ALTAMIR PINHEIRO - SEGUNDA SEM LEI

Quem não tem àquela música que você cantou errado a vida inteira até um dia descobrir a verdade, hein!?!?!? E isso não acontece apenas no mundo da música. O cinema também possui vários exemplos de frases que ficaram muito famosas mesmo nunca tendo aparecido em um filme. Os críticos de cinema Renato Marafon, Paulo Bazzarello, Raphael Camacho, Jânio Nazareth, georgenor Neto e Wilker Medeiros, este SEXTETO possui um Blog denominado de CINEPOP e, juntos, decidiram separar para os apreciadores da sétima arte, dez exemplos de frases clássicas do cinema, mas que nunca estiveram de fato na tela grande.

SENÃO VEJAMOS:

STAR WARS: EPISÓDIO V – O IMPÉRIO CONTRA-ATACA (1980)

Todo nerd que se preze, um dia, já imitou a rouca voz do vilão Darth Vader e soltou a clássica frase: “Luke, I am your father” (“Luke, eu sou seu pai“). Pois bem, se você fez isso, você fez errado. Tal frase nunca foi vista no filme dirigido por Irvin Kershner e idealizado por George Lucas. A frase correta, na verdade, é: “No, I am your father” (“Não, eu sou seu pai“). Na cena, Vader (voz de James Earl Jones) está respondendo a acusação de Luke (Mark Hamill) de que teria matado seu pai.

CASABLANCA (1942)

Um dos maiores clássicos da história do cinema, Casablanca também possui uma citação errada para chamar de sua. E, mais uma vez, em uma cena chave da produção. Desolado após o breve reencontro com Ilsa (Ingrid Bergman), Rick (Humphrey Bogart) pede para o pianista de seu bar, Sam (Dooley Wilson), tocar a música dos dois. O mundo relembra a cena como se Rick dissesse: “Play it again, Sam” (“Toque novamente, Sam“). Mas… o que ouvimos o personagem falar é “Play it, Sam. Play ‘As Time Goes By’” (“Toque, Sam. Toque ‘As Time Goes By’“). O erro ficou tão conhecido que “Play it again, Sam” virou até título original de peça/livro de Woody Allen.

O SENHOR DOS ANÉIS: A SOCIEDADE DO ANEL (2001)

Essa aqui até me fez colocar o DVD para assistir antes de publicar a matéria. Pouco antes de cair no precipício após o confronto com Balrog, Gandalf grita para a “sociedade do anel” fugir no primeiro capítulo de O Senhor dos Anéis. A maioria das pessoas cita que o mago grita “Run, you fools” (“Corram,seus tolos”). Mas não foi o caso. Na verdade, o personagem vivido por Ian McKellen fala “Fly, you fools” (“Voem, seus tolos”). Obviamente, o sentido é o mesmo. O voem era para saírem correndo dali, mas a escolha original mostra um pouco do vocabulário do mago então cinzento.

BRANCA DE NEVE E OS SETE ANÕES (1937)

Todo mundo sabe que a frase de Branca de Neve e os Sete Anões começa com “espelho, espelho meu”, não é mesmo? Pois bem… a verdade é que a versão original da frase é um pouquinho diferente. Popularmente conhecida como “Mirror, mirror, on the wall, who is the fairest of them all?” (“Espelho, espelho, na parede, quem é mais bela do que eu?“), a frase verdadeira é “Magic mirror on the wall, who is the fairest one of all?” (“Espelho mágico na parede, quem é a mais bela de todas?“).

TUBARÃO (1975)

Clássico dirigido por Steven Spielberg, considerado por muitos como o primeiro blockbuster da história da sétima arte, Tubarão também tem uma citação pra lá de equivocada correndo pelas bocas das pessoas. “We’re gonna need a bigger boat!” (“Vamos precisar de um barco maior!“) virou sensação da cultura pop e pode ser encontrada até mesmo em camisetas sendo vendidas por aí. Mas esta não é a frase usada por Roy Scheider no filme. Ele diz: “You’re gonna need a bigger boat!” (“Você vai precisar de um barco maior!“).

WALL STREET – PODER E COBIÇA (1987)

Clássico de Oliver Stone estrelado por Michael Douglas e Charlie Sheen, o primeiro Wall Street ficou conhecido pela frase “Greed is good” (“Cobiça é bom“). Mas a forma como foi dita no filme foi um pouco diferente. Na verdade, o Gordon Gekko vivido por Douglas fala “The point is, ladies and gentleman, that greed, for lack of a better word, is good.” (“O ponto, senhores e senhoras, é que cobiça, na falta de melhor palavra, é bom.“).

O MÁGICO DE OZ (1939)

Um dos maiores clássicos da história do cinema. E a jornada de Dorothy pelo reino de Oz começa já com uma frase que ficou conhecida em sua forma errada. A maioria das pessoas acredita que a jovem interpretada por Judy Garland fala: “I don’t think we’re in Kansas anymore, Toto” (“Acho que não estamos mais no Kansas, Toto”). Mas, na verdade, é um pouquinho diferente. A citação exata é: “Toto, I’ve a feeling we’re not in Kansas anymore” (“Toto, tenho a impressão de que não estamos mais no Kansas”).

CAMPO DOS SONHOS (1989)

Estrelado por Kevin Costner, Campo dos Sonhos é conhecido por fazer as pessoas chorarem e por imortalizar a frase “If you build it, they will come” (“Se você construir, eles virão“). Acontece… que não é essa a frase correta ouvida no longa. Parece um detalhe pequeno e desimportante, mas a citação exata é “If you build it, he will come.” (“Se você construir, ele virá”).

