RODRIGO BUENAVENTURA DE LÉON - LIVRE PENSADOR

Quando o Homem Laranja, Donald Trump, foi eleito, para surpresa de quase ninguém entre aqueles que vivem fora da bolha midiática progressista e, do mundo cor-de-rosa do politicamente correto, parecia que o mundo acabaria em um Armagedom Conservador ou talvez em uma Guerra Nuclear, como queiram.

Então 4 anos atrás escrevi uma coluna intitulada “Trumpets do Armagedon”, as Trombetas do Juízo Final, a coluna rendeu e acabou tendo suas versões II e III. Nesta coluna eu ponderava sobre o porquê da eleição de Trump e o que isso ocasionaria ao mundo.

Também estava surpreso, não muito, mas parecia-me que o criticado ‘Stupid White Men’ americano tinha conseguido a superação máxima. Não em eleger o Trump, mas sim em conseguir propor uma eleição presidencial entre Donald Trump e Hilary Clinton. Nem no Brasil conseguiríamos, opinei à época, candidatos tão, digamos, desprovidos de qualidades. Ganhou o menos pior! (Sei que o ‘menos pior’ não existe em português, mas foi proposital).

Mas também teci diversos comentários sobre a solidez das Instituições Americanas e da democracia dos EUA, concluindo que por mais danosa que fosse a gestão de Donald Trump, a Democracia na América resistiria. Afinal esta Democracia, com D maiúsculo, admirada e destacada na magnífica obra de Alexis de Tocqueville, teria sido construída sobre fundações humanas, éticas e morais indestrutíveis.

Trump ou Hillary, não seriam suficientes para destruir a solidez democrática do Império Americano. Também teci diversas considerações, naqueles textos, afirmando que as políticas americanas que seriam efetivadas por Trump não poderiam ser tão danosas a ponto de condenar a civilização ocidental.

Ledo engano! Ou melhor, enganos. Primeiro, Trump me surpreendeu, de forma extremamente positiva. Foi inclusivo, arrumou a economia americana, mesmo com a praga chinesa, reduziu a participação americana em conflitos externos, buscou pacificar inimigos mundo a fora.

Somente a ação de Trump junto à Coréia do Norte seria digna de um Prêmio Nobel e seu comportamento no Conflito Sírio também. Obamas da vida receberam o prêmio por muito menos e, até ladrões do calibre de Lula são, insistentemente, indicados ao prêmio. Seria engraçado ver Trump recebendo o Nobel da Paz e, os ganhadores anteriores fazendo Haraquiri, em protesto, queimando seus diplomas (mas sem devolver o dinheiro do prêmio, é claro).

Trump diminuiu a imigração ilegal, equilibrou as contas americanas, se opôs ao Dragão Chinês e combateu ditaduras. Ao seu jeito Tosco e Tresloucado foi um estadista.

O Homem satirizado pelo Sitcom americano ‘Os Simpsons’, em alguns de seus programas, com um improvável Presidente Americano, em uma visão futurológica de uma distopia muito louca, acabou eleito. Nos Simpsons a ‘graça’ está na crítica e na caricaturização do ‘Stupid White Men’ americano e, pior que Trump Presidente, só mesmo Hommer Simpson Presidente.

Aliás, o Cinema americano é pródigo em ‘imaginar’ aqueles que eles consideram representantes da estupidez conservadora (Republicana) na Casa Branca. Assim foi com o Cowboy Ronald Reagan, que tornou-se o maior Presidente Americano dos últimos 50 anos e um grande estadista. Assim foi com Arnold Schwarzenegger, também colocado em muitos filmes da década de 1980 como presidente americano. Outro republicano que acabou virando político, Governador eleito e reeleito na progressista Califórnia e, só não foi presidente americano, pois não é americano, é suíço (isto não impediu o africano Obama de ser presidente, mas…!).

Bom, mas Trump, apesar dos avisos de Hommer Simpson virou Presidente e fomentou a criação da maior força de resistência que o mundo já testemunhou.

