MAURÍCIO ASSUERO - PARE, OLHE E ESCUTE

No início desse mês falei aqui sobre os municípios brasileiros enquadrados em situação de extrema pobreza. Resolvi mostrar um pouco mais desse quadro abordando uma questão relacionada com a qualidade de vida que ser beneficiário de um plano de saúde particular. Com isso, eu pretendo dar uma noção precisa do que esse país deixar de fazer pela sua população.

Na minha de quarta-feira passada usei dados da ANS – Agência Nacional de Saúde Suplementar para discutir o mercado de saúde suplementar no Brasil. Até março de 2020, 24,2% da população brasileira tem plano de saúde privado. Desse total, 41% são residentes nas capitais, 35,7% nas respectivas regiões metropolitanas e 19% são residentes em cidades interioranas. Isso quer dizer que o SUS atende 75% da população brasileira, exceto um pequeno percentual de pessoas que procuram as chamadas clínicas populares que proliferaram por aí e que atendem pessoas que não tem plano de saúde particular e não desejam enfrentar uma fila quilométrica para atendimento no SUS.

As regiões Norte e Nordeste, juntas, possuem 22,7% do total de pessoas com planos de saúde particular, enquanto a região Sudeste, sozinha, tem 35,2% beneficiários. Observe que isso não é fato decorrente da quantidade da população, mas do nível de renda. Comparativamente, por aqui temos uma renda insuficiente para agregar determinados produtos e saúde é um deles. Causa revolta quando a gente olha, particularmente, cada estado do Nordeste. O estado do Maranhão onde a família Sarney reina desde a época do descobrimento, por exemplo, um magnifico estado, comandado pelo grande governador comunista Flávio Dino, potencial candidato a presidente ou vice, segundo Lula, tem, repare bem, 7% de sua população beneficiária de plano de saúde. Vamos dizer de forma diferente: 93% da população do Maranhão é atendida pelo SUS. Desses 7% com plano de saúde, 29% residem em São Luiz e no interior do estado, repare bem, apenas, 3% da população tem plano de saúde. Na região Norte os estados do Acre (5,6%) e de Roraima (6,3%) são os estados com menor participação percentual e depois deles vem o Maranhão com seus 7%.

Fico incomodado com a passividade, que muitas vezes quero chamar de burrice, da população que não dá importância a esse tipo de situação. Nitidamente, o interesse do gestor público é manter as pessoas dependentes dos serviços públicos. Em 2007 e 2008, a cidade de São Luís tinha um salário médio de 3,2 salários mínimos, menores, respectivamente, do que as cidades de São João Batista e Governador Newton Bello. Em 2009, São Luís ficou tinha uma média de 3,4 salários mínimos, mas isso não deve ser comemorado como vitória porque as outras cidades pioraram. O povo maranhense merece mais do que isso.

Outras situações lastimáveis são os estados do Piauí, Ceará e Alagoas cujo interior apresenta 3,2%, 5,8% e 4,0% de pessoas com plano de saúde particular. Bonito é ver ex-governadores desses estados arrotando soluções para o Brasil. Basta ver quem administra esses estados por anos a fio e com um pouco de boa vontade entender que os gestores melhoram a cada ano e a população declina. O mais interessante é o fato de tais gestores atuarem como defensores compulsivos do SUS, mas quando necessitam procuram o hospital Sírio Libanês ou o Albert Einstein para seus tratamentos de saúde. O exemplo mais Renan Calheiros, fotografado sem máscara (a imprensa não comentou isso!) ao lado de Lula no hospital Sírio Libanês. O cara não valorizou sequer os hospitais de sua terra. Preferiu ser tratado em São Paulo. SUS e escola pública são para pobres que através do seu voto colocam no poder um cara que vai defender que o SUS atenda o eleitor e que este tenha uma escola pública para matricular o filho porque o filho do gestor estuda em escola privada e, se precisar, vai para um hospital privado porque tem plano de saúde. Se o caso for grave, bota num avião e leva para São Paulo.

É incrível como as pessoas não atentam para tais detalhes. Lógico que a população tem sua responsabilidade nisso porque quando chega eleição vende o voto ou vota num cara indicado pelo gestor atual sem levar em conta se o cara é competente ou honesto. Além disso, conta com a leniência da justiça. Por exemplo: o STE entendeu que pelo fato de a eleição não ser em outubro, candidatos com ficha suja podem concorrer. Alguém pode explicar isso? Ricardo Coutinho, ex-governador da Paraíba, foi oficializado como candidato a prefeito de João Pessoa e ele não pode participar de debates por conta de medida cautelar. O cara desviou R$ 134 milhões da saúde e da educação. Suas belas palavras: “Nós não seremos irresponsáveis. Vamos fazer a campanha com responsabilidade, vamos construir para esta bela cidade a ponte tão necessária, em momentos de tanta dificuldade como João Pessoa apresenta”. Um eleitor que dá um voto a um cara desses está sendo cúmplice.

