GOIANO BRAGA HORTA - ARCO, TARCO E VERVA

Em tempos de acusação de fascismo, a torto e a direito, o colunista fubânico Maurício Assuero interpõe uma observação pertinente:

– Acho que as pessoas falam sobre fascismo sem saber o que é.

Em seguida, acrescenta:

– Sugiro consultar o dicionário político de Noberto Bobbio para entender que este País jamais será fascista. A primeira coisa é obediência a um partido único. É fácil?

Creio que a questão levantada (ou as questões) parte da visão que as esquerdas, ou principalmente os esquerdistas, têm de nosso presidente Jair Messias Bolsonaro.

Porém, a compreensão de que existe um ambiente fascista na direita brasileira, capitaneada pelo indigitado chefe da Nação, não se atém ao fascismo institucionalizado, isto é, de transformação do regime ou sistema político brasileiro em um Estado fascista, com as características da Itália de Mussolini, às quais Bobbio e Assuero se remetem.

É que aqui e agora o termo “fascista” é dirigido às pessoas que abraçaram uma visão do mundo repleta de preconceitos.

A palavra “fascista”, alheiada do fascismo institucional, tem neste momento histórico um significado estendido.

Repetindo o que dizíamos, não se trata de um partido ou movimento político com as características mais ou menos exatas da prática de Mussolini, como conceitos de raça e nacionalismo extremado, repressão radical a qualquer oposição política, estado comandado por um ditador, na acepção original, ou em sentido estrito.

Trata-se de muito disso, de modo que esse sentido abrange um governante autoritário, ainda que não um ditador naquele sentido.

Quanto à questão racial, sim, mantém-se como um dos componentes, pelo preconceito retrógrado generalizado, contra negros, índios, mulheres (misoginia), estrangeiros (xenofobia “localizada”, no nosso caso contra Cuba, Venezuela, China, Coréia do Norte e até Argentina, ou seja, qualquer país que tenha laços com o socialismo).

Podemos acrescentar a repulsa agressiva à homossexualidade.

No nosso “modelo fascista”, o nacionalismo extremado também está presente no “novo conceito de fascismo”.

Agreguemos a religiosidade extremada, fanatisada, e a adesão a princípios rígidos de constituição da família e de moral (do tipo meninos vestem azul e meninas cor-de-rosa).

Por fim, o autoritarismo no lugar da ditadura e a repressão aos opositores, como na interferência em instituições do Estado, no cerceamento à liberdade de imprensa, na agressividade contra os que têm opiniões e visões políticas divergentes.

Nosso presidente traz tudo isso e mais alguma coisa aos seus seguidores, sendo que mesmo as pessoas que não têm a apreensão conceitual pormenorizada, detalhada, explicada, do sentido do termo “fascismo”, sociologicamente e historicamente, sabem do que ora trata, percebem que esse verde-amarelismo, esse bater no peito por Deus e Família, esse autoritarismo latente e demais componentes do quadro formado, que vemos e que vivemos, é “coisa de fascista”.

E a configuração do fascista inclui, neste momento crucial, certos penduricalhos que ajudam a completar o quadro: o fascista não reconhece seus preconceitos e nem vê outros componentes do fascismo existentes em si como coisas ruins, pelo contrário, defende com peito estufado suas crenças.

Fascista é, assim, aquele que diz que bandido bom é bandido morto como se isso fosse parte de uma filosofia elevada de proteção da sociedade.

Encarnando a tipologia, o fascista vai fazer guerra a certos jornais, rádios, tevês, mídias em geral, acusando-os de serem o que a sociedade mais teme, como de serem comunistas e terroristas (e essa acusação tem sido feita a quem dá as verdadeiras notícias relativas à epidemia pela qual passamos): o fascista desejará que essas mídias sejam eliminadas, propondo cerceamento à liberdade de imprensa que juram defender, simplesmente porque essa mídia está dando notícias que não estão de acordo com a filosofia fascista do seu líder, que garante que Covid 19 é uma gripezinha, que somos maricas, que máscara é bobagem, que isolamento social é coisa de frouxos e que está morrendo muito mais gente de outras coisas do que da tal doença e por aí vai.

O fascista também quer fechar o Supremo Tribunal Federal, porque os magistrados eventualmente julgam diferente das convicções dos fascistas.

Para o fascista, índio não precisa de tanta terra.

E o fascista opõe, aos defensores de nossas florestas, o argumento de que na Europa queimam as florestas mas só reclamam da Amazônia.

E garantem os fascistas que direitos humanos têm de ser só para as pessoas boas.

Para afirmar sua macheza, fascistas dizem que os ambientalistas são uns fresquinhos.

Fascista? Eu?

Sim, talvez. Responde você mesmo, sabendo que aderir a isso aí é ser fascista.

És um fascista se defendes ideias fascistas, se segues políticas fascistas, se apoias fascista ou fascistas – o quadro está exposto.