Mentiras, fake News, perseguições da mídia, holofotes negativos full time. Black Lives Matter, Antifas e outros terroristas, as Big Tech e todo o estabilishment progressista colocaram-se em alerta e, em guerra total contra o Homem Laranja.

Gretas, Gagas, Holllywood, abortistas, comunistas, esquerdistas, ecologistas, pseudo-intelectuais, professores universitários (esta é uma categoria de idiotas que criou tanta relevância que deve ser citada a parte. Há exceções, cada vez menores, mas ainda há inteligência na academia) e todo o bom mocismo hipócrita do politicamente correto entrou em guerra contra a democracia americana. Financiados por rios de dinheiro das Big Techs e dos chineses, implantou-se a resistência.

O COVID-19 foi a Benção de Deus (ou do capeta) conforme a ‘Pastora’ Jane Fonda e a nova censura imposta pela ditadura do Grande Irmão, as Big Techs, conseguiram transformar as previsões catastróficas dos esquerdistas, no início do Governo Trump, em realidade.

Durante o Governo Trump as fundações da maior e mais longeva democracia do mundo foram duramente abaladas. As eleições americanas foram ridículas, comparáveis às eleições de republiquetas como a Venezuela ou de ‘democracias’ consolidadas como a Norte-Coreana.

Não, não foi Trump que destruiu as bases da democracia na América, foram seus inimigos e detratores, no desespero de retirar do poder o Homem Laranja. Mas foi em seu governo que isto ocorreu e, veremos como a ‘estória’ (assim mesmo, pois tratar-se-á de uma versão) contará esta história.

Já não posso, hoje, tranquilamente escrever que as Instituições Americanas são sólidas e que sua democracia é indestrutível. Várias forças internas começaram sua destruição e, este é um passo para a ruína. Assim acabaram os grandes impérios. Festejemos, pois, o Império Yankee vai acabar?

Lembrem-se que este Império é uma das bases da nossa sociedade ocidental, de nossa cultura e de nossas liberdades. Sua queda ante forças notoriamente antidemocráticas, alicerçadas no poder do capital, nos interesses da mídia, na censura das redes sociais e no bom mocismo da esquerda, só fará com que o vácuo de poder seja substituído por outro poder emergente.

Chineses? Russos? Islâmicos? Qualquer um destes tem em seu DNA a ditadura e o profundo desprezo à nossa cultura e aos tão propalados direitos humanos e avanços ambientais.

Sucumbiremos ao combater internamente um inimigo imaginário esquecendo-nos e, até louvando, os verdadeiros inimigos externos.

Mas a verdade é que hoje, após ver e viver tudo o que ocorreu na democracia americana, só posso dizer que lamento. E, principalmente, que não creio que suas instituições sejam tão sólidas assim, que possam resistir a Biden e sua equipe.

Não posso mais afirmar que a democracia americana é indestrutível, posto que democratas e progressistas já a transformaram em pó.

E os Simpsons estavam mais uma vez corretos. Os americanos conseguiram eleger o único presidente pior que Trump, o próprio Hommer Simpson.

Com Hommer Simpson – Biden presidente e sua vice, que se parece com uma daquelas barangas malucas, irmãs da Marge Simpson, a Patty e Selma Bouvier, Pobre América!

Mas, registro aqui algo que é importante…observem nosso Brasil, os atores são os mesmos, o aliado é o mesmo, a censura é a mesma, a mídia também.

As Marias Flor da vida, com sua irrelevância e discurso polido e educado, vociferam contra tudo e todos. Deve ser a abstinência da Lei Rouanet.

Então devemos ficar atentos, eles, os verdadeiros inimigos da democracia e, em nome dela, estão prontos a acabar com qualquer princípio democrático, legal e de caráter para obter o poder. Não transformemos os EUA no Brasil de amanhã, no famoso efeito Orloff.

Se os americanos têm um Hommer Simpson como Presidente, cuidemos do Brasil para não ganharmos o Pinóquio da Globo para nos surrar com o vibrador da esposa ou, pior, o Ken da Barbie que Governa hoje São Paulo, colocando o Brasil sob o jugo das calças ‘tora bagos’.

