DEU NO JORNAL

Autor da proposta de chamar o ministro Alexandre de Moraes ao Senado para explicar a prisão de Daniel Silveira, o senador Roberto Rocha não gosta dos modos do deputado e repudiou seus insultos aos ministros do Supremo Tribunal Federal.

Mas ele pondera que não consegue “desenquadrar” a fala, mesmo agressiva, da garantia constitucional da imunidade parlamentar.

Ele está convencido de que a prisão constitui grave afronta ao instituto de inviolabilidade do mandato.

* * *

Diz essa nota aí de cima que a prisão do deputado “constitui grave afronta ao instituto de inviolabilidade do mandato.”

Isto é uma coisa clara, óbvia, cristalina.

Só mesmo o cabra sendo um ceguinho pra não enxergar isso.

E um ceguinho bem teimoso.

“Num tô vendo nada, nada nada…”

15 pensou em “FRACO DAS VISTAS

  1. Pois é

    Agora vamos descobrir quais dos 81 “senadores” tambem sao “vanalhas”….

    Ja temos 531-130 = 401 +11 = 412 vanalhas

    Vanalhas = canalhas cortado por navalhas

      • Desculpa aí João ………

        Uma inversão, 513 para 531, mas que não muda o conceito

        513 deputados federais,

        130 votaram NÃO
        OBS: os que faltaram ou se abstiveram entram na lista abaixo

        11 Vanalhas de “outros” lugares vergonhosos ….

        513-130 = 383 Vanalhas no Congrasso + 11 “outros” = 394 Vanalhas

        Agora vamos ver dos 81 Senadores, quem não vai aprovar a proposta e fica com o título também

  2. Goiano já se manifestou à respeito aqui.

    A indignação dele só vai até o julgamento do Lula, que ainda não chegou ao STF. Ali a coisa parece que vai mudar o que já julgaram mais de dez juízes em instância inferiores de modo unânime até agora.

    Em relação ao Deputado, Goiano tem a mesma posição, como não é com ele que afeta a decisão fica com os 11 ministros do stf e os 364 deputados da câmara.

    Goiano é um verdadeiro democrata de conveniência

    • João Francisco, quem é democrata de conveniência é, a meu ver, aquele que bate no peito por Deus, Pátria, Família, mas fica do lado dos fascistas, que outra coisa não são o deputado Daniel Silveira, a Sarah Winter, o Oswaldo Eustáquio, a não ser que estejam liberados os crimes contra a humanidade e contra as instituições.

      • Goiano, v., um democrata de convicção, já julgou Daniel, Sarah e Oswaldo no seu tribunal e os taxou de fascistas, uma acusação muito grave para chamar a quem não se gosta, mas muito comum na esquerda.

        As instituições brasileiras estão muito mais além do que estes 3 brasileiros que v. citou podem agir, mas eu não vi nada que possa sequer chegar perto do que Mussolini fez na Itália.

        Eles cometeram crimes contra a humanidade? Não há algum exagero nisso?

        Quem sou eu na fila do pão para bater a mão no peito por qualquer coisa? Meu julgador não é v., Goiano, mas tens o direito de dizer o que quiser a meu respeito. O Verdadeiro Julgador não está neste mundo.

        • Aí tá uma mistureba, coisas da vida social e coisas da vida espiritual.
          Estamos falando de crimes, juízes, advogados, juristas, tribunais, leis, códigos, e quanto a isso o julgamento é por aqui.
          Quanto ao trio, não os estou condenando, mas os fatos efetivamente praticados por eles, registrados em vídeos, são graves e são típicos, sim, do fascismo, como está sendo apropriado o termo nos dias que correm.
          Mas, se não queres o termo fascista, tome como quiser, mas no caso do deputado ele mesmo se penitenciou após uma parte das barbaridades, o que implica o reconhecimento do que fez. Aliás, mais ou menos, quem viu sabe que ele se desculpou mas que foi da boca pra fora, porque ao mesmo tempo que dizia uma coisa em seguida dizia outra mais ou menos ao seu contrário.
          Não estou julgando ninguém, mas vendo. E não tem como deixar de observar a boiada, o gado, seguindo o sincero.

          • Goiano, eu vou colocar aqui o que já falei em outros comentários. Eu quero que este deputado se lasque.

            Ele falou idiotices? Falou

            Ele não se preocupou com as consequências de sua live sobre a vida política do país ou sobre ele? Nem um pouquinho.

            Arregou, depois que viu que estava para perder o mandato? Com certeza.

            Quem se apropriou dos termos fortes fascista e nazista para desmerecer seus oponentes? A esquerda.

            Mas nada disso dá o direito do STF rasgar a constituição e mandar às favas o art. 53 da CF e considerar crime grave inafiançável as idiotices que o Deputado falou.

            Mais uma vez eu digo, a 3ª Lei de Newton (esta é imutável) virá.

