JOE KIDD, UM ESTILO DIFERENCIADO DO COWBOY CLINT EASTWOOD

Joe Kidd é uma película filmada no ano de 1972, que de um certo modo deixa a desejar por conta de seus poucos 88 minutos, além de que sua história poderia ser mais envolvente. Conta com um elenco de astros consagrados pelo cinema, como Clint Eastwood e até Robert Duvall; possui uma bela trilha sonora; um local de filmagem bem escolhido, porém a maior falha é a de que não souberam aproveitar muito bem todos esses importantes quesitos e fizeram com que o filme ficasse meio cansativo. O consagrado diretor John Sturges tinha de tudo em suas mãos para realizar um dos melhores westerns, inclusive dois grandes nomes do cinema (Clint Eastwood e Robert Duvall, ambos aparecendo em grandes trabalhos fora do filme). Infelizmente, John Sturges não soube trabalhar com o que tinha em que pese ser um dos melhores diretores norte-americanos de filmes de faroeste, com absoluta certeza.

É interessante notar que, quando o filme JOE KIDD foi lançado, em 1972, Clint Eastwood já havia dirigido seu primeiro filme Perversa Paixão, que é de 1971. No ano seguinte, 1973, dirigiria seu segundo filme, O Estranho Sem Nome em que interpreta um personagem bastante parecido com o dos filmes de Sergio Leone e com este Joe Kidd. É bom que se diga que Joe Kidd foi um dos últimos filmes de diretor John Sturges (1910-1992), um bom cineasta que realizou vários belos filmes. Fez westerns clássicos que arrebataram plateias no mundo inteiro – A Fera do Forte Bravo(1953), Sem Lei e Sem Alma(1957), Duelo de Titãs(1959) e Sete Homens e um Destino (1960), além de ter dirigido bons filmes de guerra e ação, como Fugindo do Inferno e Quando Explodem as Paixões(1959). E fez ainda um grande filme, um marco, sobre preconceito racial, Conspiração do Silêncio, com uma das grandes interpretações de Spencer Tracy. O grande Tracy fez com ele também uma ousada filmagem de O Velho e o Mar, de Ernest Hemingway, em 1958.

A sinopse do filme nos revela que Joe Kidd(Clint Eastwood), um caçador de recompensas professional, está em sérios apuros: depois de causar muito tumulto em terras indígenas em um de suas missões, acabou sendo preso. Mas, depois de receber a proposta para lutar contra o revolucionário por nome de CHAMA, que tem causado sérios transtornos aos moradores, ele decide que precisa voltar ao trabalho de qualquer jeito. Quer dizer, durante a guerra dos EUA com o México, Joe Kidd um ex-caçador de recompensas, se envolve na disputa entre o líder mexicano Louis Chama e o dono de terras Frank Harlan. Toda história está voltada para um ex-caçador de recompensas que ajuda de forma relutante um rico proprietário a perseguir um líder revolucionário mexicano. Há quem diga que Joe Kidd é o filme mais fraco que Clint Eastwood já atuou.

A trilha do Lalo Schifrin é muito bacana, mas o filme é razoável, Duvall chama mais atenção que Eastwood nessa atuação. Diga-se de passagem, Joe Kidd é um western mediano e cheio de clichês, como o malvadão que quer terras e o ”revolucionário” que luta por uma ”causa” e tudo mais ou mais alguma coisa. Na verdade, para quem assistiu ao filme parece que faltou inspiração para todos nesse filme, está longe de ser das melhores obras do John Sturges e do Clint. Se isso fosse uma partida de futebol poderíamos afirmar que os times só entraram em campo para cumprir tabela.

No filme Joe Kidd. a gente se confronta com um Clint Eastwood um pouco diferenciado do que foi seu estilo até os dias de hoje. O Clint mudou até demais, largou o velho cowboy sem nome e misterioso para um sujeito dono de rancho. É curioso que dessa vez o nome dele foi o título do filme. Porém tem uma cena nele que torna essa película inesquecível: usar um TREM para entrar no Saloon, pois isso aconteceu no final e foi o que salvou todo o enredo. Em suma é um filme até legal, mas não espere muito achando que o trio Sturges, Eastwood e Duvall, os três fizeram um filme digno de top 10 do western, pois é uma película mediana.

2 pensou em “JOE KIDD, UM ESTILO DIFERENCIADO DO COWBOY CLINT EASTWOOD

  1. Ô \PInheiro
    Sabe que eu não achei o “Joe Kid” ruin não. Como você diz, é um Clint Eastwood diferente, mas não é ruim não.

  2. Altamir,

    Sem dúvidas que há momentos na carreira de qualquer gênio da arte em geral que ele deixa muito a desejar. E com o magnífico diretor John Sturges não podia ser diferente.

    Pena que ele produziu um filme mediano – e com menos de uma hora de duração – com dois atores magníficos: Clint Eastwood e Robert Duvall.

    Mas eu tiro o chapéu para John Sturges pelo conjunto de obras de faroeste porque nas entre linhas da película a gente encontrar sua marca, como na cena do trem no saloon.

Deixe uma resposta