Basta vestir a carapuça.

55 pensou em “FASCISTA? QUEM? EU?!

  1. “És um fascista se defendes ideias fascistas, se segues políticas fascistas, se apoias fascista ou fascistas – o quadro está exposto.”

    Lembrei-me agora do discurso clichê – ou seria alerta – no cinema tão vinculado à polícia estadunidense na hora da prisão: “senhor fulano, o senhor está preso. De agora em diante tudo que o senhor disser poderá ser usado contra você no tribunal.”

    • Caro Jesus, começo pelo fim. Chamar quem nasce nos EUA de estadunidense é o mesmo que chamar a Dilma até 2016 de “presidenta”, pois mostra a tendência política à esquerda de quem fala.

      É americano ou norte americano.

      Ah, mas americano é todo aquele que nasce na América e norte americano também é o canadense e o mexicano.

      Pois eu digo; até 1968 éramos chamados de Estados Unidos do Brasil. Eu nasci estadunidense? Tudo bobagem dos politicamente corretos.

      Quanto ao “tudo o que disseres poderá ser usado contra o Sr. no tribunal” não é um clichê e sim a prática da essência da democracia americana, que é o direito de ficar calado e não produzir provas contra si mesmo.

      Chamar ao outro de fascista, é também um maneirismo de colocar um adjetivo em quem não concorda das esquerdas ao perderem no campo dos argumentos. Um reducionismo. Então tudo é extremado, sem definir claramente o que venha a ser isso com exemplos reais.

      • Não deixe sua própria patrulha separar todos à esquerda.
        É um risco enorme.

        Outra coisa. As palavras têm significados e os dicionários não observam o ideal político da atualidade, quando lhes empresta os sinônimos mais apropriados.
        Mesmo que esses significados possam – ou não – servir às conveniências de João Francisco.
        Clichê.
        Estadunidense.

        “Esquerda-direita, esquerda-direita, esquerda-direita…”

        Os patrulheiros de uns, muito se assemelham aos patrulheiros dos outros.
        E vice-versa (risos).
        Ambos são feitos da mesma essência, João.

        • Caro Jesus, de uma coisa v. pode ter certeza, eu respeito plenamente o direito de v. achar que quem nasce nos EUA é estadunidense.

          Eu só emiti minha opinião sobre quem fala “estadunidense” para os americanos.

          Não se sinta patrulhado ou constrangido, pois jamais foi minha intenção.

      • Há várias formas de chamar os nascidos nos USA: pode ser americano, norte-ameridano, estadunidense, hey you, psiu, moço!
        Ele virará o pescoço para olhar, mesmo que não entenda direito.

      • DEfinindo claramente
        para João Francisco
        com
        Exemplos reais:
        1) Preferia morrer a ter um filho homossexual;
        2) Fraquejei e aí saiu uma menina;
        3) Não te estupro porque és feia pra caralho;
        4) Quilombolas pesam arrobas e não servem nem para procriar;
        5) Vamos deixar de ser maricas, é só uma gripezinha;
        6) Ambientalistas são frescos e se pudesse os confinaria na Amazônia;
        7) Pretendo beneficiar meu filho, sim!
        8) Denúncia de tortura na ditadura é tudo cascata;
        9) Eu, se fosse militar naquela época, teria feito a mesma coisa;
        10) Eu sou favorável à tortura;
        11) Se eu pudesse, fechava o Congresso.
        Além dessas posições “ideológicas”, convém conhecer os atos e fatos de sua administração, como, por exemplo, o corte de fornecimento de determinados jornais, as ameaças à Globo, os procedimentos relativos à pandemia, as tentativas de influir na Polícia Federdal e nas Forças Armadas e todo o folclore que só não vê quem é mais blindado do que os deficientes visuais teimosos da cabeça dura.

    • Sim, Jesus de Ritinha Miúdo, é isso mesmo: se respondes à fascilista afirmativamente, tipo assim é verdade, tenho esses preconceitos e penso assim como está descrito, alegra-te, confessaste e estás salvo… de quê? – de responder perante o tribunal guilhotinador que Adônis está preparando para instalar no Segundo Império, com a reeleição de Jair Messias Bolsonaro, O Negro (chiiii, o politicamamente correto foi para os quintos das cucuias!), em cujo o qual serão sumariamente condenados, sem julgamento, os que não se confessarem adeptos das trevas. Porém, se a esquerda voltar ao poder, fascistas serão tratados como gente, sabendo-se que, como sentenciou Magri, cachorro também é gente. E vice-versa.