Acho que Arael Costa acredita nas palavras dele. Talvez Goiano, Ceguinho Teimoso, …

8 pensou em “INDICADORES

  1. Escreve Maurício: Um eleitor que dá um voto a um cara desses está sendo cúmplice.

    E lá vai o Brasil descendo a ladeira, cúmplice de cada ladrão que elege…

    Mas (desesperante mas), os sujeitos e sujeitas que nos apresentam nossos amados partidos políticos, para escolhermos em quem votar é digno de filme de terror…

    Sempre que me encontro frente à urna sou obrigado a votar no menos pior… Como é horrível ter como opção apenas e tão somente um “menos pior”.

    Como dizem alguns fubânicos, é de cair o cu da bunda…

    Obs: tenho entrado em vários jornais de internet para acompanhar as grandes cidades na hora do voto e os candidatos que se apresentaram a meus olhos nessa pesquisa que estou fazendo é para o sujeito cair de joelhos e repetir frase de Jesus: ‘Eloi, Eloi, lamá sabactani’, ‘Meu Deus, por que me desamparaste?’

  2. Meu caro Maurício Assuero, talvez estejas sugerindo que Arael, Ceguinho Teimoso e eu somos pessoas pobremente esclarecidas em política, o que eu poderia dizer de quem votou em Jair Messias Bolsonaro, entendes? Assim, tenho o mesmo direito que tu tens de acreditar que quem pensa diferentemente de mim é isso, aquilo e aquilo outro, menos o seu reverso, porque eu sei das coisas enquanto os outros são eleitores de Jair Messáro Bolsonias e adeptos do Covid 19. Como diria Salim, se fosse ele, Salim, a descobrir o Brasil: – Terra a prazo!

  3. Ah, esqueci de dizer: Se as pesquisas valem de alguma coisa, o comunismo, que, segundo pessoas probas, cultas e de visão de águia, assolou o Brasil nos governos petistas voltará a implantar-se na Bolívia!
    Pois, segundo pesquisa, aliado de Evo Morales, Luis Arce pode vencer já em 1º turno na Bolívia
    (Ex-ministro de Economia e Finanças tem 40,3% das intenções de voto, seguido do ex-presidente Carlos Mesa, com 26,2%).
    Aí, o Evo diz que volta.
    Isso deve dar um angu…

  4. Em tempo 2: Precisamos notar que o Brasil conta com mais de não sei quantos milhões de Ceguinhos Teimosos com direito de ir lá e votar no Lula ou em quem ele mandar, podendo isso significar, ou não, ou, pelo menos, talvez, que as esquerdas estão de butuca, prontas para suprimir as liberdades gerais, calar a imprensa, acabar com as regalias dos pobres, pôr fogo no mato e oficializar a obrigatoriedade de todos optarem por serem homossexuais, salvo os que optarem por viver em Miami.

  5. Senadores, deputados, servidores do legislativo e suas respectivas famílias, dispõem de planos de saúde, sem limites de gastos. Vale inclusive, para ex. parlamentares e servidores inativos. Quem paga essa mordomia em grande parte é o brasileiro que tem que entrar em filas kilométrica do SUS, quando precisa tratar de sua própria saúde. Quanto ao poder judiciário, não sei como funciona, possivelmente, siga no mesmo caminho..

  6. Meu caro Maurício
    Sou doido, mas minha doideira não chegou a tanto.
    Há muito que acompanho as mil diatribes que o carrossel girassoláico impõe a esta sofrida Paraíba, não só através de seu mentor, como pelas mãos de muitos de seus asseclas que se sucederam na ocupação de cargos, funções e mordomias que lhes foram facilitadas.
    É uma quadrilha ou camarilha – o Ceguinho é que pode definir sua formatação como ORCRIM, mas pode ficar certo de que qualquer que seja a sua qualificação, o potencial do grupo é muito grande e sua capacidade de dissimulação é ainda maior, como temos visto por aqui por estas bandas.
    E o pior é que ainda temos muitos desses sicários ocupando posições chave, sem que se ouça falar de seu justiçamento.
    Mas… Quem sabe!
    Talvez em breve tenhamos boas notícias, com boas medidas, inclusive com o Polodoro ou um dos seus obsequiando o Goiano como ele parece gostar, talvez até com uma massagem furical complementar com um pouco de extrato de urtiga branca.
    Ele irá aos céus, de alegria, decerto…

  7. Mestre Assuero, seu texto juntamente com os comentários são como amalgama que, aos poucos, vão moldando critérios e conscientização dos que tem acesso a ele, emoldurando um silogismo fecundo.
    Na qualidade de professor universitário, expõe, sem nenhuma doutrinação ideológica verdades latentes da vida cotidiana política e social que aflige a parte maior e mais carente ( a mais manipulável, portanto) da nossa a população. Você os faz pensarem. A adquirirem um sadio senso critico.
    É uma pena poucos terem acesso a esta gama de informação.

    OBS: Sarney é uma excrescência nacional. Um imortal sem moral.

Deixe uma resposta