A PALAVRA DO EDITOR

Amanheci certo dia, depois de horas de conversação noturna regada de muito humor com um grupo de amigos interneticamente antenados, absolutamente convencido de que incontáveis acontecimentos, pessoais e institucionais, somente na aparência estão desconexos ou são esdrúxulos. Porque apenas vistos sob uma ótica racional, linear, mapeeira (de mapa), jamais bussoleira (de bússola). Sempre a menosprezar, com frequência, aquele ditado popular, pra lá de otimamente sábio, que diz que “Deus escreve certo até por linhas muito tortas”.

Percebi, nos meus últimos decênios, que muitos companheiros de caminhada ainda não descobriram a essência das suas missões individuais, por sempre impossibilitarem a emersão de seus sentimentos nobilitantes, os únicos capazes de amordaçarem horóscopos e amuletos, falsos brilhantes, raposices, fingidos e amacacados. E imaginei como seria útil a atuação de um ICAT – Instituto de Conexões Aparentemente Tardias, entidade com a finalidade única e precípua de explicitar, mesmo que sob vieses desconcertantes, os “enxergamentos” mínimos para os encontros vivenciados de mãos nunca sujas, quilômetros distanciados das torres de marfim que asfixiam e cegam, subestimam, mitificam, enclausuram e mumificam.

Nos estatutos do ICAT, alguns parâmetros germinais favoreceriam contínuos reposicionamentos, para se evitar um viver morrendo destemperado e virótico, também letal e neurótico:

1. O bem-querer terá prevalência sobre todas as lógicas destrutivas;

2. Os méritos serão sempre coletivos e jamais fingidos, nunca individualizados;

3. As amizades conquistadas são o maior patrimônio de todo ser humano em contínua evolução em direção à Luz;

4. Esmagar potencialidades é crime de lesa-convivialidade;

5. Jamais abandonar um aprender-desaprender-reaprender que ressalte as diferenças substantivas entre permanência e mutação;

6. Tornar-se águia sem mentalidade de galinha, por mais emplumada que esta seja;

7. Entender que mente saudável, além de saber fazer, faz também acontecer;

8. Saudades bem sentidas, nostalgias contidas;

9. Umbrais ultrapassados, sonhos recuperados;

9. Para se ver no futuro, saber enxergar-se nos demais tempos;

10. A meta maior é o somatório de inúmeras e pequeninas outras metas, também importantes.

Nos seus eventos pioneiros, o ICAT enalteceria seu mandamento primeiro: os talentos são recursos que devem ser utilizados para a felicidade de todos, posto que solitariamente jamais se conviverá prazerosamente com a Vida e com os demais Mundos.

No mais, o ICAT retemperaria seus buscadores, enaltecendo a qualidade do sal, a busca constante pela viabilização do aparentemente impossível, as complementaridades do gênero humano. E ainda almejaria a paz nunca cemiterial, os objetivos cósmicos, artes e espaços nunca dantes navegados. Ampliando, sem pedanterias, as fronteiras da autoestima, tornando-se vocacionalmente misericordioso com os ananzados e os fanfas, principalmente se portadores de muita jactância e poucos neurônios em posturas televisivas.

No ICAT não teriam vez nem voto os merdalhosos, os insinceros, os babaovistas, os fuxicosos, fakenewseiros, os não-caminhantes, tampouco os que nunca leram a reflexão do Dostoievski: “O mistério da existência humana não está em apenas se manter vivo, mas em encontrar algo pelo que viver.”

O ICAT seria uma Ong nunca obscurecida pelos amerdalhamentos dos eventos bbbostélicos das televisões nada criativas, apenas lucrativas diante das alienações de milhões.

1 pensou em “ICAT – INICIATIVA URGENTE

  1. Prezado Mestre,

    Apesar de toda a admiração que lhe tenho, e até por isso mesmo, permita-me fazer algumas pequenas sugestões para o aprimoramento do estatuto do ICAT que o senhor nos apresenta:
    2- O MÉRITO, ASSIM COMO O PECADO, É SEMPRE INDIVIDUAL, apesar da necessidade absoluta de estar inserido em um contexto maior. De forma semelhante, NÃO EXISTE ESSE NEGÓCIO DE DÍVIDA SOCIAL! O PECADO, SEMPRE INDIVIDUAL, deve ter também a sua expiação de forma individual.
    7- “Mente saudável, além de saber fazer, faz também acontecer” E, MUITO MAIS IMPORTANTE AINDA, ENSINA OS OUTROS A SABEREM E FAZEREM ACONTECER.
    8- Muito mais importante que saudades e nostalgias são os sonhos de um futuro melhor. Quem vive de saudades e de nostalgias é porque está na hora de morrer.

    Conclusão:
    1- OS TALENTOS, TODOS OS TALENTOS, SÃO SEMPRE UTILIZADOS PARA A FELICIDADE DE TODOS, SEJA DE QUE FORMA FOR.
    2- Quem não consegue conviver bem consigo mesmo, EM SOLIDÃO ( a mais ansiada das situações por todos os sábios), é porque CONVIVER NA SUA PRESENÇA DEVE SER UMA BOSTA!
    3- Viver solitariamente, de forma prazerosa com a Vida e com os demais Mundos, é a marca indelével dos sábios e dos santos.

Deixe uma resposta