  2. Quanta bobagem!…
    O Brasil não é fascista, racista, misógino, homofóbico ou qualquer outra dessas bandeiras que a esquerda tomou para si, como se ela fosse um exemplo da moral e dos bons costumes!
    Temos, sim, aqui no bananil, pessoas fascistas, racistas, misóginas, homofóbicas, assim como temos socialistas (do alheio), comunistas (que amam NY e Paris) e até patetas que escrevem em bloques, jornais e revistas! Essa é a graça dessa pocilga subdesenvolvida. Tem de tudo!!
    Não li, vi ou ouvi em nenhum momento, uma nota só que seja, sobre o brasileiro ser algo parecido com quaisquer dos adjetivos, quando o bêbado contumaz, o demiurgo de Caetés, vociíferava sobre mulheres do grelo duro ou a opção sexual dos pelotenses.
    Ainda ontem, tínhamos vários xingamentos feitos pela esquerda, dirigidos ao populacho gaúcho e paulistano (no twitter), sobre a ignorância do voto, não elegendo Boulos e Manu…
    Mas, óbvio, os reacionários e demais adjetivos sempre recaem sobre o inimigo, o adversário, o que não concorda comigo…
    Depois ficam questionando o porquê de um Biroliro ser Presidente.

    • Paula, uma das formas de diversionismo é contestar não só o que não foi alegado, como contestar do que se declarou que alegado não seria.
      Como se vê, o texto declarda que ao se falar dos fascistdas no Brasil não se está dizendo que o Brasil “é fascista”. Para que o Brasil seja fascista é preciso que ele adote o modelo de Estado fascista, copiando o adotado por Mussolini.
      Assim, começas jogando água fora da bacia, ao, depois de dizer “quanta bobagem”, declarar que o Brasil não é fascista.
      Mas reconheces que no Brasil, que diminues chamando-o de bananil, há, sim, fascistas.
      Porém, enfias por baixo do pano a ideia de que socialistas são pessoas que querem socializar o dos outros, mas amam mesmo é Nova Iorque e Paris… quanta bobagem, digo eu agora. São falácias que não dizem nada, não argumentam, apenas se apoiam em clichês bobos de quem não tem o que argumentar.
      Quanto ao Lula, é um absurdo tão grande pretender enquadrá-lo como praticante de atos característicos do fascista, que ninguém ousa dizer uma bobagem dessas, apoiado em fatos que não têm o significado que se procura dizer que têm, uma vez que as práticas de Lula não corroboram tal besteirol.
      Biroliro: Quando a i24NEWS publicou na rede social uma notícia dizendo que o novo presidente do Brasil se chamava, JAVIER BOULSONARRO, o deslize despertou uma das forças ocultas do brasileiro: a zueira. Daí para Biroliro, Bolovito,Justin Biebersonaro e tantos outros foi um pulo.
      Mas a grande questão é: Biroliro é uma piada ou uma catástrofe?

  3. Prezada(o) Jando

    Eu ia comentar o artigo do Goiano, mas primeirasmente me encantei com o nome que seu preclaro pai lhe apôs.

    Mas vamos lá: Goiano está certo e Jair Pólvora é um fascista. Cercado de fascistas.

    Mas Einstein escreveu uma esquação, ainda não estudada a fundo, o que eu proponho:

    fascista = comunista

    Quase tudo que o Goiano mostrou se aplicaria ao PT do Senhor Supremo Lula (ai de quem ousasse desafiá-lo, não é Marília Arraes?). O endeusamento ao Lula era tão grande que muita gente, candidatos ou não, incorporavam Lula ao nome (Fulano ou Fulana Lula da Silva).

    Paro por aqui, estou com uma preguiça danada mas tenho certeza de que virão comentários tanto de esquerdistas comunistas como de direitistas fascistas (êpa, Einstein estava errado? Não eram iguais?)

    • Esquecí de falar que o fascismo do Jair se deu mal nestas eleições. Sem prefeitos, como vai cooptar governadores e sem governadores, como fazer alianças? E sem alianças, cadê votos? Dinheiro não haverá muito, a não ser que o Guedes traga seus dólares.

    • Jando em 1 de dezembro de 2020 às 10:33 escreveu: “Depois ficam questionando o porquê de um Biroliro ser Presidente.”

      Fiz uma consulta no Google com os termos e o que a consulta apontou?

      Bingo: Jando e João Francisco são a mesma pessoa.

      • Corrigindo:

        Jando em 1 de dezembro de 2020 às 10:33 escreveu: “Depois ficam questionando o porquê de um Biroliro ser Presidente.”

        Fiz uma consulta no Google com os termos “Biroliro Jornal da Besta Fubana” e o que a consulta apontou?

        Bingo: Jando e João Francisco são a mesma pessoa.

        • Puxa, Estava em dúvida de a (o) Paula era um Trans enlouquecido ou um hetero com dupla personalidade. Agora você esclareceu.

          Que vergonha, João

      • Paula T. Jando é uma pessoa, eu sou João Francisco (nome real), de Ribeirão Preto. Frequento o JBF tem uns 10 anos com este nome.

        Quem inventou Biroliro foi Paula Marisa, youtuber de direita de Canoas- RS.

