em nosso Poder Judiciário e ameaçam nosso Estado de Direito, preferem fazer picuinha e atacar “blogueiros bolsonaristas”, gente que, aliás, costuma ter muito mais engajamento do que esses jornalistas.

A prioridade dessa turma é lutar com unhas e dentes para resgatar uma era de hegemonia e monopólio das narrativas, uma época que não volta mais após o advento das redes sociais. Não há mais espírito público, compromisso com os fatos, a busca da verdade. Restou apenas a militância ideológica e a tentativa de assassinato de reputação dos novos concorrentes. São os blogueiros socialistas, que comandam o espetáculo da velha imprensa decadente…

1 pensou em “JORNALISTA TEM FONTE, BLOGUEIRO TEM INFORMANTE?

Deixe uma resposta