A PALAVRA DO EDITOR

Vim a Paris, a mando do editor do Jornal da Besta Fubana, para fazer análises sérias da França e da Europa.

Para isso conto com assistência maciça, por meios e recursos nunca antes imaginados por alguma grande empresa de comunicação, inclusive com deslocamentos garantidos a tempo e à hora para qualquer parte do Velho Continente.

Pergunte ao Faustão, que vive elogiando a Globo como o melhor ambiente de trabalho do mundo, se ele não sairia de lá na hora se Berto lhe fizesse uma oferta, que Berto não faz porque não queremos qualquer um aqui dentro.

Pois bem, em minha primeira reportagem, que deveria conter material visando certos aspectos políticos locais, dirigi-me ao Arco do Triunfo. Aprecio muito fazer entrevistas e verificações “in loco”.

Pois quando tentei descer nas estações que servem o Champs Elysées, onde fica o arco (o outro, não o do tarco e da verva), elas estavam fechadas ao público.

Um bom pesquisador não se deixa vencer tão fácil. Voltei à estação do Louvre e tratei de fazer o caminho a pé.

Inútil, todas as passagens estavam barradas pela polícia. Havia uma manifestação de uns giletes.

Uns tais de Giletes Jaunes, que são giletes amarelos (imagino que sejam chineses que cortam dos dois lados, ou coisa assim), estavam badernando no Arco do Triunfo e a gente não podia ir lá.

Fico pensando o que eles estariam fazendo: certamente se reuniram com os elegebetês para farrear e ficar beijando na rua.

Eles deviam estar se manifestando sobre os problemas do país deles, em vez de ficar zoneando.

Por que não deixam lugares como o Arco do Triunfo e vão bagunçar no Marais?

(Só me falta agora criarem um grupo de fanchonas vermelhos ou coisa assim).

Ora, se você está em Paris, quer fazer uma análise sociológica e política mas não pode ter acesso a um dos principais pontos da cidade, o que poderá fazer?

Perguntei-me isso e fui para a Torre Eiffel, de onde pude observar o belo panorama da cidade, tirar fotos e comer gaufre, que suja a cara da gente toda de creme.

Quando esses tais giletes pararem de prejudicar e atrapalhar a gente de andar pela cidade livremente, farei uma análise da situação política da França e mandarei para vocês.

Beijo no coração.

Deixe uma resposta