        O nome Bonoro é a incrível Bárbara (te contei) que inventou. Se eu falar Bonoro, não vai me chamar de Bárbara, viu?

        No mais vai v. e todos os seus codinomes ridículos se tratar.

        • Ah (suspiro de alívio) Paula não é João. Ou é?

          Dúvida cruel, caro Horácio. Há mais coisas entre o céu e a terra do que suspeita a nossa vã filosofia, disse o Bardo.

          Mas ainda como disse o Bardo, se a rosa tivesse outro nome, mudaria o cheiro?

          Puxa, acabou a saliva, vamos usar a pólvora.

          • Xande, eu não sou o João Francisco, cujos os textos, aprecio muito, inclusive.
            Me chamo Sandro A. Rosa, sou morador de Joinville/SC. Esses nomes fictícios a qual me identifico aqui no blogue, são na verdade minhas identificações no Facebook (H. Romeu Pinto) e o Paula T. Jando era no Cartola FC. Só isso…

    • Xande, tás errado, não é verdade que essas coisas se aplicam ao PT, podes apontar muitos erros desse partido, mas nada a ver com fascismo; e deves saber disso, pois não podes apontar as caracgterísticas do fascismo nas atitudes e na vida de Lula, nem na história do PT.
      Quanto à alguma identificação entre comunismo e fascismo, tens alguma razão quanto à prática, não quanto à doutrina.
      Mas quero ficar no teu encantamento com o meu nome: Como já informei aqui, nasci na cidade de Goiás, antiga capital do Estado. Meus pais, mineiros, com meus irmãos também mineiros, mudaram-se comigo contrabandeado no ventre de minha mãe – produzido em Minas e nascido em Goiás. Deram-me o nome como homenagem ao Estgado que bem os aciolheu. Mas, o sangue cigano de meu pai fez com que aos meus quatro anos voltássemos para Minas, onde parecia estranho a todos que um mineiro se chamasse Goiano rsrsrs.
      Enfim, quando me tornei artista, cantando em restaurantes, bares, casamentos e eventdos diversos, e mais tarde gravando algumas músicas, pensei em mudar meu nome para um mais “artístico”. Não me deixaram. Mantive o nome, para vir a ser confundido com outro Goiano cantor, da dupla Goiano e Paranaense.
      Coisas da vida.
      Antes de terminar: não, não são iguais. A fórmujla de Einstein está errada, comunistas e fascistas não são iguais, nem sinônimos, embora muitos dos defeitos do fascismo tenham sido adotados em países que viraram comunistas.

  4. Goiano,

    Larga de ser babaca! TODO GOVERNO É AUTORITÁRIO, PORRA!
    É da essência dos governos, qualquer governo, ser autoritário, caralho. Tu só queres um governo “Bonzinho”, que não fode com os adversários, para poder dar vazão livremente às tuas patranhas esquerdóides e tentar implantar O TEU AUTORITARISMO.

    Ficas com essa conversa mole, de quem quer botar boi para dormir, que é para ver se cola.

    Quanto a não gostar de negros e boiolas, deves achar que a humanidade, desde os seus primórdios, era tudinho fascista, mesmo quando ninguém nem sabia o que era isso, já que, com exceção da Grécia antiga e uns poucos casos de exceção, a boiolagem sempre foi execrada.

    Quanto às ditaduras de merda que citastes, esses sim altamente fascistas, vai pra lá e para de querer enfiar essa merda goela abaixo de quem está quieto no seu lugar.

    Para de escrever tanta babaquice que já nos enchestes o saco!

    • Adônis, não te conheço pessoalmente, mas o uso da linguagem me reporta aos lupanares da velha Recife.

      Adônis era um jovem de grande beleza que nasceu das relações incestuosas que o rei Cíniras de Chipre manteve com a sua filha Mirra.

      Mas deles não herdaste a formosura da lingua. Minha mãe dizia “menino, se continuar a falar este tipo de palavvras, vou lavar sua boca com sabão”

      Te aconselho Dove, mais suave.

      • Prezado Xande,

        Ou posso chamá-lo de Xandoca?

        Obrigado pelos conselhos suaves e delicados, bem como pela profunda (êpa) lição de erudição.

        Espero não tê-lo melindrado com meu linguajar de bordel. Deves estar com as bochechas coradas e com um lencinho de cambraia escondendo-te a face..

        Se, como pareces, estás à procura de algo que preencha teu vazio interior, sugiro a leitura de algo mais ameno. Alguma coisa do tipo Jane Austen.

        • Caro Adonis, nem perca seu tempo, esta figura já foi aqui no JBF, Sônia Regina, Artemísia, Power, Francisco, Valter Ego, John Doe e mais um monte de outras definições mais ou menos idiotas.

          Bastam duas linhas para ver que é ele.

          Certa vez o confundi como codinomes inventados pelo Goiano, mas eu já me desculpei com ele, pois não tem o mesmo modus operandi.

          Um grande abraço

        • Despertai, despertai,ó bestas do Apocalipse.

          Que mais esperaria eu dos efebos fubânicos? Educação? Necas.

          E, Júlio, ao contrário de você, a última vez que eu tomei no rabo foi Benzetacyl.

          Adonis, não me incluo em teus iguais. Sou o Xande da pica grande, ao seu dispor. É só marcar hora que eu faço a cortesia.

          E essa linguagem de bolsonarista não leva a nada na discussão.

          • Xandoca,

            Larga de ser veado enrustido, porra!

            Quanto a esse negócio de dizer que tem a pica grande é tremendamente denunciador. Já observou que todas as fotos de baitolas, os caras possuem uma pica imensa. Deve ser por ficarem lutando de espada com os outros veados que nem ele.

            Ah! Antes que eu me esqueça! Vai tomar no centro do olho do teu cu, ô sua bicha enrustida. Esse negócio de ficar se oferecendo para comer cu de macho é típico de quem quer ser enrabado.

    • Sim, Adônis, é possível ser fascista sem saber que sois.
      Justamente por isso, proponho fazer o teste.
      Se marcar xis positivamente nas coisas fudeu.
      Vê aí, ô desbocado do caralho.

  5. Eis os tempos em que vivemos: acuse seus adversários de algo detestável; fascista, nazista, racista e por aí vai.

    Caso os fatos e a história contrarie seus argumentos, é só adaptar a realidade. O governo não é fascista, mas podemos criar um outro tipo de fascismo, de modo fazer o adversário caber na definição.

    Desculpe Goiano, mas tudo o que disse pode ser aplicado aos governos petistas, com a diferença de que aqueles fingiam que o faziam pelo bem geral.

    • Pablo, nada há a fazer, apenas verificar a lista e anotar com um tracinho o que é e do que não é.
      Podes pegar assim: Lula, sim, sim, não, não. No final, some os pontos e veja se lhe parece que o cara pontuou bem ou mal.
      Cada um pode fazer isso. Bolsonaro pode ele mesmo pegdar a lista e verificar, anotando, sou, sou, sou, sou, sou, sou, sou. Aí, no final, consulta a tabela e verifica se pontuou legal.
      É um teste que cada pessoa pode fazer, no silêncio sacrossanto do seu lar.
      Se quiser, pode publicar o resultado no Twitter e no Facebook.
      A tabela básica é a que foi passada acima em outro comentário e que pode ser acrescida de mais alguns itens. Porém, esses seguintes são suficientes para uma boa pontuação:
      1) Preferia morrer a ter um filho homossexual;
      2) Fraquejei e aí saiu uma menina;
      3) Não te estupro porque és feia pra caralho;
      4) Quilombolas pesam arrobas e não servem nem para procriar;
      5) Vamos deixar de ser maricas, é só uma gripezinha;
      6) Ambientalistas são frescos e se pudesse os confinaria na Amazônia;
      7) Pretendo beneficiar meu filho, sim!
      8) Denúncia de tortura na ditadura é tudo cascata;
      9) Eu, se fosse militar naquela época, teria feito a mesma coisa;
      10) Eu sou favorável à tortura;
      11) Se eu pudesse, fechava o Congresso.
      A coisa é simples e tem gente querendo complicar.

  6. Vixiii!!! Euzão que diariamente sou acusado, adjetivado pela oposição de: Puticista fanático, cachacista moderado, cabarecista extremado, tabacacista radical, perseguidor das perseguidas. Agora depois do textão do Goiano, lascou de vez, só faltava ser rotulado de fascista. Mas de petista ninguém pode me chamar!!!!

    • Lindomar, tua lista não te classifica como fascista, apenas como bon vivant.
      Algumas coisas que és combinam com os petistas, que são: cachacistas, mulherengos, gozadores das delícias de Paris e safadinhos.

  7. Li a tudo e a todos. E meu pensamento coaduna com o que escreve o Paulão T Jando:

    Quanta bobagem!…
    O Brasil não é fascista, racista, misógino, homofóbico ou qualquer outra dessas bandeiras que a esquerda tomou para si, como se ela fosse um exemplo da moral e dos bons costumes!
    Temos, sim, aqui no bananil, pessoas fascistas, racistas, misóginas, homofóbicas, assim como temos socialistas (do alheio), comunistas (que amam NY e Paris) e até patetas que escrevem em bloques, jornais e revistas! Essa é a graça dessa pocilga subdesenvolvida. Tem de tudo!!

    E até patetas que escrevem no jbf, como Sancho, por exemplo.

    Stop, Goiano. Pare de querer nos fazer o que não somos.

    E o que somos?

    Somos essa gente brasileira, de várias caras, crenças, cores e quereres. Somos Fla, Vasco, Bota ou Flu; Parmêra, Curintia, Peixe ou Tricolor do Morumbi; somos Galo ou Raposa; somos Timbu, Cobra Coral ou Leão da Ilha; somos RE-PA em Belém; somos ATLETIBA; somos GRENAL…somos Carnaval; somos churrasqueiros, cervejeiros, pingaeiros e brasileiros.

    Ah, quanto a Bolsonaro… o que é o Jair? Apenas e tão somente um falastrão que faz um excelente governo, que escolheu excelentes ministros e que anda fazendo o Brasil acontecer mesmo com a TURMA DO CONTRA o torpedeando 24 horas por dia.

    lembrei de outro ah: não há escândalos de corrupção no atual governo. E quem mijar fora do penico ganhará, segundo ele, voadora no pescoço.

    O resto? Ora, o resto é mimimi e discurso de perdedor nas urnas de 2018.

    Deixo ao final um beijo imenso no coração de todos vocês, desde o colunista até o comentarista que mais econômico foi em linhas de comentários.

    E, Goiano, não vá, por favor, embebedar-se com o vinho Il Mito.

    • Hahaha, Sancho Pança, tu és muito engraçado: – O vinho Il Mito é espumante! Igualzinho à pessoinha á qual ele é dedicado, Jair Messias Bolsonaro. Espumantes são, aliás, os vinhos mais baratos que hão. Esse aí é muito ruim (ambos os dois conjuntamente juntos). E tem mais: R$ 139,00 um espumante nacional? Cara, o Cereser tá a dez paus a garrafa! Vai roubar pra ser preso!

    • Cenouro Sancho Pança, somos essa gente brasileira fascista pra caralho, essa gente que mita um cabra misógino, homofóbico, racista, defensor da tortura, antidemocrático fechador de congresso, da imprensa e do Supremo, não o de Frango, o Outro, sacaneador do meio ambiente e dos ambientalistas, e o caralho a quatro, cansei de repetir as canalhices desse fascista safado, assim como, yes, nós temos banana, somos um patropi e também temos carná e uma negritude que se chama Framengo, o que não livra alguém, não o País, teu doido, mas alguéns, de serem bandidos, corruptos, traficantes, fascistas, e uns arrematados filhos da puta, de modo que esse ufanismo de bater no peito pelas nossas virtudes só serve para esconder os defeitos que precisamos, urgentemente, corrigir, começando por evitar de pôr canalhas no poder.

  8. “E a configuração dos comunistas, socialistas, progressistas, petistas e outras esquisitices, inclui, neste momento crucial, certos penduricalhos que ajudam a completar o quadro: os comunistas, socialistas, progressistas e outras esquisitices, não reconhece seus preconceitos e nem vê outros componentes do comunismo, socialismo, progressismo e outras esquisitices, existentes em si como coisas ruins, pelo contrário, defende com peito estufado suas crenças.”
    É ou não é muito curioso como bobagens bem escritas podem e são manipuladas? Como articulistas muito mal intencionados podem ofender seus opositores com joguinhos de linguagem? Como pessoas sem escrúpulos em defender seus ideais e suas ideias tortas podem e jogam com figurinhas bestas de linguagem? Poderia continuar, mas para mim, acho que deu!

  9. Sérgio, sim!
    Exatamente o que fizeste!
    Deste uma rasteira em si mesmo e não procuraste preencher o formulário.
    Em vez disso, falaste pacas tentando passar por cima do que interessa.
    Queres configurar comunistas e socialistas?
    Pois, faça-o.
    Garanto que vou ler a lista que produzires e fazer um tracinho em tudo o que me identifique como tal.

    • Sim, é claro que pode. Fez disso tua fé. Até mesmo teu texto virado contra ti te dá uma indigestão e uma resposta mais ou menos. Sei que tenho garantido ler qualquer besteira que produza tentando reverter o que te incomoda. E no Brasil que saiu das urnas em 2018 e mesmo agora em 2020, tudo, mas tudo mesmo te incomoda e te faz enxergar mussollinis em eleições municipais, francamente, xoxas demais. Se Sebastiões, Brunos e outras tuas miragens te parecem fascistas, sei lá, procure um ex professor ou releia velhos livros.
      Conservadores, comunistas, socialistas, progressistas, são expressões desta sociedade democrática, que elegeu seus representantes no Senado Federal, na Câmara dos Deputados, nas assembleias legislativas; os prefeitos de todas as mais de 5000 cidades e seus respectivos vereadores.
      Se você acha pouco seres humanos escolhendo outros seres humanos para representa-los, e rotulando esses com os quais você não concorda de fascistas ignorantes, bom, acho que percebo um problema. E não são os eleitores e os eleitos. É um problema de quem não aceita a democracia.

      • Sérgio, acho legal dedicares o teu tempo a argumentar sobre tuas crenças e visão da política nacional, assim como dos problemas de pessoas que pensam como eu.
        Bem, acho que aceito a democracia, sim. Embora eu considere Jair Messias Bolsonaro a expressão do atraso humanístico, ele aí está, não estamos forçando a barra para derrubá-lo, embora haja mesmo quem acredite que ele tem cometido crimes contra a saúde pública, além de outras irregularidades que poderiam, eventualmente, sustentar seu impedimento no cargo de presidente da república.
        Creio que tu não achas antidemocrático propor “impeachment” de um presidente da república, isso tem sido feito e, mais do que propor, foi possível mesmo decretar o “impeachment” da Dilma Roussef.
        De modo que não é antidemocrático opor-se, contestar, condenar, reclamar, não achas?
        Assim, me acho no direito democrático de considerar que os sintomas apresentados por Jair Messias Bolsonaro são de uma doença chamada fascismo, e de acreditar que quem aporesenta semelhantes sintomas fascista também é.

        • “Assim, me acho no direito democrático de considerar que os sintomas apresentados por Jair Messias Bolsonaro são de uma doença chamada fascismo, e de acreditar que quem aporesenta semelhantes sintomas fascista também é.”
          Ok, entendi. O certo é considerar quem discorda de você fascistas. A virtude está somente em suas posições. Certo, entendi. Você está certo e todos os outros que enxergam diferente estão errados e são do mal. Certo. Então tá.

  10. Goiano, após ler atentamente seu texto, tomei conhecimento ser eu um fascista inveterado, e que, meu velho pai foi um ditador como poucos, pois possuía um grande fascio de vara de marmelo para por na linha da “direita”, seus dez filhos homens. Por concordar com quase tudo que, segundo você, forma um fascista, fui até uma velha bruaca , herança do meu pai, retirei um culote pardo, uma bota de cromo alemão, gravata preta e uma camisa verde , depois de paramentado de fascista ou integralista , tomei posição de sentido, mostrei uma banana para os esquerdistas e gritei a plenos pulmões, ANAUÊ cambada. de fios da mãe.

  11. Ler um texto falacioso e tendencioso como este é igual a “jogar xadrez com um pombo: derruba as peças, caga no tabuleiro e ainda sai com o peito estufado (Lobão)”. É como “limpar o cu sem ter cagado”!

  12. Puta que pariu… Já li, na minha vida, babaquices, mas esse texto superou em termos de babaquice e cretinice. Sou fascista, sou whiskista, motorista, cachacista, enxadrista, mulherista (adoro mulher); sou misógino (devo detestar a minha esposa, uma loira, a coisa mais linda desse mundo, olhos azuis); Sou homofóbico (detesto xibungos)… Isso na tua visão, Goiano, todo mundo deve ser assim, especificamente quem apoia o governo. Agora deixa te dizer uma coisa: Luladrão é ladrão, comprovado, provado e contra fatos, não há argumentos. Com isso, devo concluir, que quem dá apoio ao lularápio, também é larápio, ladrão, corrupto, locupletador, babaca, pulha, pustula, uma doença a ser extirpada, como um câncer, é um imoral e como tal deve ser tratado.
    Cara… pára que tá ficando feio; Tá ficando horrível. Isso é babaquice em seu grau mais elevado…
    Ficar se passando a esse ridículo é não ter senso do mesmo.
    Acabou, porra. Acabou. Vai pra Cuba, Coréia do Norte, Venezuela…

    • Maurino, tenho debatido abundantemente aqui no JBF a questão de Lula ter praticado atos de corrupção ou não. Muitas vezes aleguei que acredito que Lula cometeu deslizes éticos, fazendo vista grossa de coisas que aconteciam ao seu redor, o que também é condenável. Mas corrupção é corrupçãp e comportamento antiético é comportamento antiético, são coisas muito, mas muito diferentes.
      Eu não acredito por acreditar que Lula é inocente das acusações e condenações que recebeu, são as irregularidades processuais que apontam para isso, assim como é o fato de Lula não ter o dinheiro que teria de ter, caso fosse não só um dos corruptos, mas o chefe do esquema, como seria o caso se ele estivesse envolvido.
      Até ontem, Moro era considerado pela direita bolsonarista como o sucessor dele na presidência da república, era um deus da moral, honestidade, seriedade e bons costumes, apesar das graves denúncias de prática de irregularidades incontornáveis nos processos do Lula. Mas, veja como os bolsonaristas são instáveis: bastou Moro dizer umas verdades e cair fora para tornar-se aos olhos dos bolsonaristas o cara mais vil deste mundo.
      Não sei o que pensas dele, mas se achas que ele foi um juiz tão irretocável nos processos do Lula, apesar de todo o lamaçal que foi revelado, o que pensas dele hoje? É ou não é aquele ser ímpar? Mesmo depois de ter condenado Lula e ter ido para Ministro da Jiustiça do Bolsonaro? Ainda mais agora que Moro virou sócio-diretor de consultoria que faturou R$17 milhões com Lava Jato, em que ele atuava? Ora, para de sere um anticomunistazinho e cai na real.

  13. Maurino, certamente, se a lista está correta, Lula é ladrão, eu sei que é ladrão, e apoio o ladrão, eu sou um ladravista, lularapista.
    Se apóio a corrupção, sou um corruptista, locupletista, babaquista, pulhista e pustulista.
    Lógica é lógica.
    Vejamos, então.
    Se dou apoio a um homofóbico sou homofobista.
    A um torturador, sou torturadorista.
    A um preconceituoso contra raças, sou racista.
    A um autoritário, sou autoritarista.
    A um misógino, sou misoginista.
    A um cerceador da liberdade de imprensa, sou antidemocráticista.
    A um ufano-exarcebado-verde-amarelo-nacionalista-fanático, sou um paranóicocistya.
    A um batedor no peito por Deus, Família e Propriedade, sou um TFPísta Plíniocorreísta.
    A um combatedor do meio-ambiente, sou um maluquicista.
    Se reúno tudo isso, sou um fascistóide ambulante.
    Aí, meu caro, se as carapuças me servem, não adianta espernear, é tratar de me auto-internar para desintoxicação e voltar de banho tomado.

  14. Tenho visto algumas informações absolutamente equivocadas a meu respeito. Por isso, venho dizer a todos que sou enxadrista desde muito novo, já joguei com muitos outros pombos, também tive a oportunidade de jogar com seres humanos e também desumanos, disputei partidas de xadrez com cachorros e também com vacas, e garanto que nunca derrubei as peças, só a rainha, quando a comi, o rei no xeque-mate e as peças trocadas, assim como não caguei em tabuleiros nem saí voando com o peito esteufado porque isso é abusar do oponente, coisa de bolsonaristas.
    Portanto, parem de me acusar daquilo que sois, porra.

  15. Pombos jogando xadrez? Eu, heim? Daqui a pouco vai ter pombo jogando futebol e cagando no gramado, pombo dançando e cagando na pista, pombo lutando caratê e cagando no tatame, pompo jogando vôlei e cagando na quadra… Acho que esse negócio de pombo cagando pra todo lado é coisa de idiota, de falta de imaginação. Ainda se fosse águias ou gaivotas, vá lá, mas… pombos?

  16. Polêmico Goiano!
    Anauê!
    Depois dos post anterior, que teve mirrados sete comentários, escreves esse que já conta com 52!
    Os adeptos dos Mallevs Maleficarum está a mil.
    Anauê!
    ***
    O conhecimento da natureza humana traz serenidade para quem sabe que a Lei Suprema, condicionada pelo agregado de causa e efeito coletivo, levará os fascistas de todas a eras, inexoravelmente, aos transes de dor, aos paroxismos do ódio e aos píncaros do sofrimento, como os levaram antes, durante e depois da 1ª e da 2ª guerras mundiais.
    Mas, cabeças-de- vento, seguidores de regras ditadas por líderes tirânicos e, principalmente, sem valores, e sem vontade de os obter, dirigem-se felizes para o caos onde pensam que satisfarão seus instintos, sob o manto do rebanho, anonimamente, em meio a multidão enlouquecida.
    Quando, como em Nuremberg, forem chamados a responsabilidade afirmarão que “cumpriam ordens”, que “não sabiam”, “foram enganados”… pusilânimes até o último momento.
    ***
    Ocorre, que (felizmente) os tempos são outros. Há mais caridade, mais assistência aos necessitados, mais ciência, mais tecnologia e muito mais informação.
    Então, os fascistas modernos são apenas uma farsa, posto que pertencem ao lixo da história.
    ***
    Sintomaticamente, chegamos ao limite interno de expansão capitalista, uma vez que a conquista territorial do capital já não tem para onde crescer e a capacidade de consumo humana é limitada. Ninguém almoça, usa outra camisa ou dirige um carro além do necessário e, por mais que se criem traquitanas, por mais que se faça propaganda de um consumismo desenfreado, há limite para o consumo. O que passa disso é acumulação, cujo ápice é o distúrbio obsessivo compulsivo dos acumuladores.
    O capital precisa se reproduzir ad infinito, via consumismo irresponsável, para continuar existindo, mas com o desemprego estrutural e os baixos salários, que ele mesmo gera e paga, virará pó, como abstração que é.
    ***
    Por fim o surgimento das cripto moedas como uma alternativa a moeda fiduciária é a sentença de morte para os estado-nação emissores dessas mesmas moedas.
    As criptos, pelo seu caráter transnacional e sua estabilidade implícita, serão adotadas por todos os governos e também destroem um dos pilares do fascismo: o nacionalismo.
    ***
    Um mundo melhor emerge.
    A Inglaterra já vai vacinar seu povo contra o coronga a semana que vem.
    *
    Onde a CIÊNCIA vai na frente, os problemas ficam para trás.
    *

Deixe uma resposta