6 pensou em “IMPRENSA TENTA FINGIR QUE MANIFESTAÇÕES NÃO OCORRERAM

  1. Relato de um empresário que esteve na Argentina esta Semana..

    Estive na Argentina para cobrar pendências financeiras, e também sobre o rumo do nosso negócio naquele País, e o drama começa na entrada, entramos como motoristas, na boleia, senão não entra. Argentinos proibidos de sair do País, e impedidos de circular dentro do País, cada cidade possui uma barreira sanitária que impede a entrada de pessoas que não sejam daquela comunidade. Somente caminhões possuem permissão para rodar, automóveis previamente autorizados num sistema de rodízio, pessoas só trabalham no sistema de rodízio, o mais chocante para mim, foi entrar numa pequena churrascaria onde haviam 10 pessoas comendo e mais de 100 pessoas, inclusive ex empresários, pois conversei com alguns, na fila para a porta dos fundos ganhar sobras do restaurante. Na Carnicerias, filas para ganhar pedaços de gordura, ossos e nervos, que os mesmos improvisam grades e colocam fogo embaixo para dar uma tostada naqueles resíduos de açougue, e comem, pessoas roendo osso como cachorros, nas padarias, 5 pessoas comprando pão, e 200 na fila aguardando doação destes que entram para comprar, ou restos da panificadora. Vou para a Argentina há 22 anos, no começo não acreditava que tivesse um País tão chique e glamoroso como aquele, os cafés e bares com pessoas extremamente elegantes, hoje o que se destaca é a miséria total, dizem meus parceiros que o índice de pobreza já ultrapassou 50%, 70% da população desempregada, o Governo distribui pães nas principais praças em horário determinado.
    Simplesmente lamentável, terminaram de vez com o País em menos de 1 ano.
    Me perguntava, como o sistema é frágil, quando a roda para de girar, Simplesmente tomba. Impossível calcular o tempo pra recuperar tamanha tragédia. O empresário “hoje” mendigo que conversei, tinha 26 empregados no ramo metalúrgico, pagava aluguel do barracão, prestação do carro e do apartamento que morava, em 90 dias fechado e as contas chegando, foi obrigado à fechar, hoje pede comida para sobreviver. Impossível não se emocionar com os relatos.
    Voltei agradecido, por termos no Brasil, um Gigante que se colocou na frente e peitou esse sistema podre que estava nos levando para o mesmo caminho.

    • Caro J. Roberto, muito importantes estas suas informações sobre o que ocorre no atual momento da Argentina.

      O incrível é que há pessoas de bem (não totalmente esquerdistas) que não percebem que se Haddad fosse o PR (toc toc toc) estaríamos em situação semelhante à da Argentina.

      Ainda estamos flertando com o abismo, pois a volta do Lulla também é o caminho certo para nos afundarmos.

      Como eu digo; não dá para pagar de observador “isento” nestas horas, pois o buraco é loco ali.

  2. Triste relato e pensar que no Brasil existem pessoas que querem implantar esta desgraça de regime, onde só “eles” são protagonistas, o povo, este que se foda. Não passarão!

  3. Comunistas são o lixo, a escória, a podridão do mundo… A imprensa bostífera banânica é toda comprometida com essa raça do satanás. E a população, nós o povo de bem, ficamos à deriva; à mercê dessa corja maldita.

  4. E nisto que dá o povo trabalhador e honesto dar apoio a irresponsabilidade de vagabundos que sabem muito bem sugar os cofres dos países onde nascem ou se instalam .Caem na cantilena dos que prometem o mundo e os fundos , para poder roubar uma nação. Lá como cá , tem muitos que vivem abastadamente enquanto o trabalhador se dana. E querem reimplantar esta sujeira novamente.

Deixe uma resposta