ALEXANDRE GARCIA

Deputados e senadores aprovaram a quase triplicação do fundo eleitoral. O presidente vai ter 15 dias para vetar ou sancionar a Lei de Diretrizes Orçamentárias com esse jabuti. Foi um escárnio; enquanto em 2020 e 2021 a economia vai ter um saldo de crescimento de 1,1%(encolhimento de 4,1% do PIB no ano passado e expansão esperada de 5,2% neste ano) e o salário mínimo previsto na mesma LDO sobe menos de 5%, o dinheiro dos impostos destinado às campanhas eleitorais incha 285%.

O jabuti foi posto agarrado ao galho do orçamento da Justiça Eleitoral; não conseguiram votar em separado e entrou tudo na votação simbólica, por lideranças, na Câmara; no Senado foi de carona com a aprovação da LDO de última hora, pelo placar de 40 a 33. Quem votou diz que não votou, quem conduziu diz que só conduziu, mas o jabuti ficou lá, aprovado pelo Congresso Nacional que é o responsável por isso, já que não foi o acaso, nem jabuti sobe em árvore.

Agora é fazer a tradicional pergunta: A quem interessa? O campeão de verba nessa enxurrada seria o PT, com R$ 600 milhões – e é o partido que mais deve estar com crise de abstinência, com torneiras fechadas por toda a parte: Petrobras, empreiteiras, ministérios, bancos oficiais… mas na verdade interessa a todos os partidos. E não é só isso. O Senado recriou a propaganda partidária no último dia 14: serão R$ 527 milhões no ano que vem, antes mesmo das convenções. E tramita um projeto que permite candidaturas de gestores com contas reprovadas, enfraquecendo mais a Lei da Ficha Limpa. Na Câmara, está em regime de urgência um projeto para eximir da cláusula de barreira partidos sem voto.

Será que isso interessa aos milhões de brasileiros que tiveram sua renda, seu emprego, suas lojas, suas indústrias, seus empreendimentos prejudicados pelo vírus? Ou só interessa aos políticos e seus partidos, visando à eleição do ano que vem? Interessa ao contribuinte destinar parte de seu imposto a partidos com os quais ele não concorda? Por que os partidos não vão pedir dinheiro aos seus filiados? Em democracia todo poder emana do povo e só é legítimo quando reflete a vontade desse mesmo povo. Foi vontade do povo triplicar o fundo eleitoral?

13 pensou em “FUNDO ILEGÍTIMO

    • Flávio, os bolsonaristas votaram como sempre. Bolsonaro é sinônimo de baixo-clero, acordos escusos, pegar uma boquinha, rachadinha. Foi sempre assim.

      Bolsonaro acima de todos, Deus acima de tudo

  1. Depois de ler o artigo desse pelego, eu chego à conclusão de que o Brasil não precisa do Executivo. Se o Executivo não participa nem da elaboração da LDO, que baliza receitas e despesas da Nação, não vai participar de mais nada.
    Seus líderes no Congresso deveriam estar no boteco e nem viram acontecer nada nas duas casas legislativas, o Ministério da Economia não participou da negociação. Pra que gastar dinheiro com o Executivo? Quem manda e desmanda no País são deputados e senadores. Principalmente os do Centrão? E o Bolsonaro achou que havia comprado o Centrão. Pagou, mas não vai receber a mercadoria.

  2. Prezado C. Eduardo,

    A tua capacidade de excretar toletes e mais toletes de pura cagada verbal é inesgotável.

    Vai falar merda assim na puta que te pariu!

    Procura a tua turma. Vai escrever lá na Foice de São Paulo que é o teu verdadeiro lugar.

    O país se esvaindo em bosta, nas mãos dessa imensa cambada de ladrões e chantagistas, e ainda vem um bosta desses conversar merda e fazer nossos olhos e ouvidos de penico. Assim não tem cu que aguente!

    • O país se esvaindo em bosta, nas mãos dessa imensa cambada de ladrões e chantagistas (ATÉ AQUI TUDO CERTO), e ainda vem um bosta desses conversar merda e fazer nossos olhos e ouvidos de penico (ALEXANDRE GARCIA?). Assim não tem cu que aguente! PROFESSOR O C… É SEMPRE O MESMO, O CONTRIBUINTE, O QUE VARIA É O TAMANHO DA P…CA QUE ENTERRAM. Mas, bolsonaristas gostam de ser enrabados pelo Capitão, assim como Lullistas adoram a trolha vermelha.
      Como disse Martha Suplicy, já que é o Capitão que está em cima, “relaxa e goza”

        • Fala de coisa séria Professor. Já se aposentou?

          Larga essa mania de defender o indefensável. Bolsonaro é incompetente e desonesto. O Professor planejava morar na Noruega, estava esperando sair a aposentadoria. Melhor retomar esses planos, defender Bolsonaro não tem futuro. Na Noruega vai ser muito melhor.

  3. O Artigo do Alexandre Garcia, como sempre é impecável. Ao invés de discutir os pontos colocados de forma brilhante pelo atual melhor jornalista do Brasil, o “isentão” acima o vem ofender chamando-o de Pelego.

    Ele (o isentão) nem sabe o que é isso. Hoje ele está atacado.

    Adônis o pegou de jeito. É merecido.

    • Um Presidente inacreditável!!!!!!!!! Hoje o pessoal da Joven Pan, vai ter que dar cambalhotas para explicar essa pérola do Presidente incomparável:

      “Alguns projetam um crescimento de 5% esse ano. Se é 5% positivo esse ano e no ano passado foi 4% negativo, crescemos 9%. É um milagre, uma coisa inacreditável!”

      É um presidente único, insuperável, inesquecível. Nem Dilma Rousseff seria capaz de tanto.

      • Deixa eu explicar desenhadinho para o C. Eduardo, pois ele é meio tapado e não entende as coisas.

        Nós temos uma referência que é o zero, se estávamos em menos 4, para chegar no zero de novo precisaríamos crescer 4 positivos. Mas além do zero, nós fomos para 5 positivo, o que significa que para sair do menos 4 para chegar no 5 precisamos crescer 9.

        Vou mastigar mais um pouquinho, pois talvez tenha sido muito para ele. Vamos imaginar em termos de temperatura.

        Se um termômetro está a -4°C para ele chegar a +5°C é preciso que haja um aumento de temperatura de 9°C. Até minha netinha pequenininha já entendeu.

        Se ainda assim v. não entendeu, C. Eduardo, é melhor v. entrar no time da Dilma, ao qual eu acho que v. já pertence.

        Ai meu Deus, hoje ele está atacado!

        • É tudo uma questão de referência. Se crescemos em relação a onde estávamos antes de cair 4 ou se crescemos a partir dos -4.

          Teremos um crescimento de 5 a partir do zero (nove no total) ou 5 a partir do -4. Aí é só 5.

          Comparar o Bolsonaro com a Dilma ou o Lula é coisa de doentes

          • Não entendi não João Francisco. Essa matemática só quem entende é você, Bolsonaro e outros gênios inacreditáveis.
            Berto foi professor de matemática, quem sabe ele ajuda a explicar.

Deixe uma resposta