  3. Minhas atividades no Jornal da Besta Fubana não visam a mudar a opinião política das pessoas, para que abandonem Jair Messias Bolsonaro, ou a direita, e passem a amar o Lula e se filiarem à esquerda.
    Meu interesse tem sido o de desfazer equívocos e inverdades e o de ajudar as pessoas a pensarem corretamente.
    Um dos focos de meus argumentos é auxiliar na compreensão do Direito, visando a que as pessoas abandonem os círculos viciosos mentais das próprias ideias e entendam que a área jurídica tem uma complexidade que foge aos raciocínios simplistas.
    Por exemplo, o texto acima, do Deu no Jornal, fala em “grave afronta ao instituto da inviolabilidade do mandato”, o mandato parlamentar, no caso, referindo-se à prisão do deputado Daniel Silveira.
    Sim, é possível que tenha havido violação, mas apenas se ficar demonstrado que não se configurou a hipótese de flagrante em crime permanente que possibilitou a prisão.
    Há juristas que opinam em um sentido e juristas que entendem de outro modo, mas por enquanto está prevalecendo a decisão unânime do Supremo Tribunal Federal que implica em que os onze ministros são de parecer que não houve quebra da imunidade, uma vez que a imunidade estava, no caso concreto, afastada pelo disposto na própria Constituição.
    Não adianta a editoria acreditar que a matéria é clara e cristalina no sentido de que houve o rompimento da imunidade, porque não é claro nem cristalino, de modo que se fosse claro e cristalino outros milhões, para não dizer bilhões, de juristas não estariam debatendo, a maior parte no sentido de que aconteceu a exceção constitucional e que a condução do parlamentar para sentar-se no boi foi acertada.
    Vamos ver como a coisa fica, se os advogados do indigitado conseguem demonstrar que a prisão foi ilegal, ou que o deputado não praticou crimes, ou tudo junto e misturado.
    A questão central, a meu ver, é a seguinte: O fascismo foi estimulado a sair às ruas, sentiu-se à vontade, fez e aconteceu, mas nem Jair Messias Bolsonaro pode segurar esse desbunde sem impor ao País uma ditadura, pois, enquanto o Poder Judiciário estiver livre para agir em defesa da lei os fascistas precisarão pensar muitas vezes antes de agirem sem máscaras ou com máscara e à luz do dia ou da noite.
    O bicho pegou.

    • Goiano, eu disse aqui em outra coluna a este respeito que v. iria dar muitas cambalhotas, mas no final diria que: Se 11 ministros do STF (unanimidade), 364 deputados (imensa maioria) e bilhões (?) de juristas concordaram que o Deputado Daniel deveria estar preso, então está correto.

      V. nunca me decepcionou.

      V. acertou em uma coisa, se o STF queria dar um recado a todos os brasileiros de que a liberdade de opinião de agora em diante está ameaçada, ele conseguiu.

      O bicho está pegando.

      Mas eu acredito na 3ª Lei de Newton (vá pesquisar).

      • Não é bem isso, João Francisco, eu disse
        1) que a doutrina e a jurisprudência são firmes em considerar que provas obtidas por meio ilícito podem, em geral, servir ao acusado;
        2) que há opiniões de juristas que consideram que as circunstâncias dos crimes praticados pelo deputado Daniel Silveira não constituíram a hipótese de flagrante, de modo que a imunidade parlamentar teria sido rasgada, enquanto no sentido inverso, abraçado pelo STF em decisão unânime e pelo Plenário da Câmara dos Deputados com folga na maioria absoluta, houve flagrante e o deputado deve continuar preso.
        3) se o deputado praticou os crimes de que é acusado só poderemos garantir depois de sentenciado (poderá ser considerado culpado ou inocente), embora possamos dizer que os vídeos que ele próprio publicou o deixam em situação, digamos assim, desconfortável.
        4) a Terceira Lei de Newton ora age a favor, ora contra, dependendo do lado em que se está da ação ou da reação: nos casos agora debatidos ela está agindo em reação às manifestações fascistas.

        • Goiano, a 3ª Lei de Newton é uma Lei física, não tem opinião, não tem jurisprudência, não pode ser interpretada. Ela não age a favor ou contra, apenas atua sempre que uma força é aplicada reagindo em sentido igual e oposto. É imutável.

          • Correção, a 3ª Lei de Newton diz que a reação ocorre em sentido oposto e em igual intensidade à força no ponto em que é aplicada.

          • João Francisco, então por que na tua argumentação a usaste?!

            Pois bem, é claro que está sendo mencionada figurativamente, até porque no caso em que as reações em sentido contrário ao fascismo não estão sendo iguais à ação, podem estar sendo mais ou menos intensas, tu vês aí se tem jeito de medir.

            O diversionismo às vezes só serve para estender a conversa e para tumultuar o debate.

            • Goiano, eu quis dizer que o STF hoje faz o que quer, quando quer e, com atuação de partidos pequenos da esquerda que não tem votos nas ruas e no congresso subjuga o executivo e despreza o legislativo.

              Vai haver reação. Entendeu ou quer que eu desenhe?

Deixe uma resposta