GOLPEAÇÕES

O vice Hamilton Mourão, reafirmou nesta segunda (15) os compromissos das Forças Armadas com a democracia:

“1964 fazem 56 anos. É página virada da História”, disse.

Ele citou o próprio presidente, que disse que os militares não participam de aventura.

Mourão afirmou ainda durante entrevista à Rádio Bandeirantes que qualquer tipo de autogolpe “não é, e nem nunca será” a visão de Bolsonaro.

E que o presidente sabe que as Forças Armadas não o acompanhariam numa aventura dessa natureza.

* * *

Achei curiosa a palavra “autogolpe” que foi utilizada nessa nota aí de cima.

Já anotei aqui no meu caderninho.

Enquanto isso, os zisquerdistas banânicos estão planejando dar um golpe em 57.797.847 de eleitores brasileiros que votaram no atual presidente.

Aqui mesmo no JBF o nosso hilário e folclórico militante haddadista Ceguinho Teimoso já começou até uma contagem regressiva.

Uma contagem pra chegada do dia da queda daquele que foi eleito em outubro de 2018 pela maioria dos votantes.

Querem golpeá-lo com cacetadas supremosas e parlamenteiras.

E botá-lo pra fora do cercadinho do Palácio da Alvorada, onde ele dá audiências diárias e deixa muita gente com vontade de enfiar o dedo no furico e sair rasgando até chegar ao umbigo.

Que se dane a maioria. Democracia é coisa de trouxa.

Ontem mesmo Ceguinho escreveu que o presidente “é a bola da vez, já na marca do pênalti“.

Ceguinho deve saber de coisas que nós outros apenas desconfiamos…

2 pensou em “GOLPEAÇÕES

  1. uma coisa e certa eu ja sexagenario posso afirmar sem nenhum medo de errar que nos vinte e dois ano s de governos militares nunca vi a constituiçao ser tao pisoteada como nestes ultimos anos tem acontecido pelos cumplices de criminosos , travestidos de ministros da suprema corte e que se encaixam perfeitamente , no discurso que fez roberto campos quando da sabatina do entao indicado sepulveda pertence

Deixe uma resposta