A PALAVRA DO EDITOR

Quitéria e Amara são duas irmãs que já se encantaram e partiram pro infinito.

Quiterinha, como era conhecida, é minha saudosa mãe.

Amara é mãe do meu primo Ricardo.

Amara era minha madrinha de crisma. Eu a chama de Madrinha Amara e pedia-lhe a bênção sempre que a encontrava.

Ricardo, filho de Madrinha Amara, encantou-se na quinta-feira passada, jovem, moço, aos 57 anos, porque não resistiu a uma danada duma doença maligna.

Ontem, sexta-feira, fomos nos despedir dele. Como ressaltou um amigo presente, nada de tristezas. Só saudades.

Por uma ironia do destino, Ricardo, que era um carnavalesco apaixonado, inventou de nos deixar em pleno Carnaval.

Ela era membro do grupo Guerreiros do Passo, uma turma de brincantes que preserva o Carnaval tradicional do Recife e faz muito sucesso em todos os seus desfiles e apresentações.

No vídeo abaixo, Ricardo aparece de suspensórios e camiseta branca, usando o mesmo chapéu que estava ontem sobre o seu ataúde.

Descanse em paz, sujeito.

E diga pra Madrinha Amara que peço a bênção e que mandei um beijão pra ela.

Deixe uma resposta