Boa Sorte aos EUA, ao Ocidente e ao Mundo, temos o idiota do Hommer, sentado na Casa Branca, comendo um sanduíche com os pés apoiados no botão da hecatombe nuclear.

Tempos difíceis estes anos da Peste Chinesa, quando a solidez das instituições nacionais está virando pó (será uma praga Marxista?).

12 pensou em “HOMMER SIMPSON… PRESIDENTE!

  1. Se Cícero tem a seu lado D Matt, Rodrigo nunca abre mão de Mercedita…Se os americanos têm um Hommer Simpson como Presidente, cuidemos do Brasil para não ganharmos o Pinóquio da Globo para nos surrar com o vibrador da esposa ou, pior, o Ken da Barbie que Governa hoje São Paulo, colocando o Brasil sob o jugo das calças ‘tora bagos’.

    Você abre os grandes jornalões mundo afora e jamais encontrará as primorosas palavras acima escritas por Rodrigo, um texto possivelmente escrito a 4 mãos, pois há um muito de Mercedita no que foi dito e no que ficou nas entrelinhas.

    Sancho se orgulha dos colunistas maravilhosos que acompanha nesta gazeta escrota deste o bendito ano de 2013 quando estava em busca googliana por “taradas por sexo querem homem feio para sexo selvagem” e foi parar nas páginas mágicas do JBF.

    • Não sei não, Sancho, não sei se Rodrigo tem em seu texto as mãos de Mercedita, quando se fixa na calça apertada de Doria como algo relevante contra sua dele do Doria política.
      É mais politicamente correto criticar Doria pelo seu passado bolsonarista do que por sua pretensa viadagem, uma vez que de certa forma somos todos viados, tu principal e exageradamente gay conhecidfo como a bicha dos cocos na baixada santista, o que digo sem a manor intenção de ofender, mesmo porque meu passado me condena, meu presente me arreganha e meu futuro é ser macho do culhão roxo.

        • Pô sacanagi eçis caras envolvê meu nome na viagaji deles.

          Sô homi de respeito, trabalho de sol a sol vendendo meus cocos na barraca aqui na Praia Grande e minha muié basculha minhas pstagens e não vai gostá neim um poco disso.
          Favô restabelecê minha homidade, dona Margot (issu é nomi de traveco) e Sancho, que é um cabra que eu respeito, que vá lá no barraco falá pra Jurema que é só brincadeira deste JBF cheio de veios sacanas..

  2. OUTRO GRANDE REPUBLICANO, QUE FORA PREFEITO POR DUAS VEZES EM SUA CIDADE NATAL, MAS NÃO QUIS SEGUIR CARREIRA POLÍTICA, FOI O EXCEPCIONAL CLINT EASTWOOD, QUE ESTÁ EM PLENA ATIVIDADE AOS NOVENTA ANOS DE IDADE.

  3. Rodrigo, o Brasil caminha, pisando firme, ruma a instabilidade. María Flôr, Zé de Abreu e tantos outros da rede Globo, espalham o terror e daqui que você desminta o estrago está feito.
    Ontem vi um pedido de apoio pra o reitor da UFPEL. Dá vontade de rir. O que eu conclui é que a esquerda achou que sempre governaria e ao perder se chocou.
    Muito bom seu texto.

  4. Me lembro como se fosse hoje o clima de velório na Globo, Globonews e Manhatan Conection quando se deu a vitória do Trump em 2016.

    Arnaldo Jabour, que sumiu depois disso, dizia que teríamos a 3ª Guerra mundial iniciada pelo Trump e que o mundo se arrependeria por esta escolha dos EUA.

    Foi justamente o contrário, foi um suspiro de resistência desta que ainda é a maior potência econômica, política e militar do mundo.

