RODRIGO CONSTANTINO

Patrulha da fronteira dos EUA barrando imigrantes na fronteira do Texas com o México em 2023

Patrulha da fronteira dos EUA barrando imigrantes na fronteira do Texas com o México em 2023

Certa vez, no Fórum da Liberdade, Ciro Gomes condenou o muro americano na fronteira com o México, comparando-o com o Muro de Berlim. O esquerdista ignorou um “detalhe” óbvio: o muro dos americanos serve para impedir a entrada de imigrantes ilegais, enquanto o muro dos alemães comunistas servia para impedir a saída do próprio povo.

Eis a realidade que tanto incomoda a esquerda: o fluxo imigratório é sempre de países ou cidades mais esquerdistas para países e cidades mais de direita. A esquerda tem “lindas” ideias, sinaliza muita virtude, mas não consegue entregar bons resultados, pois sua ideologia vai contra a natureza humana. A direita prega a lei e a ordem, o livre mercado, os valores morais, e isso cria sociedades prósperas e desejadas.

Uma reportagem no Globo de hoje fala dos expatriados do Brasil que buscam refúgio nos Estados Unidos, muitas vezes de maneira ilegal. Pelo “sonho americano”, esses brasileiros aceitam privações e impedimento de visitar seus parentes. “Concentrados em sua maioria nas áreas metropolitanas de Miami, Boston e Nova York, muitos brasileiros trocam vida de classe média no Brasil por empregos nas áreas de construção civil e limpeza doméstica”, diz o subtítulo.

Há relatos de situações bem complicadas que indivíduos enfrentaram, mas um deles explica o motivo: “O termo que ainda podemos usar é o sonho americano. A perspectiva de que você aqui vai trabalhar, poder melhorar de vida e prover uma vida melhor, não só para você, mas para seus familiares”. Isso além da segurança, claro.

Na Gazeta do Povo, há uma reportagem sobre a enorme crise imigratória criada pelo socialismo na América Latina. Segundo a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), “mais de 7,7 milhões de pessoas deixaram a Venezuela em busca de proteção e de uma vida melhor; a maioria — mais de 6,5 milhões de pessoas — foi bem recebida por países da América Latina e do Caribe”.

“Desde 2014, o número de venezuelanos que solicitaram asilo em outros países aumentou 4.000%”, afirma a ACNUR. O Brasil passa a ser um destino desejável para o venezuelano, enquanto os Estados Unidos são o destino sonhado pelos brasileiros. Já dentro dos Estados Unidos, o fluxo de migração é de estados mais democratas (esquerdistas) para estados mais republicanos (conservadores).

É uma questão de grau de esquerdismo. A tendência é sempre a mesma: os indivíduos querem viver em locais onde há mais ordem, segurança e oportunidades, e isso quem costuma entregar é a direita. Quando as pessoas podem “votar” com os pés, elas invariavelmente deixam claro sua real preferência política, ainda que o discurso seja diferente. É o reconhecimento de que a direita tem um plano de voo mais eficiente, é superior à esquerda na hora de mostrar a que veio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *