VIOLANTE PIMENTEL - CENAS DO CAMINHO

Sonhei que estavam faltando feijão e arroz em todos os supermercados de Natal. Mas, ouvia no rádio a notícia de que, naquela manhã, estaria chegando ao porto de Natal um navio, transportando esses dois produtos, diretamente da China. A partir das 13 horas, o feijão e o arroz estariam nas prateleiras dos supermercados. Alimentação básica do nordestino, o feijão e o arroz fortificam e dão sustança.

No supermercado, os fregueses, usando máscaras, aguardavam ansiosos que os dois produtos fossem postos nas prateleiras. O limite para compra seria de 2 quilos de cada produto, por pessoa.

De repente, houve um grande alvoroço, pois iam colocar nas prateleiras o feijão e o arroz, vindos da China, Pátria do Corona Vírus.

Os fregueses mudaram de cor, quando souberam da procedência dos dois produtos, ligando-os ao terrível vírus, fabricado em laboratório da China. Apesar da enorme fila, ninguém teve coragem de tocar, nem de leve, nas embalagens dos dois produtos chineses. A fila “congelou”, sem sair do canto, até que, no final, apareceu um herói, que gritou:

– Saiam da frente, que eu quero comprar feijão e arroz! Pouco importa que tenham vindo da China ou da Baixa da Égua! E empurrando o carrinho do supermercado, o homem pôde levar a quantidade de feijão e arroz que bem quis, enquanto os outros fregueses continuavam acuados, com medo do “Corona Vírus”, que devia estar dentro das embalagens.

De repente, houve outro tumulto, com empurrões, pancadarias, correrias e até desmaios, pois os indecisos resolveram também comprar os produtos chineses.

O ser humano é um “animal” invejoso. Quando os fregueses viram o “herói” enfrentar o vírus chinês e ter coragem de encher o carrinho do supermercado de feijão e arroz, voltaram-se contra ele e tentaram agredi-lo. A luta foi em vão. O “herói”, único freguês que não pensou duas vezes ao comprar os produtos chineses, reagiu à altura e entrou em luta corporal com um dos agressores, conseguindo fugir da multidão. Os caixas ainda estavam vazios, e isso contribuiu para que ele pudesse pagar os produtos normalmente, sem limite de quantidade.

Graças a ele, o supermercado conseguiu vender todo o carregamento de feijão e arroz, de procedência chinesa.

Em meia hora, o arroz e o feijão sumiram das prateleiras. A revolta dos que não conseguiram comprar explodiu. O gerente, com medo da fúria dos fregueses, reuniu os empregados e pediu um voluntário, para avisar ao povo que o feijão e o arroz haviam acabado.

A revolta dos fregueses aumentou ainda mais. O supermercado fechou as portas, para forçar a saída dos fregueses revoltados.

De lá, foram protestar numa praça, para combinar o que fazer diante dessa falta de feijão e arroz. Com certeza, esses produtos não estavam sendo vendidos em farmácias, padarias nem açougues. Alguém, então, sugeriu:

– Vamos todos reclamar na Governadoria! A Governadora deve ter lá um estoque de feijão e arroz escondido, junto com as pipocas Bokus.

E saíram em passeata para a Governadoria, com gritos de protesto contra a Governadora.

11 pensou em “FEIJÃO COM ARROZ

  1. Violante,

    Parabéns pela crônica abordar um teoria sobre a origem duvidosa do novo coronavírus. Circulam nas redes sociais digitais postagens que atribuem a cientistas chineses a criação do novo coronavírus. Nos textos, de cunho conspiratório, é afirmado que a doença seria uma espécie de arma biológica desenvolvida em laboratório. Os objetivos seriam reduzir a população mundial e provocar uma crise no mercado financeiro para que o governo chinês obtivesse vantagens econômicas.
    Um estudo publicado na revista “Nature Medicine”, realizado por pesquisadores do Reino Unido, Austrália e Estados Unidos, comprovou que o novo coronavírus não foi criado em laboratório. A partir da análise comparativa de dados genômicos, os cientistas encontraram evidências de que provavelmente o vírus seja resultado de seleção natural.

    Saudações fraternas,

    Aristeu

  2. Violante Pimentel,

    Obrigado pela magnífica crônica sobre o “medo do Corona Vírus.” Isso é o que se pode chamar de fábula moderna: todo mundo com medo; todo mundo querendo.” Morrer de fome ou morrer do corona Vírus? E se no arroz ou feijão não houver o corona? E se não vieram da China? Eis a questão.

    Fome dá dor de cabeça, e quando ela vem o medo desaparece e a necessidade fala mais alto do que o medo.

    Obrigado, querida, por mais essa beleza, essa maravilha que só as mentes privilegiadas e sensíveis feito a sua sabe costurar para “nossa alegria.”

    • Belo texto querida amiga.
      Parece que a coisa está ficando feia novamente na España, com rebrotes na região da Cataluña.
      Beijo grande e,
      Abraço forte nos amigos Aristeu e Cícero

      • Prezado amigo,

        Fiquei bastante feliz Pela grata lembrança Nessa famosa gazeta Temos boa vizinhança Uma pessoa se destaca O grande Sancho Pança!

        Aristeu Bezerra

        • Retificando:

          Prezado amigo,

          Fiquei bastante feliz
          Pela grata lembrança
          Nessa famosa gazeta
          Temos boa vizinhança
          Uma pessoa se destaca;
          O grande Sancho Pança!

          Aristeu Bezerra

          • Sancho é apenas aprendiz, um atento aprendiz das coisas que estes fubânicos maravilhosos aqui publicam. Aprendo a cada dia com algum desses maravilhosos gênios que Berto descobriu nas estradas da vida.
            Abraço grande e beijo no coração.

      • Obrigada pelo comentário gentil, querido amigo Sancho Pança!
        Aqui em Natal (RN), o Corona Vírus continua fazendo inúmeras vítimas fatais.
        Que chegue logo a vacina (não a chinesa!!!), e que Deus nos proteja!

        Grande abraço!

    • Prezado cronista Cícero Tavares:

      Obrigada pela delicadeza de suas palavras! O Corona Vírus continua apavorando a população e provocando nervosismo e depressão. O medo de contrair o terrível vírus e o isolamento imposto pelas autoridades sanitárias contribuem para esse clima de pavor.
      Deus queira que esse pesadelo termine e a vida volte ao normal!

      Grande abraço!

  3. Obrigada pelo comentário, prezado Aristeu Bezerra! Enquanto não houver uma solução definitiva para essa Pandemia, a certeza propagada na mídia de que o COVID-19 é um vírus chinês, fabricado em laboratório, continua provocando medo na população mundial, sofrida e insegura, A polêmica sobre o assunto é grande.

    Além do novo coronavírus, a China teria dado origem aos surtos de gripe aviária e de SARS, doenças que se relacionam com vírus que acometem animais e foram transmitidas a humanos..
    O vírus da SARS (Síndrome Respiratória Aguda Grave) surgiu no final de 2002, no sul da China, depois de ser transmitido por morcego, seu “reservatório natural”, para o homem.
    O Corona Vírus (vírus em forma de coroa) é terrivelmente contagioso e causa pneumonias agudas, quase sempre fatais.

    Um abraço e uma ótima semana!

    Muita Saúde e Paz!

    Violante

  4. Excelente crônica, cara Violante.

    Com peculiar e costumeira maestria, você nos brinda com um texto que, embora envolta de ficcional narrativa, vem carregado de concretude.

    O que se passou no seu honho, é um real pesadelo para os chineses.

    Ao longo do início de 2020, foram registradas inúmeras manifestações de racismo contra chineses pelo mundo.

    A sinofobia não se expressa apenas nos insultos contra essas pessoas em espaços públicos e restrições à sua entrada em estabelecimentos, os produtos chineses também sofrem forte estigmatização por conta do letal vírus.

    Na Coreia do Sul, cartazes nas vitrines de alguns restaurantes dizem: “proibida a entrada de chineses”.

    Um cassino coreano avisa que não está mais aceitando grupos de turistas chineses.

    Na cidade japonesa de Ito, ao sul de Tóquio, um garçom gritou para uma turista chinesa que queria entrar: “Chinesa! Fora!”, a gravação viralizou nas redes.

    No turbilhão desse racismo irracional, por via das duvidas, a rotulação recai pra qualquer cidadão oriental que tenha os olhos repuxados.

  5. Obrigada pelo generoso comentário, prezado Marcos André M. Cavalcanti!
    Na verdade, meu texto retrata, de leve, a atual discriminação do povo brasileiro, principalmente o nordestino, contra o povo chinês e todos os produtos importados da China.

    Essa pecha foi provocada pela mídia, ao divulgar que o Coronavírus é resultante de experiência feita em laboratório chinês, com segundas intenções, ligadas à economia mundial..
    Com a epidemia do Coronavírus, no Brasil e em outros países, desde o início de 2020, manifestações de racismo contra chineses têm se espalhado pelo mundo.
    As Epidemias sempre provocam pavor e estigmas à humanidade.

    Muita Saúde e Paz!

Deixe uma resposta