    A China, com a invenção da Covid, esta a dominar a América e o mundo sem disparar uma bala. Quando os Globalistas acordarem, já estarão dominados. Tudo bem que com o Trump, eles também estavam perdendo, mas com a China…

    Bill Gates e outros meta capitalistas estão a comprar terras agricultáveis pelo mundo.

    https://www.youtube.com/watch?v=OteXvGlcHts

    Seria coincidência que aqui em Banânia, o congresso estava articulando para poder vender até 25% de nossos territórios para os estrangeiros?

    • Pesquisei um pouco e eis aqui uma pérola do Jabour:

      “Em potencial, Trump pode ser a coisa mais grave que nos aconteceu desde Hitler.” Disse isso em 2016.

      Vai ser futurologista assim….Vai ver que é por isso que ele sumiu.

  5. Prezados colegas comentaristas.

    Eu me lembro muito bem. Amacord, como diria o gênio Fellini. Jamais olvidarei as caras e caretas dos
    ” comentaristas” do M.Connection. no dia e na hora em que descobriram que
    o Trump venceu as esquerdas e ganhou na bucha, com o resultado da eleição
    na HORA H, isto porque naquela época, os defuntos não saiam das suas covas para exercerem o seu direito de voto-post-mortem.

    A cara do Diogo não tinha preço, parecia que ele tinha visto um mula sem cabeça. e aquele velho babaca que dirigia o programa
    ( Já morreu ? ) tinha acabado de dançar uma valsinha, dando requebros
    à La Maria Antonieta Pons . Lembram-se dela ? ( Um dia ainda vou fazer
    um comentário sobre a falecida Cuba e tentar, se possivel mostrar quem foi a cuja dona., que criou um frenezi tremendo no RJ, pois todos os seus filmes
    ( Tudo porcaria) provocavam filas de centenas de pessoas, que ficavam horas esperando a sua vez para assistir aquela droga. Ficou tão famosa que num filme
    da Atlântida, o comediante Oscarito faz uma imitação estupenda, vestindo uma
    roupa de rumbeira e rebolando e fazendo caretas.

    Faço questão de contribuir para a compra de uma duzia de vibradores
    banhados a ouro para serem entregues , como presente no dia da posse
    da primeira dama global. Assim ela terá sempre com que se distrair, pois o maridinho,
    qua, qua, quá…..

    Caro Sancho, obrigado por citar o meu nome ao lado do meu amigo Ciço,
    que hoje botou pra quebrar numa crônica de arraza quarteirão.

    João Francisco : O Jabour sempre foi uma besta quadrada e muda de opinião de acordo com as previsões metereológicas.

    Fui.

    • Eu já respeitei muito o Jabour com aquele jeito descolado dele.

      Dizia que tinha expertise de ter participado da patota esquerdista do RJ dos anos 60 e que depois deixou a tchurma para lá, pois eram porras loucas.

      Tudo conversa fiada. Deve estar se rasgando todo por não conseguir mais $$ da Lei Rouanet para seus filmes cabeça.

      Aliás foi ele que colocou a Xuxa já maior de idade com uma criança em uma cama num dos filmes seus em cena de sexo.

      Xuxa adooora esta sua fase da vida.

  6. Há apenas quatro meses, o então candidato Biden sentou-se em uma prefeitura na Filadélfia para garantir a George Stephanopoulos, da ABC, que planejava governar por consenso se vencesse a eleição. Apenas um ditador, disse ele, depende de ordens executivas. Claramente, Biden, que assinou um recorde de 30 ordens executivas apenas em seus primeiros três dias, de acordo com a CNN , percebeu que há algumas coisas para as quais o país não precisa de “consenso”. É o mesmo cara que teve aquela “estranha noção” de democracia em outubro. O mesmo cara que disse abertamente que existem “coisas que você não pode fazer por ordem executiva, a menos que seja um ditador”.
    As palavras de Joe Biden já estão voltando para assombrá-lo. É provável que assombrem o resto do país por muito tempo.
    Executive Orders:
    Clinton—2 in his first week in office
    Bush—2 in his first two weeks in office
    Obama—5 in his first week in office
    Trump—4 in his first week in office

    Biden—30+ in his first five days in office

    Remind me again which president governs like a dictator?

Deixe uma resposta