ALEXANDRE GARCIA

Bolsonaro participa da Dubai Air Show

Bolsonaro participa da Dubai Air Show

Ontem foi Dia do Brasil na Expo Dubai. E foi, realmente, um grande dia, com parada em honra do Brasil. O presidente Bolsonaro circulou com ministros, com 300 empresários, com o governador de Minas Gerais, Romeu Zema, com o presidente da Federação das Indústrias de Minas Gerais. Ministros apresentando seus planos e atraindo investimentos. Apresentaram o Brasil a uma gente que está interessada em participar do crescimento do Brasil. Foi uma festa. E o presidente, onde quer que tenha ido, foi saudado.

Enquanto isso, o ex-presidente Lula falou no Parlamento Europeu, para criticar, claro, Sergio Moro e Bolsonaro. Ele negou que já tivesse fechado com Alckmin para ser vice dele, porque, certamente, não se decidiu.

E o Bolsonaro parece que recuou bem dos entendimentos que estava tendo com Valdemar da Costa Neto, que virou o novo queridinho da mídia, tirando o posto de Renan Calheiros.

* * *

Liberdade de expressão em Cuba e no Brasil

Lá em Cuba, ontem, foi reprimida a tentativa de se fazer uma manifestação pela liberdade de expressão. Cercaram as casas dos organizadores. Aqui no Brasil também continuamos com problemas sobre liberdade de expressão. Agora se soube que o deputado Daniel Silveira, embora o artigo 53 da Constituição diga que deputados e senadores são invioláveis civil e criminalmente por quaisquer de suas opiniões, teve acrescentado pelo ministro Alexandre de Moraes mais um impedimento. Agora ele também está impedido de dar entrevista, depois da entrevista que deu à Jovem Pan. E o que o Congresso faz diante disso? A Câmara dos Deputados assiste ajoelhada, de cabeça baixa e espinha dorsal torcida. Não dá para entender.

* * *

Esquerda derrotada na Argentina

E lá na Argentina, peronistas e esquerdistas foram derrotados na eleição de domingo. Inclusive em Buenos Aires, capital, na província de Buenos Aires e na província industrial de Córdoba, em seis das oito províncias. De 24 distritos eleitorais, só ganharam em nove. Perderam a maioria no Senado e diminuíram ainda mais sua posição na Câmara. Em 2023 vai haver eleição presidencial e Mauricio Macri já está falando em voltar.

2 pensou em “FESTA DO BRASIL EM DUBAI

  1. Para mim está claro que Bolsonaro será reeleito em 1º turno ano que vem. A prova disso é o desespero do Sistema em não deixar que ele tenha um partido para disputar a eleição ano que vem.

    Diriam algumas Cassandras aqui: – Ahin, mas se ele está reeleito, porque nenhum partido o iria querer?

    Primeiro porque aqui no Brasil, ser dono de partido é a melhor coisa do mundo. Não importa o tamanho, é muito dinheiro que entra, além das tais coligações.

    Segundo porque não existe um partido realmente conservador de direita e todo os donos destes têm rabo preso.

    Terceiro, que Bolsonaro quer um partido que não se coligue em estado algum com o PT ou PSDB.

    Quarto, que Bolsonaro quer indicar o candidato vencedor a governador de SP (Tarcísio), bem como os senadores para seu apoio a partir de 2023.

    Em último, não dará cargos em estatais, dinheiro, mensalões, etc.

Deixe uma resposta