CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

A Deputada Federal, do PSOL, pelo estado do Pará, Viviane da Costa Reis (Vivi Reis), manifesta-se indignada com o fato de a polícia do Estado de Goiás haver matado o serial killer Lázaro, sem ouvi-lo.

“Quando o capturam, ao invés de ouvi-lo, o executam”. Escreveu a deputada.

Minhas palavras de consolo:

Não se arrelie, senhora deputada, nem tudo está perdido. O mercado brasileiro é farto em delinquentes para todos os gostos. Nessa seara, que exubera em candidatos fora-da-lei, vossa excelência há de encontrar aquele, (com o perfil parecente ao do Lázaro), que irá atender o seu desejo de adoção. Não perca a fé, não tardará para a senhora contentar-se distraindo o desconsolo do seu “bebezão” adotivo saciando-o com copiosas mamadeiras de leite.

Fico na torcida para que a senhora encontre o seu menino ideal, mas não vamos exagerar. Exagerações descompassadas por vezes conspiram contra o factível; já não há mais cópias de garotos portadores da mesma bestialidade de Lampião, “o rei do cangaço”.

2 pensou em “JACOB FORTES – BRASÍLIA-DF

  1. O afiadíssimo Jacob ensina à moça, que há no mercado do crime bandidos tão ruins ou piores do que Lázaro para que ela adote e leve para serem felizes no reduto do lar esquerdista da cidadã em tela. Que todas as demais esquerdistas sigam o sábio conselho jacobiano para que consigam levar tais meliantes para o caminho do amor, diminuindo consideravelmente a criminalidade.

    Enquanto isso, continuo a bradar no deserto, rogando aos políticos, que crimes hediondos, crimes onde foi tirada a vida de algum inocente tenha como castigo a pena capital.

  2. A julgar pela gastura da deputada, ver-se que o crime exerce sobre as esquerdas grande fascínio. Malgrado, não se tem notícia de que comunistas tenham levado para dentro das suas casas este ou aquele delinquente.

Deixe uma resposta