CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

CARTA À BERTA, DIGO, AO BERTO, OU MELHOR ABERTA
EM DEFESA DA IMPRENSA E DO PODER JUDICIÁRIO

Caro Berto, estou em viagem, em poucos minutos ficarei mais uma vez sem Internet (meu telefone só tem Internet na França – é uma linha da Free), e há uma coisa que preciso dizer, porque não pode ficar para depois.

Verifico, com tristeza, que colaboradores, articulistas e leitores, muitos dos participantes do Jornal da Besta Fubana, inclusive a editoria, estão participando de duas tentativas de desmanche: da imprensa e do Poder Judiciário.

É preciso desacreditar a imprensa, para que as críticas e a oposição caiam no vazio.

É necessário desmoralizar o Poder Judiciário, para que suas ações sejam obrigadas a seguir pelo descumprimento da lei.

Acho esse comportamento muito irresponsável e nocivo e não compreendo como se pretende fazer um País democrático sem que a imprensa tenha liberdade para noticiar e o Poder Judiciário seja livre de pressões.

R. Gastei um bom tempo do meu expediente na manhã desta segunda-feira redigindo uma resposta pra esta sua carta-aberta.

Mas, pensando melhor, desisti e deixei de lado.

A gripe que me atacou semana passada ficou pior depois que comecei a pensar neste assunto que você levantou na sua mensagem.

Não vou falar sopre “desmanche” de duas coisas que já se desmancharam por conta própria.

Cheguei à conclusão de que não vale a pena.

Como diz meu amigo Otacílio, o filósofo palmarense, tempo perdido é dar conselho a doido.

E eu completo: dar conselho a doido e mostrar caminho pra quem é cego.

Contra fanatismo não há racionalidade que resista.

Mas, em respeito aos meus leitores, prometo que voltarei ao assunto oportunamente.

Na minha coluna, A Palavra do Editor.

Imprensa brasileira atual e STF atual (e não Poder Judiciário…), serão meus temas. 

Uma excelente semana pra toda a comunidade fubânica!

Deixe uma resposta