O SILÊNCIO DOS INOCENTES (1991)

“Hello, Clarice…” (“Olá, Clarice…“) na voz do Hannibal Lecter criado por Anthony Hopkins em O Silêncios dos Inocentes causa arrepios só de lembrar. Só que você, e muita gente, está simplesmente “lembrando” de forma equivocada. A frase correta dita por um dos maiores vilões da história da sétima arte é, na verdade, “Good evening, Clarice…” (“Boa noite, Clarice…“).

A PRIMEIRA NOITE DE UM HOMEM (1967)

Obra-prima dirigida por Mike Nichols e protagonizada por Dustin Hoffman e Anne Bancroft, A Primeira Noite de um Homem (1967) também é regularmente citado de forma equivocada. E a cena em questão é uma das mais importantes do filme, o primeiro encontro entre Benjamin (Hoffman) e a Sra. Robinson (Bancroft). As pessoas costumam citar a frase “Mrs Robinson, are you trying to seduce me?” (“Sra. Robinson, você está tentando me seduzir?“), quando, na verdade, o correto é “Mrs Robinson, you’re trying to seduce me. Aren’t you?” (“Sra. Robinson, você está tentando me seduzir. Não está?“).

5 pensou em “FRASES CLÁSSICAS DO CINEMA QUE FORAM OU SÃO CITADAS ERRONEAMENTE POR TODOS NÓS…

  1. Cabra bom, esse nosso colunista cinematográfico de Garanhuns !!!

    Passou todo o ano fatídico de 2020 comentando os acertos da telona e agora comenta os erros que cometemos inadvertidamente

  2. Interessante. Obviamente, na música causa mais impacto. “Na madrugada rolando e tocando blues… tocando de biquíni sem parar”. “Um abajur cor de carne…um lençol azul”. “De que país vem esse carnaval….tava dormindo no canavial….”

    • Assuero e Pinheiro,

      “Que a Força esteja com vocês”

      99% de um grande filme resume-se na trilha sonora… Ennio Morricone não deixa Sancho mentir.

      O que dizer para Assuero e Pinheiro? Digo que John Williams criou uma das maiores trilhas sonoras do cinema em Star Wars.. Criou para a saga de George Lucas o principail motivo da grandiosidade da franquia.

  3. Mais uma vez tenho de concordar com o nosso Sancho, quando
    afirma que 99% de um grande filme resume-se na trilha sonora… Ennio
    Morricone não nos deixa mentir.

    Como assim ? Ora pois vamos ouvir as estrelas e depois perguntar
    ( perguntar não ofende) mesmo tocando nas nossas preferências.
    O que seria dos filmes ” Era uma vez no Oeste e Era uma vez na America )
    sem as trilhas estupendas criadas pelo gênio Morricone ?
    Seriam ainda dois grandes filmes, sem dúvida, mas estariam ainda na nossa
    lembrança cinematográfica ? Talvez sim, Talvez não.
    Vamos dar um exemplo : Um filme padrão de sucesso estrondoso, com mais
    de 50 anos na memória de avô, pai, filho, neto, bisneto e apendices etc…
    cito o Famosíssimo ” E O VENTO LEVOU ” que até hoje é considerado
    uma ” obra prima ????)” da arte cinematográfica mundial. Certo ?
    ERRADO, o filme foi a maior manipulação da midia hollywodiana.
    A sua pré produção levou anos, enrolando a midia na época, com os noticiários
    publicados a peso de ouro, e a sua pós produção levou também
    um tempo preciosos, pois quanto mais esperado , mais comentários.
    Não gosto do filme, atriz principal uma inglesa sem nenhum toque
    sulista, ( LEIAM O LIVRO ) o que foi imperdoável, seu galã o maior canastrão de hollywood
    num desempenho sofrivel. Salvaram -se 3 coisas:

    1. o desempenho sempre muito correto da grande atriz Olivia de Havilland;
    2.o prêmio Oscar para a revelação da atriz negra quase desconhecida.
    3. A MAGNIFICA trilha sonora, criação do maestro MAX STEINER.
    Ninguém fica indiferente a esta trilha sonora. Esperimentem e vão sentir
    que todo filme, todo sucesso REAL está contido nessa sinfonia.

    Poderia citar dezenas de filmes, Clássicos, Dramas. Westerns, aventuras,
    cujos resultados final , depende das magníficas trilhas sonoras, como
    por exemplo Rastros de Ódio do grande John Ford, a trilha maravilhosa de
    SHANE, Matar ou Morrer etc..
    INFELISMENTE, O CINEMA ( CINEMA ???) ATUAL NÃO TEM MAIS TRILHA SON ORA, SOMENTE BARULHOS DE LUTAS E EXPLOSÕES, NÃO CONSIGO
    ASSISTIR MAIS DE 10 MINUTOS TAMANHA ESTUPIDEZ.

    Estou certo que uma grande parte dos leitores não vão concordar com
    a minha opinião e e do nosso amigo Sancho. Mas o que fazer, algumas coisas precisam ser ditas.

  4. …E O VENTO LEVOU FOI O MAIOR E MAIS MELINDROSO TRABALHO DE MARKETING JÁ CRIADO NO MUNDO DA PROPAGANDA ANTECIPADA.

    P.S..: Não à toa que foi cunhada essa frase espetacular: Propaganda é a alma do negócio…

Deixe uma resposta